A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 11 de Dezembro de 2016

20/11/2011 10:03

Após morte de líder indígena, clima na cidade é como se nada tivesse acontecido

Paula Maciulevicius

Dois dias após sumiço do líder guarani-kaiowá, população segue na rotina e os comentários, em geral, são de crítica aos índios.

“Para nós é normal, porque os indígenas fazem horrores”, falam moradores. (Foto: João Garrigó)“Para nós é normal, porque os indígenas fazem horrores”, falam moradores. (Foto: João Garrigó)

Entre moradores da região que foi palco do ataque a um acampamento indígena, na última sexta-feira, o clima é de normalidade.Dois dias depois do líder Nisio Gomes desaparecer, as conversas com quem vive na cidade revelam pouca ou nenhuma preocupação com que, segundo os índios foi um ataque com vários homens armados.

Em meio à população, o que se escuta é “eu ouvi falar”, “fiquei sabendo hoje” Diante do relato dos índios, de que o líder foi executado e corpo levado pos pistoleiros, a reação é de indiferença. “Para nós é normal, porque os indígenas, todo mundo sabe que eles bebem, fazem horrores, se acampam desse jeito e ninguém gosta. Se eles tem aldeia, tinha que ficar lá, ninguém gosta de ser invadido”, declara a jovem Bruna, 22 anos.

Enquanto o clima no acampamento entre as fazendas Querência Nativa e Ouro verde, quase na divisa dos municípios de Aral Moreira e Amambai, é de insegurança entre as vítimas do atentado ocorrido na última sexta-feira, os depoimentos colhidos pelo Campo Grande News revelam um grau de intolerância com a presença dos índios.

Segundo relatos de moradores a cidade de Amambai foi “tomada” por indígenas. “Está cada vez mais invadida e a gente é obrigado a aceitar. O que se pode fazer mais?”, comenta Rosenildo Pereira, de 32 anos.

A explicação para os relatos do casal acima vem dos benefícios que, segundo eles, são concedidos aos indígenas. De acordo com eles, os guarani-kaiowá têm desde atendimento preferencial em hospitais até ajuda de custo do governo para construção de moradias.

“Você chega no hospital com uma criança passando mal e o indígena que está com um corte causado numa briga entra primeiro. Vai nas aldeias para se ver, estão quase chegando na cidade e com casas boas. Tudo é o governo que dá. A gente que trabalha como eu trabalho mal tem uma motocicleta para andar”, desabafa o casal.

O senso comum de que índio não produz também é citado. “Eles reclamam, aí entram em uma fazenda produtora e tomam. Querem terra, mas não fazem nada. Vem até a cidade para comprar tudo. Porque vai tirar de quem está plantando e produzindo sendo que eles não vão produzir nada?” questiona Bruna.

A posição que os moradores ouvidos adotam é baseada em históricos de brigas e confusões na cidade de Amambai, que, pelos testemunhos, parece ser algo comum.

“Fiquei sabendo por terceiros. Morreu um, morreu cinco ou seis”, diz um morador.

“Índio em cemitério vai ter em todo lugar, se for assim, eles sempre vão dizer que as terras são deles”. (Foto: João Garrigó)“Índio em cemitério vai ter em todo lugar, se for assim, eles sempre vão dizer que as terras são deles”. (Foto: João Garrigó)

Pessoas como Rosenildo até procuraram a notícia nos veículos locais, mas não encontraram. “Eu olhei depois que me falaram, mas não achei nada. E tudo o que acontece sai, mas não tinha, eu não achei. Então alguém por trás disso deve ter”, sugere.

O mesmo foi vivenciado pelo aposentado Ramão Moreira, de 63 anos, que soube apenas ao ver o caso em noticiário nacional.

“Vi no jornal agora uma parte falando, eu não estava aqui na cidade, então não sei o que falar, só pelo que vi na TV”, comenta.

Seo Ramão está há quase 50 anos na região e desde que chegou conhece a área ocupada pelos índios como produtora de erva-mate. Ele conta que a propriedade tinha cerca de 8 mil hectares e abrigava muitos trabalhadores, mas com o fim da produção de erva, a fazenda passou a viver da pecuária. Mais tarde o dono, um advogado, morreu e a terra foi dividida entre herdeiros, segundo conta.

A terra onde estão acampados cerca de 60 guarani-kaiowá está com o relatório de identificação como território indígena em fase de conclusão.

“Eles dizem que foi um cemitério de indígena ali. Índio em cemitério vai ter em todo lugar. Aqui mesmo tem um desativado que acho que tem um ou mais, se for assim, eles sempre vão dizer que as terras são deles”, argumenta Ramão.

Tragédia anunciada?-Antes do sumiço nesta sexta-feira, o líder Nisio já vinha sofrendo ameaças, segundo a comunidade. Quanto aos possíveis mandantes, os testemunhos são claros.

“Eu não tiro a razão. Governo e Funai não fazem nada. Daí os fazendeiros contratam pistoleiros que sentam e dibuiam enquanto a Justiça demora. Só que cada um tem o seu direito”, acrescenta um caminhoneiro da região.

“Vai se complicar se não tomar uma providência. Mais índio vai morrer. Chama a Polícia Federal que intervem para proteger de um confronto entre indígenas e fazendeiros e só”, acrescenta.

Atentado - Segundo informações do CIMI (Conselho Indigenista Missionário), pelo menos 40 pistoleiros estariam envolvidos no ataque. Segundo o relato dos que estavam no acampamento, Nísio foi executado com tiros de calibre 12. Ainda conforme informações do órgão, os homens estavam com máscaras, jaquetas escuras e pediram para todos deitarem no chão durante o ataque.

De acordo com a comunidade, o líder indígena foi executado em frente ao filho, que ainda tentou impedir e foi contido com tiros de bala de borracha. De acordo com o Cimi, a ação dos pistoleiros foi respaldada por cerca de uma dezena de caminhonetes – marcas Hilux e S-10 nas cores preta, vermelha e verde. Os índios contaram que na caçamba de uma delas o corpo do cacique Nísio foi levado.

Os indígenas ocuparam a área onde aconteceu o conflito há cerca de 15 dias e já vinham recebendo visitas da Funai e da Polícia Federal. Ainda assim, como vem acontecendo em outras áreas em conflito, isso não tem sido suficiente para coibir as agressões realizadas por homens armados a serviço dos fazendeiros da região, reclama o movimento.

Mesmo com o episódio, indígenas já afirmaram que vão permanecer no acampamento.

A comunidade vive na beira de uma rodovia estadual antes da ocupação do pedaço de terra no tekoha Kaiowá, aponta o Cimi. O acampamento atacado fica na estrada entre os municípios de Amambai e Ponta Porã, perto da fronteira entre Brasil e Paraguai.

Motorista embriagado atropela ciclista e foge sem prestar socorro
Guinovaldo Aguiar Gama, de 53 anos, foi preso em flagrante depois de ter atropelado um ciclista na região central de Itaporã, 227 quilômetros de Camp...
Rapaz foge de policial a paisana e abandona mochila com 18 kg de droga
Homem fugiu deixando uma mochila com 18 quilos de maconha, depois de ser abordado esta manhã (10) por um policial a paisana na rodoviária de Ponta Po...
Marido agride mulher e tenta se enforcar em seguida, mas vai preso
Depois de agredir a esposa, de 45 anos, homem de 26, tentou se enforcar, mas acabou preso, esta noite (10) em Vicentina, a 255 quilômetros de Campo G...



isso nao e justo os indigenas tem o direito de pegar as cidades porque as cidades do ms e deles entao se eles resolverem pegar ninguem pode achar ruim !!
 
otavio silva em 21/01/2012 11:54:57
A reportagem que suscita comentários desse tipo merece análise. A perspectiva com a qual trata o assunto parece reforçar, de antemão, a opinião que, aconteça o que acontecer com os índios, a cidade segue seu cotidiano, indiferente. Como perguntas que trazem em si a resposta, fez o jogo do poder e deu espaço ao horror! Lembrem Genivaldo e Rolindo Vera em 2009. Repudiem os crimes contra os Guarani!
 
Célia Silvestre em 22/11/2011 02:08:05
Indio tem q parar de se fazer de vitimas, vivem dando de coitados para que o estado atraves dos impostos de quem trabalha sustentar estes preguicosos que se dizem vitimas. Ja possuem mta terra e nunca estao satosfeitos querendo mais e inviabilizar o crescimento das cidades e campo atraves da improdutividade. Indios verdadeiros tem q morar na amazonia como Xingu,. INDENIZEM OS FAZENDEIROS entao.
 
cesar palmiere em 21/11/2011 12:19:34
Tomemos a visão cristã de ódio(amor) ao próximo, tudo isso, menos respeito e reconhecimento às diferenças.
Mas a visão da menina amambaiense não se generaliza, nem lá nem cá. Ela tem a opinião que ela recebe " sentada na taba de um índio" ( Cazuza) e que é uma tentativa incansável divulgada pela mídia, com discursos detratantes, que é a visão dos detentores do poder: que o índio é vagabundo.
 
Marcílio Dias em 21/11/2011 11:21:20
Só uma coisa a mais,Indios não enterram os corpos de seus parentes em cemiterio fora de suas terras,se existe varios corpos indigenas enterrados no lugar, é porque é terra dos indios,que certamente foi tomada por fazendeiros,quem achar o contrario é melhor procurar saber mais sobre os indios.
 
Lucas da Silva em 21/11/2011 10:50:33
Muitos ai fizera comentários sobre salvação que se conseguiria atrav´s de pariticpação em missas. Desde quando missa salva alguém? fosse assim não haveria tanta pedofilia na igreja. Esse CIMI não quer desenvolvimento dos indios, quer apenas que eles se mantenham coitadinhos que precisam ser protegidos. Querem criar reservas e manter indios como se fosse animais em um zoologico.
 
Roger Santos em 21/11/2011 10:44:45
Será que não existe lei para punir esses criminosos?ninguem anotou a placa dessas caminhonetes para entregar para a policia federal,ou será que o medo desses coronéis"senhores de engenho"impéra no meio desse povo de Amambái.Indio não é animal que se caça e fica por isso mesmo,cade a lei?Não existe?
 
Lucas da Silva em 21/11/2011 10:42:53
Continuando:
Quem falou que tirar vidas é bonito?se gostou tanto,foi parente seu.
branco tbm vende casas doadas pelo governo,assaltos,traficos,drogas ,contrabandos não é feito por indios,e quem é que tem balas de borracha?
agóra me diz não é crime tirar a vida desses,acho que vcs tem que ser mais humanos e ver que branco tbm é muito errado e ninguem sai por ai matando-os,e procure ler mais.
 
Rosa Maria Pacheco em 21/11/2011 10:35:34
O triste é ver a idade dessa tal de BRUNA... 22 anos e falando com esse descaso todo, que bela brasileira pro futuro do país...
 
Carlos Alexandre em 21/11/2011 10:30:01
Quem falou que Indias são liberadas para faser aborto?verifique antes de falar o que não sabe.
Quem falou que indio não trabalha?de onde vem a fruta do serrado que é tão apreciada.
Quem falou que todas essas terras são dos fazendeiros? e o cercado da fazenda que chega cada vez mais para dentro das terras Indigenas.
Quem falou que Indio é veiaco? Quantos brancos são veiacos ,,ou não são?
 
Rosa Maria pacheco em 21/11/2011 10:24:50
Cadê os direitos a propriedade? A proteção de quem paga impostos? Não sou a favor de matar mas, viver em um pais onde nossos direitos são violados é uma forma de incentivo a violência.
 
Carlia Cen em 21/11/2011 10:24:41
a interesse tanto da igreja catolica como do governo federal e ongs estrangeiras em deixar os indios sempre na ignorancia e falta de cultura,é mais facil manipula-los assim...
 
pastor edivaldo neves em 21/11/2011 10:02:00
Me solidarizo com os indios de Mato Grosso do Sul, diante de tais fatos e, como ser humano que sou, e cristão, tento entender o seu sofrimento. Sobre os comentários sórdidos, penso que simplesmente reflete o processo de coisificação humana que desumaniza cada dia mais as classe minoritárias. Do que adiantou para a civilização humana 3 mil anos de "Não Matarás"?.
 
Flávio Malaquias em 21/11/2011 09:37:33
Credo , Bruna. Voce é muito cruel . Vá na Missa rezar.
 
Edson Waldir Gomes Lacorte em 21/11/2011 07:42:27
lendo os comentarios da ate vergonha de ser sulmatogrossense,vc não gostar de índio ate entendo mais agora estar do lado dos bandidos ou achar bom a violência não importa quem seja ninguem tem o direito de tirar a vida de ninguem seja ele quem seja índio ,negro ou branco ate onde vai a impunidade ,enquanto o bandido estão soltosnós os trabalhadores de bem vivemos presos com medo de sair de casa .
 
lidiane mira em 21/11/2011 06:22:55
...já q os indios são tão desprotegidos, a única forma de amenisar isso seria a adoção do "irmãozinhos" pelas pessoas q os protegem.
resolveria a problemática e os padrinhos ficariam felizes por ter em casa ou propriedade rural esses "cordeirinhos"!
 
zelandia castilho em 21/11/2011 02:19:24
As terrras indigenas so vão ser dermacadas, quando o orgão FUNAI tirar da lideranças os curruptos BRANCOS que estão lá, eles querem é dinheiro do governo, geverno não, nosso que paga imposto de tudo, ate pta morrer.
 
João Paulo Barbosa em 20/11/2011 12:36:49
Amambai, terra sem lei, terra de traficante, terra de bandidos.
so falto falar isto os ilustres moradores.
 
Antenor Pizolio em 20/11/2011 12:34:19
gente vcs estao defendendo os assassino, e se fossem alguem de sua familia.
ningem fala da brutalidade dos bandidos covardes...
sou chacareiro , e tenho um indigena a 20 anos e nunca vi alteração dele...

 
Jose Paulino em 20/11/2011 12:23:46
INFELIZMENTE NO BRAZIL EXISTEM GRUPOS QUE SÓ TÊM DIREITOS, OBRIGAÇÃO NENHUMA, NO CASO ACIMA OS INDIOS, POIS NÃO PRODUZEM NADA E SÓ SABEM RECLAMAR E VIVER AS CUSTAS DO GOVERNO OU SEJA A NOSSAS CUSTAS QUE PAGAMOS IMPOSTOS. UM EXEMPLO CLARO FOI A RAPOSA SERRA DO SOL, OS INDIOS Q PEGARAM A TERRA DOS FAZENDEIROS ACABARAM COM TD Q ESTAVA SENDO PRODUZIDO PELOS FAZENDEIROS E VOLTARAM PRO LIXÃO.
 
donizete canale em 20/11/2011 12:17:59
O que está em risco não é apenas o direito a propriedade, produzir ou deixar de produzir. Está em risco é o direito à vida! Uma cultura diferente da nossa, com hábitos e costumes e crenças diferentes. Aceitamos hábitos estrangeiros com normalidade e e ainda afirmamaos seram desenvolvidos... Quando se trata da cultura de dos vcerdadeiros donos da terra dizemos que são preguiçosos... Acordem gente!
 
Fabio Lopes de Souza em 20/11/2011 12:11:58
tem muito fazendeiro ak na regiao que se apropriou de terras devolutas, terras sem documentação e etc, por isso que estao com medo, porque se olharem bem atras verao que esta certo....
 
Pedro Antonio em 20/11/2011 12:06:43
pena que nos que pegamos a terra que era deles, a Bruna e o rosenildo nao sabem o que falam, pois tem muito indios trabalhadores assim como tem muito branco sem vergonha.
nao podemos julgar so por serem indios.... é que o tiro nao foi na cabeça dos pais da bruna, rosenildo e tereza....
falta educação e cultura pra esses dai....
 
Carlos Antunes em 20/11/2011 12:04:30
eu tive um amigo assassinado a sangue frio por um indio q foi adotado pelos pais dele,tudo isso pq meu amigo o repreendeu devido a cachacada.eles sao arrogantes e brutais.invadir terra é o q eles sabem fazer melhor,branco pra eles e na machadada,aq em dourados eles mataram um policial e feriram outros num confronto q eles provocaram,o governo federal tem q parar de passar a mao na cabeca deles.
 
paula torres em 20/11/2011 11:59:27
Disse tudo Marcio Ribeiro; e tem mais, dê-lhes uma enxada para ver se querem trabalhar!!! Já estão acostumados a viver sob a proteção do governo!!!!!
 
tereza freire em 20/11/2011 11:52:56
manda eles para o xingu e vamos ver se eles querem ir e como onça pintada todos protegem mas ninguem quer uma em casa...
 
marcio ribeiro de souza em 20/11/2011 11:02:05
Viram só.....
A maior culpa é o sistema adotado por esses últimos governos e sua política.
Estão criando o maior problema para daqui uns 5 anos, vai vendo.
 
Orlando Lero em 20/11/2011 11:01:31
Tratados bem nos hospitais? Os índios? Se a população, se você trata o índio assim porque no hospital seu vizinho ia tratar diferente? Os índio são tratados como BICHOS nos hospitais dessas cidades! E é bem isso que a colga disse, por gente que vai a missa. De certo pensam que vão para o Céu também!
 
Suzana Mores em 20/11/2011 10:50:07
Alguns argumentam que os indios não produzem nada, mas os produtores rurais produzem muito para ser consumido no exterior, soja pra china, boi para a comunidade europeia, mas e o povo brasileiro que come carne a esse preço doido, quando come, oleo de soja a mais de um dolar, governos despreparados para lidar com mazelas sociais ou talvez mantenedores das mazelas para perpetuar o poder.
 
alexandre fontoura em 20/11/2011 10:45:59
Nossa Bruna... que interessante, é assim que você pensa dos seus parentes também? Ou seus parentes não são seres humanos? Porque os índios, eu os conheço, são SERES HUMANOS! Ótima matéria! É bom saber quem é contra os direitos humanos e acha que ASSASSINATO é coisa nornam, não é CRIME!
 
Caroline Maldonado em 20/11/2011 10:27:22
há caros leitores, ja viram indios à missa até o pessoal do CIMI tenho ABSOLUTA CERTEZA QUE ELES TAMBÈM NÃO.eles que querem tanto evangelizar os indios ensine os a crer num DEUS vivo como eu se os bispos tivessem um DEUS vivo nada disso estaria acontecendo,porque DEUS sempre pregou o amor principalmente respeito ,dignidade fraternidade sabe o que é isso? acho que não aprenda tudo isso e passe .
 
josefa fonseca em 20/11/2011 10:12:54
absurdo o que o cimi faz com os indios,ilude tanto que eles nem percebem,o que o cimi deu de real, palpavel pegavel, comivel é o que se come.até hoje nao vi nada nem fiquei sabendo, será que essas camionetes nao e igual aquele caminhao que foi queimado há anos atrás e que a documentaçao estava no nome do CIMI e todo mundo esqueceu, o cimi é tao rico deve ter camionetes de todas as cores preta e,
 
josefa fonseca em 20/11/2011 09:54:56
O estarrecedor disto tudo é ver comentários falando de "índios" como se fosse animais, seres de outro planeta, uma coisa que está ali... é claro que a política indigenista é falha, é claro que tem problemas, que mtos indígenas são viciados em álcool, muitos perderam sua referência cultural (não são brancos, mas já não sabem viver como índios), mas no fim de tudo o que aconteceu foi um assassinato!
 
marcia scherer em 20/11/2011 09:52:55
CONTINUANDO: a partir do seu proprio umbigo. Não sabem nada, não conhecem a realidade dos indigenas e, por isso, taxam todos por meio de estereotipos.
 
carlos barros em 20/11/2011 09:50:33
Quanto aos redatores da matéria, creio que foram muito parciais, pois, so ouviram pessoas que tem uma visao deturpada e com falta de conhecimento sobre os conflitos por terras no Estado. Visão essa que beira ao preconceito. Parabenizo a gde maioria dos comentarios aqui que solidarizam com o ocorrido em Amambai. Quanto aos demais, são também um monte de desinformados, que julgam o proximo a partir
 
carlos barros em 20/11/2011 09:49:31
Sociedade para Povos Ameaçados International (STP-I) suporta as chamadas feitas por delegação dos povos indígenas e sua chamada para as Nações Unidas para convencer o seu governo:
1. 1. To respect the rights of indigenous peoples in accordance with ILO Convention 169 and the UN Declaration on the Rights of Indigenous Peoples and to incorporate these rights into Brazilian law, in particular their right to free, prior and informed consent concerning any decisions affecting their way of life and their environment;
De respeitar os direitos dos povos indígenas em conformidade com o Convênio 169 da OIT e a Declaração da ONU sobre os Direitos dos Povos Indígenas e incorporar esses direitos na lei brasileira, em particular o seu direito ao consentimento livre, prévio e informado sobre quaisquer decisões que afetam seu modo de vida e seu meio ambiente;

2. 2. To ensure full and immediate protection and demarcation of all indigenous areas including those in which previously uncontacted indigenous peoples are living or are believed to live, notwithstanding the pressure brought to bear by commercial concerns and big land owners;
Para assegurar a proteção total e imediata e demarcação de todas as áreas indígenas, incluindo aquelas em que anteriormente povos indígenas não estão vivendo ou se acredita viver, não obstante a pressão exercida por preocupações comerciais e grandes proprietários de terra;

3. 3. To consider and respect the interests of indigenous peoples in all matters relating to the economic development of the Brazilian rainforest
Considerar e respeitar os interesses dos povos indígenas em todos os assuntos relacionados com o desenvolvimento econômico da floresta tropical brasileira

4. 4. To avoid any weakening of the forest protection legislation currently being discussed by the Brazilian parliament;
Para evitar qualquer enfraquecimento da legislação de proteção da floresta a ser discutida pelo parlamento brasileiro;

5. 5. To protect vulnerable individuals against the threat of violence and death, and to hold those responsible to account;
Para proteger os indivíduos vulneráveis contra a ameaça de violência e morte, e para segurar os responsáveis a prestar contas;
 
Sonia Greenhalgh em 20/11/2011 08:47:40
CADE OS DIREITOS HUMANOS............
 
leila martins em 20/11/2011 07:34:00
todos deveriam assistir um documentário q se chama "A SOMBRA DO DELÍRIO VERDE"
ESTE DOCUMENTÁRIO FOI EXIBIDO EM TODOS OS PAIS MENOS NO BRASIL E PIOR AINDA AQUI NO ESTADO PQ SERÁ...NÉ .... Q NINGUÉM TEM INTERESSE EM EXIBIR NA MÍDIA .......O POVO DESTE ESTADO .... NÃO VALORIZA OS SEUS.... É TÃO DIFICIL CONSEGUIR ESTE DOCUMENTARIO..... PQ SERÁ.....NÉ.....Q OS INDIOS NÃO TEM RAZÃO NO ESTADO....
 
leila martins em 20/11/2011 07:33:06
CONVOCO A EQUIPE DO CAMPO GRANDE NEWS PRA VIR AQUI EM AMAMBAI PRA OUVIR GENTE SERIA E COM CONHECIMENTO DE CAUSA E NAO ESTAS PESSOAS QUE FORAM CITADAS NAS REPORTAGENS, NAO SOMOS FIM DE MUNDO NAO, TEMOS CONHECIMENTO E NOS PREOCUPAMOS E SOMOS SOLIDARIOS COM O QUE ACONTECEU, REPUDIAMOS ESTA VIOLENCIA. NISIO E UM AMIGO NOSSO, CONHECEMOS A CAUSA INDIGENA. VENHAM AQUI OUÇAM PESSOAS SERIAS!
 
wilson silva em 20/11/2011 07:10:38
Vejam tanta ignorância... um monte de fazendeiro c/ medo de ficar pobre... e uma cidadezinha robô a merce de tudo que os patrão fazendeiro manda.
 
Belkiz D. Freire em 20/11/2011 06:53:34
O engraçado é que quando eles invadem a terra de quem trabalhou a vida inteira para compra-la e saqueiam destroem e matam os animais nunca sai noticias publicando por que sera em?
Chega de coitadismos... se querem terra trabalhem e comprem uma, eles não são diferentes de ninguem ou sera que são?
 
Lucas Allan em 20/11/2011 06:30:43
Como é triste ver os comentarios destas pessoa infelizes. Vao a missa, dizem que acreditam em Deus. e defendem Bandidos. Amanbai é o fim do mundo! O Ms é o pior estado que ja conheçi.
 
Jessica Aparecida Granja de Araujo em 20/11/2011 05:35:45
Da uma olhada na cara destes cidadãos nas fotos acima...Vê se algum deles teriam a coragem de enfrentar alguém pelo direito a suas terras? São todos covardes e cumplices destas barbárie. As populações indígenas do Mato Grosso do Sul e do Brasil, são provas da resistência histórica que a colonização vêm tentando ao longo dos 500 anos, cobrir a verdadeira história do nosso povo.Que nojo desse estado
 
Barbara Real em 20/11/2011 05:22:36
é um censo comum com moradores que vivem próximos de aldeis, facil pra quem tá na cidade longe de uma aldeia apoiar os índios; mais quem tá perto sabe que são dão gasto, não cumprem ordens, e querem ser sustentados a toda maneira pelo branco, indio ja deixou de ser indio a 100 anos, e agora a culpa é de quem trabalha prover o sustento deles.
 
jorge mendes em 20/11/2011 05:13:18
Será que nao está na hora do CIMI investir na educacao da populacao? Do nada nao vem nada! Quando realizei o documentario a respeito da cultura indigena no MS, apresentado na NDR Alema, na Austria e Suica, fui ameacado de morte por "estar protejendo os indios"...depois de muita conversa e esclarecimentos tive condicoes de finalizar as gravacoes. EDUCAR em vez de JULGAR, pense na imagem do BRASIL!
 
Antonio Eduardo em 20/11/2011 04:40:56
...O negócio é bem maior do q isso, é só observar as área de conflito com indígenas, Raposa serra do sol, Acre, Amambaí...só área de fronteira com terra produtiva na superfície e o que ninguém $abe é o que e$tá embaixo dela! Existe um grande interesse em fomentar conflitos étnicos, grandes conglomerados, indústrias estrangeiras e locais, o q importa é o lucro....Não interessa quem vai morrer!!
 
Antonio Marcos em 20/11/2011 04:23:49
continuando... vendem a casa e entram na fila pra pedir outra e de graaaça. Quem paga??? Nós cidadãos comuns, isso sem falar de outros benefícios... essa porcaria de protecionismo ao povo indígena tem que acabar, o Brasil é um pais miscigenado e todos deveriam ser iguais em direitos e deveres. Meu apoio sim ao povo branco e preto de Amambai.
 
Karla Cavalcante em 20/11/2011 04:08:24
Que comoção com o fato a cidade deveria ter???? Realmente os indígenas têm direitos demais e deveres de menos. Exemplos? Aborto é crime, mas para a mulher preta, mulher branca , mulher japonesa...agora a indígena??Pode fazer quantos quiser porque isso é da cultura dela... Programa de habitação???? Branco , preto tem que comprovar renda e esperar ,indio ganha na hora e dpois vende a terceiros..
 
Karla Cavalcante em 20/11/2011 04:05:06
Parece que o homem deixou de ser o centro do mundo.....

Quanto comentário triste......
Minha dor seria absolutamente a mesma com um branco, negro, mulher, rico, pobre, criança, juiz, prefeito, assassino, bandido, mentiroso, corrupto, estudantes, enfim......

.....ninguém tem o direito de tirar esse processo natural que chamamos de vida......Lamentável...
 
André Knöner Monteiro em 20/11/2011 01:58:59
Submissão.80% das pessoas de Amambai estão submissa aos senhores feudais e coroneis do municipio por isso emitem opiniões discriminatorias e racistas.Quem ousar a falar mal dos "mandantes" de Amambai tem a boca calada a bala.Como fazem com a comunidade indígena.Massacram com sua ira contra os indigenas.Amambai é rota do trafico.Quem é conivente pra isso continuar? Em breve o GAECO chega aí !
 
samuel gomes-Campo grande-MS em 20/11/2011 01:44:57
Parece que todo mundo neste páis vive do dinheiro do governo, programa minha casa , emprestar dinheiro do banco de Brasil para plantar e depois ter a dívida perdoada, dinheiro de graça do BNDES. Na verdade os brancos não querem que os índios se modernizem para terem justificativas. Vejam os Cadiuéus, hoje são fazendeiros e andam de trator e muitos dizem que são "veiacos", talvez por inveja.
 
João Crisóstomo de Campo Grande - MS em 20/11/2011 01:30:25
Meu Deus, como é desolador ler os comentários dessas pessoas. Infelizmente temos em nossa sociedade uma constante desumanização do ser, a ponto de abrigar sentimentos de não pertencimento dessa humanidade, da falta de sensibilidade e respeito pelo outro de uma total indiferença, onde matar e morrer faz parte do cotidiano e do modo de sentir e pensar de todos/as. Criaturas imperfeitas!!!!
 
Ana Maria dos Santos Costa em 20/11/2011 01:04:13
Se voce está se sentindo tão culpado por ter "tomado a terra que era deles", é fácil, suicida!!!!!!!
 
tereza freire em 20/11/2011 01:03:08
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions