A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 03 de Dezembro de 2016

04/06/2011 16:05

Ônibus sofre ataque em aldeia de Miranda e quatro ficam feridos

Aline dos Santos
ônibus foi atacado em aldeia indígena. ônibus foi atacado em aldeia indígena.

Um ônibus escolar foi atacado na noite de ontem na aldeia Cachoeirinha, em Miranda, e quatro pessoas ficaram feridas. O veículo trazia alunos indígenas que cursam o Ensino Médio na cidade.

De acordo com o terena Lindomar Ferreira, as pessoas relataram que foram jogadas pedras para quebrar os vidros do ônibus. Em seguida, foram lançadas garrafas de vidro em chamas.

Segundo ele, quatro pessoas – dois homens e duas mulheres – sofreram queimaduras graves e foram trazidas para a Santa Casa. Uma das vítimas é o motorista.

“Os mais atingidos estavam na parte da frente do ônibus”, relata.

Conforme o Gazeta do Pantanal, os feridos são Laércio Xavier Correia, Rosana de Oliveira Martins, de 29 anos, Lurdivane Pires, de 28 anos, e um adolescente de 15 anos.

Lindomar relata que a terra é disputada com fazendeiros na justiça e o clima de tensão e ameaça é constante. “Não podemos acusar ninguém. Mas o clima é tenso”, enfatiza.

Conforme denúncia do Cimi (Conselho Indigenista Missionário), a polícia de Miranda esteve no local e, segundo os indígenas, autorizou a remoção do veículo sem realizar nenhum tipo de perícia.

A Polícia Civil de Miranda informa que foi ao local, junto com a PM (Polícia Militar), e tirou fotos e recolheu objetos. O motivo do crime será investigado. Uma das possibilidades é rixa entre aldeias.

Os índios lutam pela ampliação da aldeia Cachoeirinha. A portaria do Ministério da Justiça reconhecendo a área indígena é de 2007. Desde então, há uma guerra judicial e diversas ocupações em busca da posse das terras.

No ano passado, o procedimento administrativo de demarcação foi parcialmente suspenso por decisão liminar proferida pelo ministro Gilmar Mendes, do STF (Supremo Tribunal Federal).

A Funai (Fundação Nacional do Índio) chegou a depositar R$ 1,3 milhão em juízo, referente ao valor das benfeitorias. Mas os proprietários não aceitaram o acordo e recorreram. Uma das propriedade em disputa é a fazenda Petrópolis, que pertence à família do ex-governador Pedro Pedrossian. (Matéria editada às 17h para acréscimo de informação)

Índios invadem novamente fazenda de Pedrossian, em Miranda
Outra propriedade também foi invadidaGrupo de aproximadamente 50 indígenas invadiu no início da tarde desta segunda-feira a fazenda Petrópolis, em M...
Justiça determina instalação de rede de esgoto em Nova Alvorada do Sul
A Sanesul e a prefeitura de Nova Alvorada do Sul - cidade localizada a 120 km de Campo Grande - terão que criar no município rede coletora e estação ...



Provavelmente o João Geraldo deve ser latifundiário ou filho de um, para estar defendendo os fazendeiros, seu Ricardo foi brilhante em sua pergunta, QUAL FOI A MOEDA USADA NO PASSADO PARA A COMPRA DESSAS TERRAS? sabemos que existem fazendeiros do nosso estado que no passado "adquiriu" muiiiitasss Hectares de formas nada convencionais.
 
heldo silva em 15/06/2011 09:50:08
É seu ricardo eu acho que você não deveria falar uma barbaridade desta, sem antes saber o que realmente se passa, e quem na verdade é a maior vitima nestes casos.
 
João Geraldo em 08/06/2011 11:30:42
É, dona Jaqueline, realmente é bem plausível que índios armados com pedras epaus ataquem fazendas protegidas por jagunços armados com escopetas calibre 12.
Agora gostaria de ver os títulos de propriedades desses fazendeiros. Qual foi a moeda utilizada quando adquiriram essas terras? Sangue, provavelmente.
 
ricardo tomé em 06/06/2011 07:36:15
O FOGO DO ÓDIO.
De repente, sob as sombras da noite, o ódio de forma covarde ataca as primeiras nações do Pantanal.
Uma ameaça que não acovarda aqueles guerreiros descendentes de homens e mulheres que lutara na guerra do Paraguai para garantir esse pedaço do Brasil e lá nos campos da Itália, durante a II Guerra, para salvar os europeus que fugiam inclusive para cá, em busca de paz.
A honra Terena foi ofendida, mas nao esmorece a luta pelo direito a Terra.
Marcos Terena
 
Marcos Terena em 05/06/2011 12:57:17
Se teve um ataque,foi porque os indigenas os atacaram antes,em suas fazendas pois não há conflito sem motivos ,aldeias mostram seu povo sensivel ,como se fossem um bando de coitados,mas na verdade ficam esperando as coisas cairem do ceu ,e com isso pensam em estrategias de invadir terras que possuem dono,procurando conflitos, onde ocorre os ataques e dizem que nao sabe qual o motivo pelo ataque ao onibos.
 
jaqueline marques rosa em 05/06/2011 09:13:11
Parabéns a todos os oportunistas que defendem a demarcação das terras indígenas.
Conseguiram, enfim, o que queriam. Transformaram o Estado num Velho Oeste.
Vem mais cenas de Bang Bang por aí. Ou alguém acha que os proprietários de terras vão perder suas terras passivamente? O princípio do direito à propriedade foi ignorado, com isso todos os demais princípios estão ameaçados.
 
marly siqueira caramalack em 04/06/2011 06:58:21
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions