A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 09 de Dezembro de 2016

06/06/2011 17:27

Polícia Civil repassa investigação de atentado a ônibus à Polícia Federal

Ana Paula Carvalho

Ataque aconteceu na última sexta-feira

Vítimas de atentado a ônibus seguem internadas na Santa Casa de Campo Grande. (foto: João Garrigó)Vítimas de atentado a ônibus seguem internadas na Santa Casa de Campo Grande. (foto: João Garrigó)

A partir dessa terça-feira (07) a Polícia Federal passará a investigar o atentado a um ônibus escolar que transportava indígenas em Miranda, município distante 201 quilómetros de Campo Grande.

O ataque aconteceu na última sexta-feira (03) quando ônibus voltava para a aldeia cachoeirinha. O ônibus seguia na Rua Principal da Aldeia Babaçu, cerca de oito quilômetros do centro urbano de Miranda. No atentado, foi lançada uma garrafa com líquido explosivo no ônibus, que transportava 30 alunos indígenas que cursam o Ensino Médio naquela cidade.

Quatro pessoas sofreram queimaduras graves e estão internadas na Santa Casa de Campo Grande. As vítimas são o motorista Laércio Xavier Correia, Rosana de Oliveira Martins, de 29 anos, Lurdivane Pires, de 28 anos, e um adolescente de 15 anos. A quinta vítima, Nayara Francisco Vitor permanece internada no Hospital de Miranda com ferimentos leves.

Segundo a Polícia Civil, o autor estava escondido na mata, ás margens da estrada em atitude de emboscada. Não está descartada a possibilidade de conflito entre índios, ou mesmo outros conflitos por conta de conflitos de terras.

Cinco testemunhas foram ouvidas pela Policia e o ônibus foi periciado. Foram encontrados vestígios de explosivos. As pedras que estavam no ônibus, segundo testemunhas, foram lançadas pelos passageiros que conseguiram sair, no objetivo de quebrar os vidros para facilitar a saída dos outros.

Conflito- Os índios lutam pela ampliação da aldeia Cachoeirinha. A portaria do Ministério da Justiça reconhecendo a área indígena é de 2007. Desde então, há uma guerra judicial e diversas ocupações em busca da posse das terras.

No ano passado, o procedimento administrativo de demarcação foi parcialmente suspenso por decisão liminar proferida pelo ministro Gilmar Mendes, do STF (Supremo Tribunal Federal).

A Funai (Fundação Nacional do Índio) chegou a depositar R$ 1,3 milhão em juízo, referente ao valor das benfeitorias. Mas os proprietários não aceitaram o acordo e recorreram. Uma das propriedades em disputa é a fazenda Petrópolis, que pertence à família do ex-governador Pedro Pedrossian.

 Polícia Civil repassa investigação de atentado a ônibus à Polícia Federal



Mas que indignção, espero que a policia federal consiga resolver este caso, é um absurdo, que uma briga dessa envolva pessoas que nao tem nada a ver com o conflito, pessoas inocentes que estavam voltando da escola. Que horror.
 
Danielle Correa da Costa Paredes em 07/06/2011 11:08:25
Realmente, é lastimável que as pessoas tomem esse tipo de atitude para "resolver" seus conflitos. E o pior é que, pessoas não relacionadas, que sofrem as consequências. É inacreditável ter notícias deste tipo, em pleno século XXI, onde tudo deveria ser resolvido de forma civilizada. Que tipo de providência as autoridades tomarão para que essa cena não se repita?
 
Karina Yukie em 06/06/2011 10:07:30
Isso não vai dar em nada. Essa luta dos índios está fadada ao fracasso, porque envolve fazendeiros poderosos, coronéis que sempre dominaram a política local. Ninguém, seja polícia federal, ministerio publico e, principalmente a civil, vai bater de frente com essa gente.
O ataque nos remete à época da colonização do estado, onde o que valia era a lei do mais forte, ou seja, fazendeiros chegavam, matavam quem estava no local, e assumia a terra como sua.
 
cristina bezerra em 06/06/2011 07:39:43
Pois é, já chegou ao extremo!! E esses desgovernos que temos????
Falam em gastar bilhões e obras de olimpiadas, etc, usinas... e não consegue resolver esse problema da terra??? Que descaso!!! Todo mundo sai prejudicado nesta história!! Esqueceram que tem gente aqui no Mato Grosso do Sul e não só boi??? Pelo amor de Deus!
 
Gilberto Condra em 06/06/2011 07:10:28
Quanta violência!!!! Por que e para que???? Infelizmente, esse trágico acontecimento, nos remete a violência sofrido pelos negros, muito bem narrado no filme mississipi em chamas. Violência que amedronta e enoja, já que tudo indica que essa, horrenda atitude, foi desencadeada em função de disputa de terra. LÁSTIMA
 
Patricia Maria em 06/06/2011 06:20:46
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions