A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 07 de Dezembro de 2016

14/03/2013 11:14

Polícia prende 12 suspeitos de cobrar R$ 5 mil para fraudar a previdência

Francisco Júnior
Durante operação foram apreendidos vários documentos. (Foto: Umberto Zum, do Tá Na Mídia Naviraí)Durante operação foram apreendidos vários documentos. (Foto: Umberto Zum, do Tá Na Mídia Naviraí)

A Polícia Federal prendeu, na manhã de hoje, 12 funcionários públicos, representantes de sindicatos rurais e advogados durante a Operação Lavoro (trabalho, em italiano). Eles são acusados por praticar fraudes no INSS (Instituto Nacional de Seguridade Social). As prisões aconteceram em Naviraí, Juti e Itaquiraí, cidades da região Sul do Estado.

Veja Mais
Reestruturação em presídio inclui sala para "videoaudiências"
Crescimento populacional eleva repasse federal para 4 cidades de MS

A operação também é realizada em Umuarama, no Paraná. Entres os presos estão advogados, funcionários públicos do INSS de Naviraí, presidentes de três Sindicatos de Trabalhadores Rurais, agenciadores e funcionários de uma financeira.

Além das prisões, os agentes federais apreenderam 15 veículos, quatro motos, uma espingarda calibre 36, dois barcos e R$17 mil reais.

De acordo com a PF, o grupo conseguia aposentadorias rurais para pessoas que nunca trabalharam no campo ou não possuíam o tempo necessário para fazer jus ao benefício. O valor do prejuízo para os cofres públicos ainda não foi divulgado pelos policiais. 

Após obter a aposentadoria, os integrantes do esquema faziam empréstimos consignados na financeira e rachavam entre os envolvidos no esquema. Os investigados cobravam em média R$ 5 mil pela concessão de cada benefício.

Os envolvidos foram proibidos pela Justiça de patrocinar casos perante o INSS e tiveram o sequestro e bloqueio de todos os seus bens. Dois funcionários da previdência social foram afastados das funções.

A Famasul (Federação de Agricultura e Pecuária de MS) informou que os presos são representantes dos sindicatos de Trabalhadores Rurais e não de Sindicatos Rurais daqueles municípios, como a Policia Federal havia divulgado.

 




Enquanto uma corja de malandros frauda a previdência com agilidade, eu, aguardo há 1 ano e meio uma simples certidão por tempo de contribuição para averbar junto à Secretaria de Educação. A cada dia, me solicitam novos documentos e certidões. Acho que só vai ser resolvido quando eu apresentar a certidão de óbito.
 
Hilda França em 14/03/2013 19:36:58
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions