A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 10 de Dezembro de 2016

04/11/2014 08:37

Operação do Gaeco fecha Câmara para apurar farra das diárias

Viviane Oliveira
A operação denominada Viajantes foi deflagrada nesta manhã. (Foto: Rio Pardo News) A operação denominada Viajantes foi deflagrada nesta manhã. (Foto: Rio Pardo News)
Um dos alvos da ação é a Câmara Municipal do município, que foi interditada nesta manhã. (Foto: Rio Pardo News) Um dos alvos da ação é a Câmara Municipal do município, que foi interditada nesta manhã. (Foto: Rio Pardo News)

O Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado) e a Promotoria de Justiça deflagraram, na manhã de hoje (4), a Operação Viajantes, em Ribas do Rio Pardo, a 103 quilômetros de Campo Grande. Ao todo, serão cumpridos 14 mandados de busca e apreensão, sendo 13 na cidade e um em Campo Grande. Um dos alvos da ação é a Câmara Municipal do município, que foi interditada nesta manhã.

Veja Mais
Carreta da Justiça realiza 368 atendimentos na terceira etapa do projeto
Condutor abandona veículo carregado com 800 kg de maconha na BR-163

De acordo com o Gaeco, a operação é resultado de investigação conduzida pela Promotoria de Justiça, que apurou irregularidades no pagamento de diárias a vereadores e servidores. Conforme revelou a investigação, os políticos teriam forjado viagens e participação em eventos e reuniões fora do município, para receberem indevidamente valores relativos a diárias.

No mês passado, a Justiça já havia determinado que o presidente da Câmara Municipal suspendesse o pagamento de diárias aos parlamentares, em razão dos indícios de irregularidade. Conforme o órgão, de janeiro a setembro do ano passado, o legislativo teria consumido cerca de R$ 523,4 mil de recursos públicos com o pagamento de diárias, que chegariam ao valor de R$ 750 para cada dia de deslocamento dentro de Mato Grosso do Sul e R$ 1,5 mil para cada viagem fora do Estado.

Ainda foi constatado durante investigação, a existência de gastos excessivos realizados pela Câmara com empresas terceirizadas de publicidade, informática, assessorias contábeis e jurídicas, cujos valores ultrapassam mais de R$ 3,5 milhões.

A operação conta com a participação de 20 policiais militares do Gaeco, dois promotores de Justiça, que estão fazendo buscas em gabinetes e residências de vereadores e servidores da Câmara Municipal, além da sede de uma empresa em Campo Grande.

Carreta da Justiça realiza 368 atendimentos na terceira etapa do projeto
Em oito dias de atendimentos da Carreta da Justiça em Taquarussu - município localizado a 332 km de Campo Grande -, o projeto do TJ-MS (Tribunal de J...
Mesmo algemada, mulher usa isqueiro e coloca fogo em viatura policial
Elaine Cristina da Silva de 37 anos foi presa na noite de ontem (8) em Sonora, distante 364 km de Campo Grande, por porte ilegal de arma. Porém, mesm...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions