A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 04 de Dezembro de 2016

14/05/2013 08:43

Mãe fica revoltada ao “perder” filho na saída do hospital por maus-tratos

Viviane Oliveira e Francisco Júnior
Elisângela  ficou desesperada ao saber que filho iria para abrigo. (Foto: Vanderlei Aparecido)Elisângela ficou desesperada ao saber que filho iria para abrigo. (Foto: Vanderlei Aparecido)

Depois de 8 meses internado por causa de uma doença rara, o bebê de 9 meses de Elisângela dos Santos Fernandes, de 31 anos, finalmente recebeu alta na manhã desta segunda-feira (13) do Hospital Regional, em Campo Grande. A volta da criança para a casa tinha tudo para ser comemorada pela família, que mora em Jardim, não fosse uma determinação judicial dizendo que o menino deve ficar em um abrigo.

Veja Mais
Homem é baleado após agredir suspeito envolvido em acidente
Mulher é morta a facadas e parentes encontram corpo no sofá da sala

Com os olhos lacrimejando e sob a acusação de maus-tratos, Elisangela se despediu do filho que saiu da unidade de saúde no colo de uma conselheira tutelar. O bebê foi levado para a Instituição Fundação Leonor Barbosa Flores, em Guia Lopes da Laguna, onde deve passar os próximos meses.

A dona de casa, mãe de mais duas crianças de 5 e 3 anos, conta que o filho mais novo nasceu com uma doença rara chamada metilmalónica - doença hereditária metabólica, na qual o organismo não é capaz de processar certas proteínas e gorduras adequadamente.

Complicações no quadro podem incluir problemas alimentares, retardo mental, problema renal crônico e inflamação do pâncreas. Quem tem essa doença deve ter uma dieta cuidadosamente controlada.

A criança teve diagnóstico dois dias depois do nascimento, foi quando a vida da família de Elisângela mudou. O bebê chegou a ficar em casa por alguns dias, mas teve que ser levado as pressas para o hospital após a doença se agravar.

O coordenador do Conselho Tutelar de Jardim, Adriano Zamora, explica que a criança tem necessidade especial por causa da doença e de acordo com ele, a decisão ocorreu após uma vistoria na casa da família. “Da primeira vez que recebeu alta, os pais foram orientados pelo hospital de como tinham que proceder para atender as necessidades do bebê, porém foram negligentes”, destaca.

Um dos descuidos, segundo os conselheiros, foi referente ao leite da criança que ela deveria tomar apenas um determinado tipo. Mas não foi isso o que aconteceu levando o menino a ter o quadro da doença agravado.

Bebê no colo da conselheira sendo colocado dentro do carro. (Foto: Vanderlei Aparecido)Bebê no colo da conselheira sendo colocado dentro do carro. (Foto: Vanderlei Aparecido)

Com uma ordem judicial a criança foi retirada do convívio dos pais temporariamente. “Neste período o Conselho Tutelar, assistentes sociais e psicólogos vão acompanhar a família para que quando a criança for devolvida, possam estar preparados e atender as necessidades dela”, afirma.

O médico pediatra, José Jailson de Araújo Lima, que cuidou do bebê no período que esteve internado em Campo Grande, disse que a criança chegou ao hospital com um quadro bastante grave de infecção.

Segundo ele, a decisão da justiça ocorreu em Jardim e a orientação era de que a criança só poderia ser entregue ao Conselho Tutelar. "O bebê chegou em estado grave e ficou por vários dias na UTI (Unidade de Terapia Intensiva)".

Inconformados com a situação, a mãe e o pai do bebê, Cleidnei dos Santos Loureiro, de 35 anos, vão entrar com recurso contra a decisão. “Só quero cuidar e ter meu filho de volta. A dor de vê-lo saindo do hospital nos braços de outra pessoa é muito grande. Não tem como descrever o que estou sentindo”, lamenta.




A minha esposa nunca pensou em abandonar meu filho, é uma mulher guerreira e que tem responsabilidade , tanto ela quanto eu amamos nosso filho todas as nossas necessidades nos estamos tirando do nosso bouço e tudo é preparação de Deus nada doado sou um trabalhador um artista microemprendedor que está lutando como outras pessoas a unica coisa que foi doada é o leite de 1000,00 reais cada lata que foi doada pela nação más não deu serto não peço ajuda materiais a ninguém quem quiser ajudar apresente minha causa nas mãos de Deus e ele é o rei dos reis e Senhor dos Senhores Deus a ele toda honra e toda glória a ajuda material de César o que é de César e a Deus que é de Deus quem irá fazer algo por está família e Deus o dono de tudo .....fica a dica ....
 
Clediney Dos Santos Loureiro em 15/05/2013 23:14:05
O Estivem ficou internado quase oito meses esperando esse leite chegar, desde então ele passou por uma cirurgia e depois de mais ou menos um mês ele teve alta, eu visitei ele no dia da alta, então ele retorno par jardim numa terça feira e sexta já estava aqui de volta, nisto começou as acusações sem prova alguma de que eles deram outro leite , acusaram também que eles não pegaram os medicamentos no posto de jardim quando na verdade eles compraram o medicamento porque no posto não tinha.Na verdade a criança só ficou algumas horas em casa e já foi internada em jardim e depois mandada para cá na verdade não da para saber se estão agindo por vingança ou por interesse, o certo é que tomaram a criança da mãe e deixaram ela no hospital sem um centavo negaram ate a carona de volta.
 
marco antonio de oliveira em 14/05/2013 21:00:14
Eu conheci essa criança em janeiro deste ano, desde então eu venho acompanhando de perto o drama desta família . Na verdade o estado foi forçado a comprar o leite, e comprou. Este leite custa mil reais a lata , o problema é que o leite fez mal ao bebe e ele teve que voltar a tomar o outro leite, e os próprios médicos suspenderam o mesmo. O grande problema e que o pai da criança acabou discutindo com o pessoal do conselho e desde então eles fizeram os piores relatórios possíveis e encaminharam ao juízo do caso, que tomou a decisão baseada em tais relatórios, mas eu creio que ainda serão desmascarados, pois a injustiça é muito maior do que se pode imaginar, no próximo comentário eu falarei melhor sobre o caso.
 
marco antonio de oliveira em 14/05/2013 20:48:02
Senhores pais, entrem na justiça contra a Prefeitura de sua cidade , e vcs podem alegar que dinheiro para carnaval , contratando bandas , etc a prefeitura tem, então deve ter tbem para ajudar familias iguais a esta.
 
paulo lessa em 14/05/2013 16:58:03
Eu conheci a Elisângela quando meu filho fez uma cirurgia em fevereiro,conheci de perto o drama dela dependendo de tudo ajuda pra fralda roupas para o bebe,foi quando com ajuda de amigos consegui várias doações ,sempre ia visita-la ate a primeira alta dele,e o que posso afirmar com toda certeza do mundo é o quanto ela ama o filho .
Mas infelizmente ela é uma pessoa sem instrução certo dia conversando ela me confessou que tinha medo de ir pra casa com ele ,devido ao cuidado que teria que ter ......
Mas e agora quem ira fazer algo por essa família ??????????????????????
 
Daiane Santini em 14/05/2013 16:31:15
Primeiramente quero dizer que é uma injustiça o que estão fazendo.
Segundo gostaria de lembrar aos pais desta criança, que existe a possibilidade deles entrarem com processo contra a pessoa que levantou falso testemunho ao afirmar maus-tratos por parte deles. Também tem a questão da alimentação, a prefeitura poderia entrar em contato com os comerciantes para que estes possam fornecer esse tipo especial de leite para essa criança.
Bom fica esta dica e a indignação em saber que a justiça nem sempre é justa.
 
Juliana P. B. dos Santos em 14/05/2013 16:23:05
É fácil tirar a criança do convívio familiar, difícil é ajudar essa família, com fornecimento de leite, medicamento e estrutura básica para o atendimento á criança. Mas se o estado fornecer ajuda não vira notícia, caso contrário aparece na mídia que o Estado esta de olha, cuidando do bem estar das criancinhas....É gente esse é o nosso País, nosso governo. Enquanto isso muitas outras crianças estão virando marginais pelas ruas e o Estado nem está vendo....
 
Moema Almeida em 14/05/2013 15:58:57
A JUSTIÇA NÃO CONHECE A JUSTIÇA DIVINA.SE CUIDEM
 
IVANILDA DE SOUZA em 14/05/2013 15:50:27
a prefeitura de jardim deveria providenciar o fornecimento desta alimentação especial....com certeza a familia não deu por não ter condições financeiras.
 
amanda teixeira em 14/05/2013 14:39:53
Eu clediney dos santos loureiro pai do bebe esteven Arthur venho declarar que e uma injustiça que estão fazendo com a minha família, porque sem conhecer a doença simplesmente uma médica da cidade de jardim direcionada por outras pessoas levantaram estas acusações, oque eu tenho a dizer e que o bebe já estava com diarréia quando veio conosco, mas eu já teria dito a médica do hospital regional que nós não poderíamos sair com ele daquela forma,a médica do hospital regional disse que ele não poderia ficar lá porque poderia pegar uma infecção hospitalar, aí então nós viemos a jardim ea diarréia piorou por causa do leite anamix prova maior e que foi oferecido o leite nestogeno lá no hospital regional agora ele melhorou com esse outro leite agora eu pergunto será que foi maus tratos ?
 
Clediney Dos Santos Loureiro em 14/05/2013 14:27:49
Duvido muito que no abrigo vai receber a alimentação especial, visto que os orçamentos dos abrigos são apertadissimos também. Ainda mais, nenhuma criança fica melhor de ficar em um abrigo. Que tal o conselho tutelar fornecer a custo reduzido (pelo preço de leite normal) a alimentação especial a esta mae e deixar ela cuidar da criança. Pois para ela só falta dinheiro. No abrigo vai faltar amor e cuidado. Sem falar que mesmo calculando friamente; para o governo deve ser mais barato fornecer leite especial para os pais, do que arcar com os custos de cuidar da criança em um abrigo...
 
Marcos da Silva em 14/05/2013 13:56:12
Falar é fácil e acusar também. Poque tirar uma criança de colo ainda dos pais, a dor é ainda maior, na minha opinião isso deve ter acontecido, devido a falta de dialogo com os pais e problemas financeiros, senão não ocorreria. Dialogo conta muito, situação financeira também. Orientar os pais como lidarem com a situação e oferecer ajuda. É difícil isso, ajudar os Pais?
 
Willyan Souza em 14/05/2013 11:19:35
Que Deus de sabedoria a justiça para rever esse caso. Amor de mãe ninguem substitui e tenho certeza que pode ajudar muito essa criança na recuperação, basta ajuda financeira e apoio psicologico e social p a familia!
 
Estela Vasques em 14/05/2013 11:06:06
Penso que ao invés de tirar o filho da mãe poderiam arcar com despesas médicas e alimentares para essa criança, já que a família não tem condições. Isso é um absurdo!
 
Lucimar Weiler em 14/05/2013 10:55:22
Triste fato e revoltante ,,, em vez de ajudar a familia financeiramente com leite qe crianca ´precisa vao tirar do colo da mae,, sera que isso resolve? cade politicos e vereadores que ganham fortunas ai ninguem se manifesta ninguem pode ajudar,,, caso deve ser visto novamente pela Justica,,, alguem tem tomar atituldes deixar essa mae ter direito de criar seu filho ,,, facil é julgar mas ajudar poucos ajudam,,, mae é mae ela tem esse direito

 
Rosilene leonel em 14/05/2013 10:50:38
Que cena mais triste. Será que essa família tem condições financeiras, vão ajudá-los ou só julgar. Meu Deus é terrível tirar o filho do colo, carinho e aconchego da mãe assim. Será que só remédios e alimentação irá curá-lo realmente?
 
Raquel Fagundes da Silva em 14/05/2013 10:40:36
Pela reportagem,os pais querem cuidar do filho,´só não entendi o porque tirarem a criança do convivio da familia em vez de conseguir o leite que a criança precisa entre outros alimentos,na instituição ele vai ter o leite que deve ser o de cabra, e é carissimo,com os pais teria acrescentado o amor de seus pais,essas leis de tirar em vez de dar,eu não entendo.
 
Tersa Moura em 14/05/2013 10:36:20
Se reduzissem o número de vereadores que as cidades tem, sobraria verbas para ajudar famílias nesta situação, más quero ver quem tem coragem de propor um lei desta!
 
Antônio Luiz em 14/05/2013 10:34:28
QUE DOR DESSA MÃE EM VER SEU FILHO TÃO PEQUENINO E INOCENTE INDO EMBORA PARA UMA INSTITUIÇÃO AO INVÉS DE IR PARA A SUA CASA COM SUA MÃE,UMA CRIANÇA QUE NECESSITA DE CUIDADOS ESPECIAIS O ESTADO TEM POR OBRIGAÇÃO DE AJUDAR ESSA FAMILIA TANTO NA PARTE FINANCEIRA COMO ORIENTAR A FAMILIA COMO PROCEDER ...
 
eliana de jesus ferreira em 14/05/2013 10:31:53
duvido que os conselheiros vão tratar o bebê melhor que a mãe, sabemos que são poucos conselheiros, como vão dar conta?
 
angela alencar em 14/05/2013 10:24:22
Cuidado com a Vanda senão ela vai parar lá em Estambul.
 
jose carlos em 14/05/2013 10:16:28
Isso mesmo Rodrigo, se eles estiverem dando ajuda financeira eles podem cobrar.
 
Jessiele Lemes em 14/05/2013 09:53:44
Que a justiça me desculpe ma só DEUS é capaz de tirar minha filha de mim. Nada nem niguem nascido nesse planeta faria isso comigo e ficaria impune.
 
Alex André de Souza em 14/05/2013 09:46:14
Se for isso mesmo que a Justiça alega, eu acredito que a decisão é correta. Agora, o Estado tem que auxiliar essa família com orientações e até com alguma ajuda financeira, acredito eu.
 
Rodrigo Adania em 14/05/2013 09:41:49
Só uma pergunta.....Ofereceram esse tal leite a mãe ?
ou apenas a acusam de não ter dado a criança.
Com certeza é um leite caro ,e ,pelo visto esses pais nem tem condições de comprar.
Fácil acusar.....
 
miriam pereira em 14/05/2013 09:35:57
Não sabemos como é a educação dessa criança, mas sera que viram as condições da familia, se a familia era pobre ao inves de tirar a criança da mae, deveriam ajudar a familia, sera que nesses abrigos são bem cuidados, uma boa alimentação tbem não é o suficiente, se nao tiver amor, carinho. hoje que precisa de medico, remedio sofre muito senao tiver uma boa renda..........
 
gabriel silva em 14/05/2013 09:27:21
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions