A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 19 de Dezembro de 2014

29/03/2012 17:42

Operação investiga 12 por roubo de gado; entre vítimas está pai de Teló

Fabiano Arruda
Policiais se deslocam de barco para operação. (Foto: Divulgação)Policiais se deslocam de barco para operação. (Foto: Divulgação)

Duas pessoas foram presas e outras 12 estão sob investigação da Polícia Civil de Corumbá, que investiga série de roubo de gado na região da Nhecolândia.

Veja Mais
Abate de bovinos registra alta e deixa Estado em segundo no País
Defasagem no rebanho já foi de 3 milhões de cabeças, diz governador

A operação, intitulada de Sinuelo, prendeu um homem com mandado de prisão em aberto desde 2009 e outro por porte ilegal de arma de fogo.

Pelo menos 20 policiais participaram da ação, que teve três meses de investigação. Onze inquéritos foram abertos, segundo o titular do 1º DP (Distrito Policial) de Corumbá, Gustavo Bueno.

Ele destaca que não é possível estimar o número de cabeças de gado roubadas, no entanto, informações de produtores dão conta que 293 animais foram roubados em apenas um dia. Entre as vítimas está o pai do cantor Michel Teló, Aldo Teló, que tem propriedade na região.

Bueno relata que a operação contou com uma embarcação que transportou os policiais pelo rio Taquari, utilizado pelos criminosos como rota para levar o gado roubado.

“Uma das rotas saia das margens do rio Taquari até Porto da Manga. Outra ia até o os portos em Ladário e Corumbá”, explicou.

O delegado destaca a dificuldade de acesso à região. Segundo ele, a embarcação utilizada pelos policiais, de grande porte em que foi montada até cartório, levou 22 horas de Corumbá até a região. “Barcos mais leves demoram até quatro horas”, compara.

“O que facilita para estes criminosos é a dificuldade de chegar ao local”, complementa, acrescentando que pelo menos seis produtores rurais da região foram vítimas. Foram registrados boletins de ocorrência na delegacia.

Conforme o titular do 1º DP de Corumbá, as investigações ouviram testemunhas da região que constaram o roubo de gado. Ele acrescenta que uma das maiores dificuldades neste tipo de crime é o flagrante.

Também participaram da ação a Delegacia Regional do município, além de policiais da Delegacia de Infância e Juventude que auxiliou os trabalhos.

Camapuã - Operação semelhante foi realizada no fim de semana no município de Camapuã, onde policiais do Garras (Delegacia Especializada de Repressão a Roubo a Banco, Assaltos e Sequestros) prenderam quatro pessoas e flagraram os bandidos com um caminhão que transportava cerca de 30 cabeças de gado, de acordo com o delegado Roberval Maurício Cardoso.

Ele conta que a unidade tinha informações sobre a ação do grupo e preparou o flagrante.

O delegado explica que o Garras tem a prerrogativa de assumir inquéritos no Estado que tratam roubos de gado superiores a 50 cabeças, no entanto, que apoia ações semelhantes no interior.

Apesar das duas operações, Cardoso garante que a ação de grupos criminosos no roubo de gado em Mato Grosso do Sul não é grande atualmente. “Desde que desmontamos uma quadrilha grande e bem organizada, há um ano, ‘já sossegou’. Agora com estas operações deve diminuir”, frisou, esclarecendo que em 90% destes casos os crimes acontecem com apoio de funcionários que trabalham nas fazendas.



imagem transparente

Desenvolvido por Idalus Internet Solutions