A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 03 de Dezembro de 2016

18/07/2015 11:12

No aniversário de 103 anos, Ponta Porã tem entrega de obras e show

Principal cidade da fronteira de Mato Grosso do Sul com o Paraguai e a quinta mais populosa do Estado, Ponta Porã tem 85.421 habitantes

Helio de Freitas, de Dourados
Principal símbolo de Ponta Porã, cuias de chimarrão e de tereré, na entrada da cidade, que completa 103 anos hoje (Foto: Divulgação)Principal símbolo de Ponta Porã, cuias de chimarrão e de tereré, na entrada da cidade, que completa 103 anos hoje (Foto: Divulgação)

Ponta Porã, a 323 quilômetros de Campo Grande, principal cidade da fronteira de Mato Grosso do Sul com o Paraguai e a quinta mais populosa do Estado, comemora neste sábado (18), 103 anos de emancipação. Para festejar a data, a prefeitura programou entrega e lançamento de obras e à noite tem o show “Saudações Pantaneiras”, encontro musical dos artistas sul-mato-grossenses Geraldo Espíndola e Marcelo Loureiro.

Veja Mais
Sesc vai investir R$ 10 milhões para construir unidade na fronteira
Para receber R$ 43 mi, prefeitura acaba com juros de dívidas do IPTU e ISS

A programação de aniversário ocorre no Centro Internacional de Convenções. Nesta manhã, o prefeito Ludimar Novais (sem partido) fez um balanço dos dois anos e meio de administração e lançou novos projetos. Em seguida o prefeito inaugurou o quartel da Guarda Civil Municipal e depois foi para o bairro da Granja, onde entrega ainda nesta manhã o Centro de Educação Infantil Ancelmo Soares, na rua Batista de Azevedo.

“Saudações Pantaneiras” – O show de Geraldo Espíndola e Marcelo Loureiro começa às 20h, no Centro Internacional de Convenções. Considerado uma viagem por canções que ajudaram a construir o imaginário sobre o Pantanal, a apresentação terá Geraldo Espíndola cantando músicas-símbolo, como “Chalana”, Kananciuê e “Trem do Pantanal”, além de canções de sua própria autoria, como “Quyquyho” e “Cunhataiporã”.

O show tem Marcelo Loureiro tocando não só o seu conhecido violão “caliente”, mas a viola caipira de 10 cordas, o boliviano charango e a harpa paraguaia. O evento é tem apoio cultural da Quyquyho Produção, Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul, Secretaria Estadual de Cultura, Turismo, Empreendedorismo e Inovação e Governo de Mato Grosso do Sul.

103 anos de história – De acordo com a Wikipédia, a origem de Ponta Porã começou com a formação de um povoado denominado inicialmente “Punta Porá”, surgido entre os campos de erva-mate. Atualmente a cidade tem o nome de “Princesinha dos Ervais”.

Antes da Guerra do Paraguai, a região era deserta, no interior do Paraguai, habitada apenas por tribos de Nhandevas e Caiuás. Em 1777, segundo informações divulgadas no Wikipédia, uma expedição militar chegou à região para explorar a terra.

O tenente Antônio João Ribeiro, herói da Guerra do Paraguai, chegou em 1862 e se fixou na cabeceira do rio Dourados, atualmente município de Antônio João. No local foi fundada a Colônia Militar dos Dourados, destruída pelo Exército paraguaio durante a Guerra da Tríplice Aliança. Antônio João foi morto no local.

Em 1872, com o fim da guerra, região de Ponta Porã passou a ser possessão territorial brasileira e em 1897 é criado o primeiro destacamento policial. Três anos depois o povoado se tornou distrito de Bela Vista. Em 18 de julho de 1912 foi criado o município de Ponta Porã. O primeiro prefeito, Ponciano de Matos Pereira, tomou posse no ano seguinte.

Fronteira entre Ponta Porã e Pedro Juan Caballero; cidade sul-mato-grossense comemora 103 anos hoje (Foto: Divulgação)Fronteira entre Ponta Porã e Pedro Juan Caballero; cidade sul-mato-grossense comemora 103 anos hoje (Foto: Divulgação)



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions