A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 10 de Dezembro de 2016

11/11/2016 12:11

Passeata no dia de greve teve vaia a empresários e protesto contra bancos

Helio de Freitas, de Dourados
Manifestantes em frente a agências bancárias em Dourados (Foto: Helio de Freitas)Manifestantes em frente a agências bancárias em Dourados (Foto: Helio de Freitas)
Passeata percorreu ruas da área central (Foto: Helio de Freitas)Passeata percorreu ruas da área central (Foto: Helio de Freitas)

Um ato público em frente às agências bancárias do Itaú e Bradesco encerrou, por volta de 11h, o protesto do dia de greve geral em Dourados, cidade a 233 km de Campo Grande.

Veja Mais
Em Dourados, dia de greve geral tem passeata pelo centro da cidade
Carreta da Justiça realiza 368 atendimentos na terceira etapa do projeto

Representantes das entidades sindicais que organizaram a manifestação se revezaram no microfone do carro de som que acompanhou a passeata para criticar as medidas do governo “que sacrificam o trabalhador” e defenderam que a conta da crise seja cobrada dos bancos, “os que mais lucram neste país”.

A passeata percorreu vários quarteirões da área central de Dourados. Começou em frente à Praça Antonio João, na Rua João Cândido Câmara, seguiu pela Avenida Marcelino Pires até a Rua Antonio Emílio de Figueiredo, depois retornou pela Joaquim Teixeira Alves até a Rua João Rosa Góes.

Em frente à Aced (Associação Comercial e Empresarial de Dourados), Sindicalistas que usavam o microfone do carro de som lembraram que a entidade apoiou os atos contra a então presidente Dilma Roussef, em 2014 e 2015. Nesse momento, vários manifestantes vaiaram os representantes da associação.

Ensino médio – Alunos de escolas estaduais de Dourados também usaram o microfone para se manifestar durante a passeata e criticaram a proposta de reforma do ensino médio.

“Não vamos aceitar calados, vamos protestar, vamos para as ruas”, disse uma estudante de 17 anos, aluna da Escola Floriano Viegas Machado.

O cineasta e militante de esquerda Onildo Lopes disse que a PEC (proposta de emenda constitucional) que controla os gastos do governo retira direitos dos trabalhadores e não pode passar pelo Senado. “Temos que lutar contra”.

O vereador Elias Ishy, único petista reeleito para a Câmara de Dourados nas eleições deste ano, falou no encerramento do protesto e disse que o eleitor é responsável por todos os políticos que estão no poder.

“Temos que tomar a decisão certa na hora de votar, porque todos os deputados e senadores que lá estão foram eleitos pelo povo. Senão vamos passar a vida inteira protestando nas ruas”, afirmou.

Tucano - Durante o ato sobrou críticas até para o deputado federal Geraldo Resende (PSDB), que foi candidato a prefeito de Dourados no mês passado, mas perdeu para a vereadora Délia Razuk (PR).

“Tem deputado daqui que há poucos dias estava pedindo nosso voto como candidato a prefeito e agora está lá em Brasília votando contra os trabalhadores. Não vamos esquecer disso”, afirmou um dos manifestantes.

O dia de protestos, organizado pela Frente Nenhum Direito a Menos, termina às 14h, com uma aula pública em frente à unidade I da UFGD (Universidade Federal da Grande Dourados), na área central, invadida desde quarta-feira à noite por 240 universitários.

Manifestantes passam em frente ao Fórum (Foto: Helio de Freitas)Manifestantes passam em frente ao Fórum (Foto: Helio de Freitas)
Carreta da Justiça realiza 368 atendimentos na terceira etapa do projeto
Em oito dias de atendimentos da Carreta da Justiça em Taquarussu - município localizado a 332 km de Campo Grande -, o projeto do TJ-MS (Tribunal de J...
Sidrolândia comemora aniversário com 'balada cristã' e jogos do Operário
Sidrolândia - cidade localizada a 71 km de Campo Grande - completa no domingo (11) 63 anos de emancipação e vai receber várias atrações para comemora...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions