A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 06 de Dezembro de 2016

10/05/2015 16:45

No dia das mães, pai de meninas abusadas tenta fazer justiça e amigo sai ferido

Antonio Marques

No final da manhã de hoje, dia 10, um caso de justiça com as próprias mãos, em Chapadão do Sul, a 430 km da Capital, não acabou nada bem. Um dos agressores a um acusado de estupro de vulnerável saiu gravemente ferido após sofrer um golpe de canivete, e foi transferido para a Santa Casa de Campo Grande.

Veja Mais
Fiems pede que governo mantenha contratos de incentivos fiscais
Reinaldo chega a Dourados para lançamento e entregas de obras

O sargento da Polícia Militar, Aparecido Mário, relatou que foi chamado para acabar com uma briga entre várias pessoas na esquina das ruas 12 com a 13, na região central da cidade. Ao chegar local conseguiu deter quatro homens que participaram do evento e os conduziu para a Delegacia da Polícia Civil.

Segundo o sargento apurou, quatro homens, que estavam em um veículo, fecharam o auxiliar de funilaria Pedro Henrique Lopes dos Santos, de 25 anos, que estava numa motocicleta, obrigando-o a parar. Em seguida, os ocupantes do carro desceram e começaram a agredir o motociclista.

Porém, um amigo de Pedro Henrique, de nome Fábio Rodrigues Bueno, de 33 anos, que passava no local, ao ver o funileiro em apuros entrou na briga para defendê-lo. Bueno estava armado de um canivete e desferiu um golpe contra Dhiony Souza Santos, de 25 anos. Ferido na região do tórax, próximo da axila, o rapaz foi conduzido para o Hospital Municipal. Devido ao ferimento ser considerado grave, Dhiony Santos foi encaminhado para a Santa Casa de Campo Grande. Até as 16h, ainda não havia notícias sobre sua condição médica.

Estupro de vulnerável – Conforme a Polícia Civil, a briga foi provocada pelo pai de duas meninas, de 9 e 10 anos, que foram abusadas sexualmente e uma teria sido estuprada pelo acusado Pedro Henrique Santos, conforme Boletim de Ocorrência registrado no último dia 1º de maio por Airton Calderia Lima, de 29 anos.

Segundo consta no BO, o auxiliar de funilaria, seria padrasto das meninas e aproveitava da ausência da mãe para cometer abusos. As meninas teriam relatado ao pai, que Pedro Henrique acariciava as partes íntimas das duas e ainda pedia a elas que tocasse em seu pênis. Ainda, de acordo com relatos das menores, elas teriam denunciado os fatos à mãe, que não acreditou nas irmãs.

Ao saber dos fatos, no último dia 1º, Airton Lima foi à polícia e registrou boletim de ocorrência na polícia civil por estupro de vulnerável. O delegado solicitou a realização de laudo médico ao IMOL (Instituto de Medicina e Odontologia Legal) de Cassilândia, que deve chegar à Delegacia de Chapadão do Sul na próxima semana.

Justiça – Mesmo com o caso denunciado, a Polícia Civil só pode pedir a prisão do acusado após o resultado do laudo médico. O pai teria dito aos policiais que já tinha conhecimento do resultado do exame e comprovava que uma das meninas teria sido estuprada por Pedro Henrique.

Por isso, ao vê-lo na rua Ailton e seus amigos decidiram fazer justiça com as próprias mãos e partiram para agredir o acusado. Só não esperavam a atitude do amigo de Pedro Henrique. Após golpear Dhiony Santos, Fábio Bueno fugiu do local.

Na delegacia ninguém foi preso. Fábio está sendo procurado por tentativa de homicídio doloso. Pedro Henrique pode ter o pedido de prisão preventiva decretada se o resultado do laudo do IMOL de Cassilândia comprovar realmente que as meninas sofreram abuso sexual e estupro.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions