A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 25 de Fevereiro de 2017

23/10/2014 16:16

Oposição recorre à Justiça para suspender eleição em sindicato de professores

Helio de Freitas, de Dourados
Sede do Sindicato dos Professores de Dourados; oposição pediu anulação de eleição após chapa ser impugnada (Foto: Eliel Oliveira)Sede do Sindicato dos Professores de Dourados; oposição pediu anulação de eleição após chapa ser impugnada (Foto: Eliel Oliveira)

A eleição da nova diretora do Simted (Sindicato Municipal dos Trabalhadores em Educação) de Dourados, a 233 km de Campo Grande, marcada para o dia 3 de novembro, vai se transformar em disputa judicial. Os professores Raphael Ramos Spessoto, Claudiomiro Gomes da Silva e José Aureliano da Silva entraram com uma ação na Justiça pedindo a anulação da eleição e apontam uma série de irregularidades, que segundo eles foram cometidas pela atual diretoria e pela comissão eleitoral criada pelo Simted para organizar o pleito.

Três chapas foram inscritas para a disputa, mas apenas a candidatura da atual vice-presidente do Simted, Cleice Jane Barbosa, foi homologada pela comissão. Uma chapa desistiu de recorrer porque o candidato a presidente ocupa cargo de confiança, mesmo argumento alegado pela comissão eleitoral para a impugnação da chapa de Rafael Spessoto. Ele rebate e acusa a chapa de Gleice de também ter integrante com cargo de confiança na prefeitura.

Os três professores que movem a ação fazem parte da chapa “Democracia, Ética e Luta”, impugnada pela comissão responsável em conduzir a eleição na entidade. Ontem de manhã a chapa fez a última tentativa através de um recurso administrativo, mas a impugnação foi mantida e à tarde o grupo protocolou a ação no Fórum de Dourados, com pedido de liminar suspendendo a eleição. Assinada pelo advogado Waldno Pereira de Lucena, a ação tramita na 4ª Vara Cível.

Na ação eles acusam a atual diretoria do Simted de uma série de irregularidades e aponta que o presidente João Vanderley Azevedo e a vice-presidente Gleice Jane Barbosa agem “por vingança” contra os filiados contrários a ela na disputa pela presidência da Fetems (Federação dos Trabalhadores em Educação de Mato Grosso do Sul), em junho deste ano. Gleice foi derrotada por Roberto Botarelli, que recebeu 70% dos votos.

“As irregularidades são inúmeras: ausência de discussão sobre alteração do estatuto com a categoria, ausência de publicidade das assembleias, teor das atas de assembleias divergente do que foi discutido, as assembleias não são representativas, votaram nas assembleias membros não associados, o processo eleitoral foi alterado a menos e um ano das eleições”, diz trecho da ação à qual o Campo Grande News teve acesso.

Continuam a ação protocolada ontem na Justiça: “O presidente e sua vice, utilizando-se de sua influência, conduziram as alterações de forma fraudulenta, alterando as regras de composição da diretoria nas vésperas das eleições para se beneficiarem, em represália ao grupo minoritário que não apoiou a chapa para eleição da Fetems, encabeçada pela vice-presidente Gleice”.

Ainda conforme os professores que movem a ação, o Simted tem pelo menos 1.700 filiados, mas as assembleias para alteração do estatuto antecipando as eleições foram feitas com 68 membros na primeira e com 26 na segunda, “prova que pouquíssimos tiveram conhecimento das alterações estatutárias realizadas”. A ação pede a suspensão do atual processo eleitoral para a escolha da diretoria que vai presidir o sindicato no triênio 2015/2018, por ter sido iniciado, segundo os autores, com base em alterações feitas no estatuto de forma “fraudulenta”.

O Campo Grande News procurou o presidente do Simted através da assessoria de imprensa, mas até às 15h ele não tinha comentado sobre a ação judicial.

Já a vice-presidente da entidade, Gleice Jane Barbosa, afirmou que o sindicato ainda não foi oficializado sobre a ação, mas negou irregularidade no processo. “A comissão eleitoral impugnou a chapa e eles entraram com recurso. Em assembleia a categoria manteve a decisão da comissão. A chapa teve um mês pra ser montada. O Raphael e outros dois da chapa 3 estavam na direção atual e pelo menos deveriam saber as regras do estatuto. Mas infelizmente não se atentaram e colocaram um professor que cargo de confiança do governo municipal na chapa o estatuto não permite”, afirmou.

Jovem acaba espancado por bandidos ao tentar reagir a assalto em bar
Um jovem de 19 anos foi espancado por bandidos durante um assalto sofrido na madrugada deste sábado (25), em um bar de Três Lagoas (a 338km de Campo ...
Filho é preso em flagrante pela PM após espancar pais idosos
Um homem de 32 anos foi preso em flagrante na madrugada deste sábado (25) após espancar seus pais idosos, de 63 e 61, na região central de Paranaíba ...
Apuração no HR conclui que não houve 'falha ética' em mortes no local
Uma investigação interna realizada pela direção do HR (Hospital Regional) de Ponta Porã - cidade localizada a 323 km de Campo Grande para apurar a mo...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions