A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 10 de Dezembro de 2016

21/11/2013 09:09

MPE e Polícia investigam irregularidades na Câmara de Ribas do Rio Pardo

Zana Zaidan e Edivaldo Bitencourt

O Ministério Público Estadual investiga fraudes em três empresas que prestam serviços à Câmara de Vereadores de Ribas do Rio Pardo, a 103 quilômetros de Campo Grande. Além dos grupos, o MPE e a Polícia Civil apuram a participação de funcionários e parte dos 11 vereadores no esquema. 

Veja Mais
Pedestre é atropelado na calçada por veículo que disputava racha
Carreta da Justiça realiza 368 atendimentos na terceira etapa do projeto

A suposta fraude foi denunciada ao MPE por um advogado da cidade que, conforme o presidente da Câmara, Adalberto Alexandre Domingues (PRTB), “não gosta dos vereadores”.

O promotor Leonardo Dumont Palmerston viu indícios das irregularidades e instaurou inquérito civil para apurar o caso. Ele pediu para a Polícia Civil investigar a parte criminal.

O delegado Reginaldo Salomão, responsável pelo caso, afirma que o inquérito foi aberto no dia 8 de outubro, mas como solicitou prazo para prorrogação, deve ser concluído no dia 20 de dezembro. Até o fim deste mês, pretende interrogar todos os vereadores – nem todos como investigados, a maior parte deles como testemunhas, explica.

Depois disso, serão ouvidos os donos e funcionários das três empresas.

Como a investigação corre em segredo de Justiça, Salomão não pôde revelar quantos são investigados – apenas o nome da vereadora Lucineide Friosi como acusada foi confirmado. Ela já era investigada pela Polícia Civil pelo crime de concussão, pois exigia que uma servidora repassasse parte do salário a ela. No dia 4, ela foi flagrada recebendo R$ 512 da vítima.

Ontem (20) o primeiro vereador já foi ouvido, mas o delegado não revelou o nome do depoente.

Domingues disse que o legislativo municipal não cometeu nenhuma irregularidade e o trabalho do promotor dará mais transparência aos atos da Casa. Ele disse que toda a Câmara é alvo das investigações. 

Por mês, a Câmara de Ribas do Rio Pardo gasta R$ 303 mil. No entanto, o presidente não soube contar quantos funcionários o legislativo tem nem qual o valor do contrato com as três empresas. 

Pedestre é atropelado na calçada por veículo que disputava racha
Homem de 26 anos sofreu fratura no crânio e várias escoriações após ser atropelado quando transitava por volta das 3h30 de hoje (10) por uma calçada ...
Carreta da Justiça realiza 368 atendimentos na terceira etapa do projeto
Em oito dias de atendimentos da Carreta da Justiça em Taquarussu - município localizado a 332 km de Campo Grande -, o projeto do TJ-MS (Tribunal de J...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions