A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 08 de Dezembro de 2016

22/03/2013 17:36

Para dar escola a 659 bolivianos, Corumbá gasta R$ 1,4 milhão por ano

Nícholas Vasconcelos
Ensino de alunos bolivianos custa R$ 1,4 milhão para a Prefeitura de Corumbá. (Foto: Divulgação)Ensino de alunos bolivianos custa R$ 1,4 milhão para a Prefeitura de Corumbá. (Foto: Divulgação)

A Prefeitura de Corumbá gasta R$ 1,4 milhão por ano com a oferta do ensino para 659 bolivianos em idade escolar. O valor é arcado pelo município. Cada estudante custa R$ 2.243 por ano e o recurso vem por meio do Fundeb (Fundo da Educação Básica). No total, a rede de ensino municipal tem 17 mil alunos e os alunos extras equivalem a quase 20 salas de aula.

Veja Mais
Vereador é internado após AVC e boatos de morte causam confusão
Dupla é presa e confessa ter matado homem a pedradas e garrafadas

São dois tipos de alunos naturais da Bolívia, aqueles que se deslocam todos os dias do País vizinho e aqueles que vivem em Corumbá, mas que não são naturalizados.

A gerente de gestão de Políticas Educacionais da Prefeitura, Maria Aparecida Dias de Moura, explica que os estudantes bolivianos se concentram nas escolas Eutrópia Gomes Pedroso, que fica na zona rural, e do Caic (Centro de Atendimento Integrado a Criança) Padre Ernesto Sassida, localizado no início da rodovia que dá acesso a fronteira.

De acordo com a gerente, a baixa qualidade na educação faz com que esses meninos e meninas procurem o ensino do lado brasileiro, muitas vezes acompanhados dos pais que procuram trabalho, como garantia de um futuro mais estável.
Esta situação obriga a Secretaria Municipal de Educação a adaptar o sistema de formação dos professores e a principal dificuldade é a língua, já que eles acabam não dominando nem o Português, nem o Espanhol.

“A principal dificuldade é alfabetização, o aluno está entre duas línguas e duas culturas”, disse. Para tentar contornar a situação, os educadores passaram a ter o auxilio de um colega formado em língua espanhola. Esse profissional faz parte do quadro de professores e auxilia os demais com o idioma.

Segundo professores, língua espanhola é a principal dificuldade no ensino. (Foto: Divulgação)Segundo professores, língua espanhola é a principal dificuldade no ensino. (Foto: Divulgação)

A proximidade geográfica da cidade sul-mato-grossense e a boliviana Puerto Quijarro é vista até mesmo na Prefeitura. “Da sala do meu gabinete, eu enxergo a Bolívia e tenho buscado uma relação mais próxima no turismo, na cultura e essa aproximação sem preconceito”, comentou o prefeito Paulo Duarte (PT).

Ele lembra que o brasileiro tem preconceito com o boliviano e o associa a violência, tráfico de drogas e roubo de veículos, mas que há muitos brasileiros que vão para o lado de lá praticar crimes. “Temos um ônus, mas as crianças bolivianas são sempre muito bem recebidas”, explicou.

Duarte questiona a falta de apoio financeiro para custear a educação e também a saúde oferecida aos estrangeiros, já que não há uma compensação pelos custos, incluindo aqueles gerados pelos vizinhos de Ladário. “Somos uma cidade com 105 mil, mas que na verdade tem 150 mil habitantes. Temos buscado é que o Governo olhe e essa situação diferenciada”, explicou.

O prefeito comentou que ele e sua equipe se reuniram com o alcaide de Puerto Suarez para discutir a aproximação, que na opinião dele, se fortaleceu com o repatriamento de carros brasileiros e que estavam no país vizinho.

Integração - Para diminuir as dificuldades causadas pelo idioma e também diferenças sociais, um projeto da Prefeitura e da UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul) promoveu em 2012 um intercâmbio entre os professores.

O projeto de escolas interculturais enviou para a Bolívia professores corumbaenses e para Corumbá educadores bolivianos.

Eles produziram um artigo científico, nas duas línguas, sobre as diferenças entre os países e vivenciaram os sistemas de ensino.




Para a educação, saúde e outras necessidades básicas do ser humano não pode existir fronteiras. A atual gestão de Corumbá está tendo sensibilidade de observar isso com carinho. Parabéns Paulo Duarte e equipe pela bela atenção que vem dando às pessoas.
 
André S. Ferreira em 25/03/2013 09:04:57
Sento-me orgulhoso de ser sul-matogrossense ao ver atitude como a do prefeito de Corumbá, por transmitir à comunidade educativa o sentimento de fraternidade e entendimento con os nossos vizinhos e irmãos bolivianos, obrigado por construir uma sociedade mais justa e tolerante.
++++++++++++++++++++
Me siento orgulloso de ser sul-matogrossense al ver actitud como la del alcalde de Corumbá, por infundir a la comunidad educativa el sentimiento de fraternidad y entendimiento hacia nuestros vecinos y hermanos bolivianos, gracias por construir una sociedad mas justa e igualitária.
 
Daniel Oliveira de Souza em 25/03/2013 03:16:58
Parabéns ao Prefeito de Corumbá, que com menos de 3 meses de gestão é mostra resultados positivos! Administrar é isso: ATITUDE!!!
 
cida guerra em 23/03/2013 23:11:21
Senhores Vereadores de Ladário. Solicito (caso seja permito pela legislação municipal vigente), que proponham "Moção de Agradecimento" ao prefeito de Corumbá, pelo nobre gesto de solidariedade para com a humilde e necessitada população ladarense, a qual, por humanismo e fraternidade, oferece vagas na rede municipal de ensino, além, de atendimento médico-hospitalar de boa e inquestionável qualidade. E ainda, se for possível, que busquem através de parlamentares dos partidos que representam, recursos financeiros que possam ajudar ao Prefeito José Antonio Assad e Faria ressarcir ou amenizar as despesas e prejuizos que os ladarenses causam ao município de Corumba.
 
Manoel Cabral da Costa em 23/03/2013 12:56:34
Parabéns ao prefeito de Corumbá e equipe por terem esse olhar diferenciado e fraternal para com nossos irmãos-vizinhos!
 
Fabio Pellegrini em 22/03/2013 21:28:04
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions