A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 06 de Dezembro de 2016

17/06/2014 15:19

MPT acusa Fibria de irregularidades trabalhistas e quer pagamento de R$ 20 mi

Caroline Maldonado

A fábrica de celulose Fibria, que tem indústria em Três Lagoas, município distante 338 quilômetros de Campo Grande, está na mira do MPT (Ministério Público do Trabalho). O órgão quer que a empresa seja condenada a pagar R$ 20 milhões por irregularidades trabalhistas.

Veja Mais
Gigante da celulose acusa concorrente de copiar tecnologia em Três Lagoas
Fibria avalia instalação de mais uma fábrica em Mato Grosso do Sul

Após uma denúncia, o MPT iniciou investigação e afirma ter comprovado a existência de empresas de pequeno e médio porte contratadas para as atividades da Fibria, além de precarização das condições de trabalho dos empregados contratados para as atividades de silvicultura, viveiros e colheita, em Três Lagoas.

Segundo o MPT, os empregados terceirizados não têm os mesmos direitos e benefícios concedidos aos empregados contratados diretamente pela empresa.A investigação aponta também remunerações diferentes para trabalhadores que executam as mesmas funções, além de prorrogação da jornada, limitação de intervalos e ausência do cômputo das horas de percurso.

Na ação, o MPT pede a concessão de liminar para que, no prazo máximo de 180 dias, sejam contratados empregados para a execução das atividades de florestamento e de reflorestamento de madeira de eucalipto para a produção de celulose, sob pena de multa diária de R$ 100 mil. Caso a empresa seja condenada pela Justiça, o MPT quer ainda que os atuais contratos com previsão de prestação de serviços sejam rescindidos, no prazo de até 180 dias, sob pena de multa diária de R$ 50 mil.

O Campo Grande News tentou contato com a diretoria da Fibria para ouvir o posicionamento da empresa quanto a acusação, mas aguarda retorno da assessoria de imprensa.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions