A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 10 de Dezembro de 2016

08/10/2014 10:33

Polícia procura outros 12 suspeitos pelo estupro de menina de 9 anos

Helio de Freitas, de Dourados

A Polícia Civil procura na reserva indígena de Dourados, cidade a 233 km de Campo Grande, os outros homens suspeitos de participação no estupro de uma menina de 9 anos de idade, ocorrido na noite de domingo na aldeia Bororó. Três foram presos na segunda-feira à tarde, mas pelo menos outros quatro teriam participado do crime. Já testemunhas afirmam que 15 homens estavam na casa onde a menina foi violentada, o que torna todos suspeitos, segundo a titular da Delegada da Mulher Rozeli Dolor Galego.

Veja Mais
Menina de 13 anos reage a assalto e é morta a facadas por outra de 17 anos
Polícia suspeita que 15 homens estupraram menina de 9 anos em festa

Ao Campo Grande News, a policial informou nesta quarta-feira que alguns dos acusados que estão sendo procurados foram identificados pela própria vítima, mas apenas pelo primeiro nome. “Testemunhas que voltavam da igreja viram pelo menos 15 homens na casa onde ocorreu o crime. Estamos trabalhando para identificar todos e esclarecer o caso”, afirmou Rozeli. As buscas estão sendo feitas nas duas aldeias, com ajuda de homens da Força Nacional. A criança continua internada em estado grave no Hospital Universitário.

Habitada por índios garani-kaiowá, a Bororó é a mais pobre das duas aldeias que formam a reserva de Dourados e onde ocorre a maioria dos casos de violência entre os índios. Pelo menos 12 mil pessoas moram na reserva de Dourados, que enfrenta graves problemas de alcoolismo, uso de drogas e crimes violentos. A reserva fica a menos de 10 km da cidade.

Ontem à tarde, dois dos três índios que já estão presos pelo estupro da menina foram levados para a Phac (Penitenciária de Segurança Máxima Harry Amorim Costa). Junior Alves Duarte, 19 anos, e Fábio de Souza Irala, 21, confessaram o crime e afirmaram que todos estavam bêbados. Também foi preso um adolescente de 14 anos, levado para a Unei (Unidade Educacional de Internação).

Os índios contaram que o grupo bebia em uma casa perto da residência da menina, quando decidiram fazer a “feira”, como os guarani-kaiowá chamam o estupro de uma mulher por vários homens. A prática era considerada comum entre os índios até a década de 90, mas tinha sido abandonada na reserva de Dourados. Com os casos mais recentes, a polícia suspeita que alguns índios retomaram a prática, principalmente quando estão bêbados.

Em julho deste ano, a adolescente índia Michele Gonçalves Montanha, de 14 anos, foi estuprada e assassinada por quatro adolescentes e um homem de 28 anos, todos índios. O corpo foi encontrado em uma plantação de milho. Os acusados foram presos.

Polícia suspeita que 15 homens estupraram menina de 9 anos em festa
A polícia investiga a possível participação de até 15 homens no estupro da menina índia de 9 anos de idade que está internada em estado grave no Hosp...
Polícia diz que parente está entre os estupradores de menina de 9 anos
A criança indígena de 9 anos de idade que está internada em estado grave no Hospital Universitário de Dourados, foi estuprada por sete homens durante...
Menina de 9 anos fica em estado grave após ser estuprada por sete homens
Uma criança indígena, de 9 anos de idade, foi estuprada por sete homens na madrugada de ontem em Dourados, cidade a 233 quilômetros de Campo Grande, ...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions