A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 17 de Janeiro de 2017

07/11/2013 10:45

MPF investiga empresa que extrai minério de ferro em Corumbá

Aliny Mary Dias

Uma mineradora que atua em Corumbá, a 444 quilômetros de Campo Grande, é alvo de inquérito, aberto pelo MPF (Ministério Público Federal), para investigar danos causados pela atividade ao meio ambiente.

Veja Mais
Justiça pede prisão preventiva de agente acusado de matar esposa
Incêndio em lavoura de cana se espalha e atinge acampamento de sem-terra

Segundo o ministério, moradores da Comunidade Antônio Maria Coelho reclamam da degradação de recursos hídricos depois que a mineradora se instalou na cidade e praticou a extração de minério de ferro.

A empresa Mineração Corumbaense Reunida (Vale) pediu licença no ano passado para expandir 138,6% as atividades na região. Com o pedido, a retirada de minério aumentaria de 4,4 milhões de toneladas para 10,5 milhões. O Ibama (Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis) analisa o pedido.

Apuração - Em agosto de 2013, o MPF se reuniu com moradores da comunidade. No encontro, os habitantes destacaram a falta de água como fator crítico no local. Segundo relatos, o córrego Piraputanga, que abastecia a região, secou com o início da mineração e a comunidade tem encontrado dificuldades para armazenar a água fornecida em carros-pipa.

Os moradores ressaltaram que o líquido, quando retirado da cisterna, chega contaminado de minério e que o abastecimento, feito duas vezes ao dia, não tem tratamento adequado, apresentando coloração avermelhada nos dias chuvosos.

De acordo com o MPF, é necessário que o novo licenciamento ambiental preveja compensações que minimizem não só os danos ao meio ambiente, mas também aqueles sofridos pela comunidade.




É triste mas verdadeiro, o que acontece com as pessoas, não importa as grandes
empresas.
 
Mirella Forti Cossignani em 07/11/2013 12:39:50
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions