A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 08 de Dezembro de 2016

03/06/2011 11:14

Motim de presos destrói celas na delegacia de Chapadão do Sul

Vanda Escalante
Celas ficaram bastante danificadas. (Foto: Sinpol/MS)Celas ficaram bastante danificadas. (Foto: Sinpol/MS)
Sujeira ficou por toda a parte. (Foto: Sinpol/MS)Sujeira ficou por toda a parte. (Foto: Sinpol/MS)

Celas praticamente destruídas, muita sujeira e medo na vizinhança. Esse é o salda do motim promovido por 20 detentos na delegacia de Chapadão do Sul na última segunda-feira (30). De acordo com informações do Sinpol/MS (Sindicato dos Policiais Civis de Mato Grosso do Sul), entre os motivos do motim estaria a exigência de visitas íntimas nas celas.

A assessoria do Sinpol relata ainda que um dos presos, Anderson da Silva Souza Barbeiro, estaria reivindicando transferência, alegando que já havia sido condenado. Informado de que a decisão não dependia diretamente do investigador, Anderson e seu companheiro, Erinaldo Bezerra da Silva, começaram a quebrar a cela. Eles destruíram a parte metálica que protege os cadeados da porta de acesso, além de partes da parede que se une à grade e o muro que separa o banheiro da cela.

A manifestação causou pânico na vizinhança, pois além do barulho causado pela quebra das paredes e grades das celas, os encarcerados gritavam e insultavam os policiais civis. “A gente fica com medo porque não sabemos o que está acontecendo. Só ouve muito barulho e gritaria. Sei que são os presos querendo sair de lá”, disse uma moradora vizinha da delegacia.

Para conter o motim, todo o efetivo da polícia civil e militar foi acionado. Dez dos detentos foram transferidos provisoriamente para Cassilândia, pois uma das celas da delegacia teve que ser interditada.

Representantes do Sinpol/MS estiveram quinta-feira (2), em Chapadão do Sul para conferir as condições de trabalho dos policiais. Uma das metas do sindicato para este ano é solucionar o problema dos presos nas delegacias do Estado.




TODA A GUERRA DESSES VAGABUNDOS É POR MAIS MORDOMIAS, SE TODO O DANO CAUSADO POR ELE SEU FAMILIARES TIVESSE QUE PAGAR E AINDA FICASSE UM ANO ISOLADO DO MUNDO, QUERIA VER SE IA TER REBELIÃO.
TEM QUE SER IGUAL ALGUNS PAÍSES ÁRABES, QUE ATÉ A MUNIÇÃO USADA PARA EXECUÇÃO A FAMILIA TEM QUE INDENIZAR O ESTADO.
 
joao simoes em 04/06/2011 08:11:43
Estes caras fazem toda essa balburdia e, quando são acorrentados por falta de "comodidade", sai em cadeia nacional que eles estão sendo mal tratados. Enquanto o trabalhador faz "das tripas coração" para ter um mínimo de conforto, estes vagais tem comida de graça, porque nós quem pagamos a comida deles, não têm que se preocupar com aluguel no final do mês, com as compras do mercado e ainda reivindicam benesses! Bola de ferro nos pés desta escoria e rifle para, se tentar fugir, reduzir o número de desajustados! Nestes casos, os meios justificam o fim!
 
amauri da silva em 03/06/2011 12:00:51
para estes marginais tem soluçao a volta da ditadura militar ja que saudade daquele tampo nesta epoca a familia poderia andar na rua com segurança.
 
carlos marques em 03/06/2011 08:41:39
Um país que não investiu em educação anos atrás, colhe seus frutos podres na atualidade. Gastar milhões construindo presídios e não obter resultados decentes ao ser humano, quer seja ele marginal ou não, será a solução?
Por certo que não, melhor continuar gastando os mesmos milhoes em escolas e com professores, assistentes de professores, psicólogos, assistentes sociais, dentistas e médicos para atendimento nas escolas, até o 2.º grau. O custo benefício da medida virá nos próximos 30 anos. Mas será que interessa ao Governo?
 
Julio Cesar em 03/06/2011 05:12:39
Isso é uma vergonha, eu acho que a família desses presidiários é que deveria pagar os estragos que fez, ai eu queria ver eles quebrarem mais.
 
jose junior em 03/06/2011 04:12:23
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions