A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 09 de Dezembro de 2016

02/09/2013 22:31

Pesquisa realiza levantamento de sítios arqueológicos de MS

Ângela Kempfer
Sítios vão ser revisitados e pesquisados (foto: divulgação)Sítios vão ser revisitados e pesquisados (foto: divulgação)

Uma pesquisa em conjunto entre empresa estatal, universidade e o Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional) está realizando o inventário de 88 sítios arqueológicos de Mato Grosso do Sul, todos reúnem grafismos rupestres.

Veja Mais
Polícia desarticula “família do tráfico” que mandava droga para Goiás
Sem salário e 13º, enfermeiros de hospital particular iniciam greve dia 12

O trabalho é realizado também pela Eletrosul, que mantém em operação a Hidrelétrica de São Domingos, e pela UFGD (Universidade Federal da Grande Dourados). O propósito do trabalho é atualizar e complementar as informações já existentes, além de diagnosticar o estado de conservação desses sítios.

Segundo a arqueóloga da Eletrosul, empresa gestora do trabalho, Luciana Ribeiro, 15 sítios de diferentes bacias hidrográficas foram escolhidos para serem vistoriados. O trabalho, iniciado em março, se estenderá pelo prazo dois anos, entre avaliações em campo e em laboratório.

Os primeiros cadastros dos sítios rupestres de Mato Grosso do Sul foram feitos há cerca de 50 anos, sem o auxílio de recursos tecnológicos. “Hoje temos imagens de alta precisão, GPS e sistemas de identificação”, afirmou a arqueóloga. Segundo ela, boa parte desses sítios está em locais muito visitados e, por isso, as pinturas e gravuras sofreram vandalismo e destruição por agentes naturais. “O recadastramento permitirá que tudo seja reavaliado, permitindo traçar um quadro da situação de conservação e possibilidades futuras de preservação da arte rupestre”, acrescentou.

As figuras encontradas em Mato Grosso do Sul registram a presença de populações que habitaram a região há, pelo menos, 10 mil anos, e que usavam o grafismo em rochas para retratar suas crenças e atividades cotidianas como a caça.

Publicação - O Projeto de Pesquisa de Arte Rupestre resultará numa publicação com todas as informações resgatadas da história local. “É uma maneira de preservar e educar as gerações futuras sobre a necessidade de preservação desse patrimônio e de outros sítios que apresentam perigo iminente de destruição parcial ou total”, explicou o técnico em arqueologia do Iphan-MS, Divaldo Sampaio.

Segundo o arqueólogo coordenador do projeto e professor da UFGD, Rodrigo Aguiar, um dos mais importantes e antigos sítios de Mato Grosso do Sul, em Alcinópolis (390 quilômetros da capital Campo Grande), será um dos locais visitados durante a pesquisa. A cidade possui o maior conjunto de sítios até então catalogados no Estado, o que leva Alcinópolis a reivindicar a alcunha de capital sul-mato-grossense da arte rupestre. Há pelo menos 50 anos, a região vem sendo estudada por causa do vulto histórico.

 

Pesquisa realiza levantamento de sítios arqueológicos de MS
Pesquisa realiza levantamento de sítios arqueológicos de MS



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions