A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 05 de Dezembro de 2016

01/12/2016 16:22

MPF encontra falha de estrutura e remédios vencidos na Santa Casa

Elci Holsback
Medicamentos com prazo de validade vencido encontrados no Pronto-socorro (Foto: Divulgação/MPF)Medicamentos com prazo de validade vencido encontrados no Pronto-socorro (Foto: Divulgação/MPF)

Falta de controle no registro de ponto dos médicos, refrigeração inadequada, medicamentos estragados, falta de higiene e má gestão do lixo foram alguns dos problemas apontados pelo MPF/MS (Ministério Público Federal) em vistoria à Santa Casa de Corumbá - município distante 419 Km de Campo Grande, durante vistoria nesta quarta-feira (30).

Veja Mais
MPF cobra solução para amenizar calor dentro das salas da UFMS
Boliviana indiciada após tragédia com voo da Chape pede refúgio em MS

De acordo com o MPF, denúncias sobre irregularidades na prestação do serviço público de saúde levaram à diligência que passou por todos os setores, iniciando pela recepção, passando pela UTI (Unidade de Terapia Intensiva), esterilização, pediatria e almoxarifado.

"Foram constatados diversos problemas de estrutura nos prédios inspecionados. Ficou claro, por exemplo, que muitas das alas do hospital não dispõem de condições mínimas de refrigeração, importantes principalmente em razão do calor do verão corumbaense, com temperaturas acima dos 40º. Paredes com buracos, falta de higienização e má gestão do lixo também foram verificadas na visita", declarou o MPF por material enviado à imprensa.

O controle de ponto dos médicos, segundo o ministério apresentava falhas. "Na recepção, não há qualquer quadro público de presença, que permita à população saber quem é o médico responsável que deveria estar no plantão em dado turno. Falta, também, um controle criterioso da entrada e saída dos médicos no local", destacou o MPF.

Segundo o diretor presidente da Junta Interventora da Santa Casa, Cristiano Xavier, o MPF não enviou ainda relatório com apontamentos sobre possíveis irregularidades encontradas no hospital e admite que há problemas estruturais no prédio, devido o tempo da construção. "A estrutura da Santa Casa tem mais de 100 anos e diariamente fazemos reparos, dentro da possibilidade que temos e as limitações com o repasse de verbas", comenta o diretor.

Com 187 leitos ,- todos preenchidos, segundo Xavier, a Santa casa dispõe de ar-condicionado em todas as suas alas. "Há muitos hospitais que não tem isso, nós temos ar-condicionado, mas Corumbá é uma cidade muito quente", comenta.

Em relação ao registro de ponto dos médicos, que hoje tem controle manual e os médicos assinam um papel para confirmar presença, Xavier acredita que será sugerida mudança. "Assim que receber o relatório faremos as alterações necessárias". O diretor nega que haja irregularidades quanto a higiene do local, frisando que há empresa responsável pela coleta de lixo.

Medicamentos estragados - Segundo o MPF/Ms, foram encontrados no Pronto-Socorro, medicamentos estragados, misturados a medicamentos ainda dentro da validade. Xavier alega que, o Pronto-Socorro não pertence à administração da Santa Casa. A reportagem do Campo Grande News procurou o médico responsável pelo setor Emerson Moreira que alegou apenas "haver conflito nas informações" e que em breve a assessoria de imprensa da prefeitura irá divulgar nota esclarecendo a denúncia.

O MPF/MS apresentará relatório nos próximos dias, onde serão expedidas recomendações à direção da Santa Casa e à Secretaria Municipal de Saúde de Corumbá, responsável pelo Pronto-Socorro local, indicando medidas de curto, médio e longo prazos, que deverão ser adotadas para sanar as irregularidades apontadas. 

Vistoria apontou problemas na estrutura do hospital (Foto: Divulgação/MPF)Vistoria apontou problemas na estrutura do hospital (Foto: Divulgação/MPF)

Com 187 leitos - todos preenchidos, segundo Xavier, a Santa casa dispõe de ar-condicionado em todas as suas alas. "Há muitos hospitais que não tem isso, nós temos ar-condicionado, mas Corumbá é uma cidade muito quente", comenta.

Em relação ao registro de ponto dos médicos, que hoje tem controle manual e os médicos assinam um papel para confirmar presença, Xavier acredita que será sugerida mudança. "Assim que receber o relatório faremos as alterações necessárias". O diretor nega que haja irregularidades quanto a higiene do local, frisando que há empresa responsável pela coleta de lixo.

Medicamentos estragados - Segundo o MPF/Ms, foram encontrados no Pronto-Socorro, medicamentos estragados, misturados a medicamentos ainda dentro da validade. Xavier alega que, o Pronto-Socorro não pertence à administração da Santa Casa. A reportagem do Campo Grande News procurou o médico responsável pelo setor Emerson Moreira que alegou apenas "haver conflito nas informações" e que em breve a assessoria de imprensa da prefeitura irá divulgar nota esclarecendo a denúncia.

O MPF/MS apresentará relatório nos próximos dias, onde serão expedidas recomendações à direção da Santa Casa e à Secretaria Municipal de Saúde de Corumbá, responsável pelo Pronto-Socorro local, indicando medidas de curto, médio e longo prazos, que deverão ser adotadas para sanar as irregularidades apontadas.

MPF cobra solução para amenizar calor dentro das salas da UFMS
O MPF (Ministério Público Federal) em Corumbá - município distante 419 Km de Campo Grande recomendou à administração da UFMS (Universidade Federal de...
Boliviana indiciada após tragédia com voo da Chape pede refúgio em MS
A boliviana Celia Castedo Monasterio, indiciada pelo Ministério Público de seu país por ter autorizado o plano de voo da Chapecoense, com saída em Sa...
Hospital Universitário de Dourados alerta para golpe do falso médico
Falso médico estaria agindo em nome do HU-UFGD (Hospital Universitário da Universidade Federal da Grande Dourados) e nesta segunda-feira entrou em co...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions