A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 10 de Dezembro de 2016

09/05/2011 17:41

Policial federal e guarda deram versões diferentes sobre confronto com PM morto

Viviane Oliveira
A Polícia afirmou que nada foi encontrado no apartamento de Leonardo que possa caracterizar tráfico de drogas. (Foto: Dourados Agora)A Polícia afirmou que nada foi encontrado no apartamento de Leonardo que possa caracterizar tráfico de drogas. (Foto: Dourados Agora)

Em coletiva de imprensa realizada hoje, a Polícia Civil fala que há duas versões sobre o confronto entre policiais que vitimou Sandro Alves Morel, 36 anos, e deixou dois policiais feridos na tarde de ontem (8) em Dourados, cidade distante 233 quilômetros de Campo Grande.

Durante investigação do Serviço Reservado da PM (Polícia Militar) o policial José Ferreira Souza, 29 anos, e o Policial federal Leonardo de Lima Pacheco, 35 anos, foram baleados.

De acordo com a Polícia, em contatos via MSN na internet, entre uma guarda municipal de 44 anos e Leonardo, os dois conversavam sob codinomes e não se identificaram como policiais, mas sim como suposto traficante e garota de programa.

Sem saber que ambos pertenciam a Polícia foi marcado um encontro. Como interlocutor que falou com a guarda disse se tratar de traficante. Ela acionou a P-2 e foram para o condomínio localizado no Jardim Flórida I.

No local, o policial Federal avistou a convidada pelo olho mágico e abriu a porta. Foi surpreendido pelo policial do Serviço Reservado que deu voz de prisão. Neste ponto, segundo os delegados, surgem duas versões. A guarda disse que Sandro se identificou como policial, já Leonardo nega e da outra versão.

Ele disse para a Polícia, que o PM chegou sem identificação, houve troca de tiros e Sandro morreu atingido por seis tiros. Quando desceu do apartamento se deparou com José. Houve troca de tiros e os dois ficaram feridos. No hospital Leonardo foi autuado em flagrante acusado de homicídio e tentativa.

No apartamento do Policial Federal a Polícia apreendeu um computador, para investigar as conversas através do MSN. Três armas foram apreendidas, duas dos PMs e uma do PF.

Durante a coletiva, a Polícia afirmou que nada foi encontrado no apartamento de Leonardo que possa caracterizar tráfico de drogas, mas as investigações continuam.

Policial Federal atingido em tiroteio em Dourados é identificado
O policial federal, Leonardo Pacheco, foi baleado na tarde deste domingo (8), no apartamento 31, do residencial Indaiá, no jardim Flórida I em Dourad...
Carreta da Justiça realiza 368 atendimentos na terceira etapa do projeto
Em oito dias de atendimentos da Carreta da Justiça em Taquarussu - município localizado a 332 km de Campo Grande -, o projeto do TJ-MS (Tribunal de J...



Queria saber até que ponto essa GM, tem poder de investigar e de prender alguém, penso que ela deveria é tomar conta do transito, dar segurança as crianças das escolas no momento em chegam e saem, creches e orientar as pessoas que chegam em sua cidade, eta, eta guardinha, voce é dose pra leão não botar defeito algum.
 
Carlos Alberto Boeira Barbosa em 13/05/2011 09:15:58
Criticar se aPM 2 investiga? Se sua casa foi roubada, assim conjugado no preterito, vc deve ligar pra P Civil, qual o tel dela? Então até pra assustar seu marido ou filho vc chama a PM. E o pior, vc já chamou pela PF? Nem eu q sou PM. Nós policiais nos desdobramos sacrificando até mesmo a familia por você e vcs nos criticam apenas por fazermos mais que nossas obrigações? Então faça assim a partir de agora: só chame a PM se a coisa estiver acontecendo, se já foi; chame a P. Civil, e se quer resultado pra daqui um ano Chame a P. Federal, O meu é 190 e o deles?
Sangue Azul Petróleo. "MESMO COM O RISCO DA PRÓPRIA VIDA". É só ligar que vamos.
 
Joel Boeri em 13/05/2011 08:44:46
muita babaquice do dois lados, todos pilantras,,, sou p m e en neu tempo da aiva isso nao existia. num eramos idiotas e si honestos
 
josé lima martinss em 10/05/2011 12:21:37
OCORRE QUE NESTE PAÍS A PALAVRA DE UM POLICIAL FEDERAL TEM MAIS VALOR DO QUE QUALQUER PROVA MATERIAL, E ATÉ MESMO DO QUE A PALAVRA DE UM MINISTRO DO STF, SENDO TRATADO COMO O SER MAIS ILIBADO DO UNIVERSO, UMA VERDADEIRA DIVINDADE. CONSEQUENTEMENTE, AS CAGADAS FEITAS POR ESTES SERES, JAMAIS APARECEM. É UMA BLINDAGEM QUE SE SOBREPÕE Á PRÓPRIA JUSTIÇA E AO ESTADO DEMOCRATICO DE DIREITO, DE MODO QUE A POBRE MORTAL GUARDA NÃO TERÁ NENHUMA CHANCE DE VER SUA VERSÃO SER ACEITA POR QUALQUER AUTORIDADE, SEJA ADMINISTRATIVA, JUDICIAL OU LEGISLATIVA. NÃO PERCA TEMPO MINHA CARA; NÓS PM, PC, PRF, DOF, GM, CBM, SOMOS MORTAIS, ENQUANTO ELES ( PFs) SÃO CONSIDERADOS DEUSES IMORTAIS POR TODAS AS ESFERAS DO PODER CONSTITUIDO. INFELIZMENTE ESSA É A REALIDADE !!!
 
rafael amaral em 10/05/2011 12:12:09
Trata-se de uma história muito mal contada com o precípuo escopo de preservar as duas partes, penalmente falando, claro! O fato é que, no final das contas, um bom policial perdeu sua vida em um fato que ainda tem-se muito a esclarecer!
 
Yanke A. Silva em 10/05/2011 12:03:53
É verdade que a atuação da guarnição da PM excedeu sua função. Mas pelo fato de que a P-2 deveria apenas ter levantado informações no local e passado a operação para uma guarnição tática. E esse procedimento deve, realmente, ser apurado para que se padronize a atuação da segunda seção.
Agora, querer limitar a atuação da P-2, apenas em casos internos, é deixar a bandidagem à vontade para "deitarem e rolarem", haja vista que a PM é quem resolve a enorme maioria dos crimes, do dia-a-dia, como "estouros" de bocas de fumo, roubos e furtos de veículos e etc. E tudo isso, é feito com a participação da segunda seção da polícia militar, que, se fosse trabalhar apenas em casos envolvendo policiais militares, não ocorreriam esses desfechos, tão esperados pela população de bem.
A polícia federal só é vista em casos de vulto, o que descarta a hipótese de estarem resolvendo crimes, que no ponto de vista deles, são de menor "potencial ofensivo". E a civíl, pouco se ouve falar, da atuação dela.
 
Guilherme Rodrigues em 10/05/2011 09:29:04
ta tudo errado. essa senhora deveria se ater as sua obrigaçoes, esses p2 por mais que estavam de serviço jamais deveriam agir sem ter certeza dos atos do suposto morador do referido ap. e o pf por mais que tenha agido de forma dura temos que pensar se fosse conosco, o que vc faria se fosse surpreendido por alguem sem farda se dizendo policial? e hora de se pensar se as formas de conduçao da segurança publica esta correta? esse serviço nao seria da policia civil ao inves dos p2 ou talvez em conjunto? reflitam
 
edson silva em 10/05/2011 09:06:55
Essa história mais render muitas estórias.
"Investigação do serviço reservado da PM". A chamada P2 é "treinada" e paga para investigar crimes dos policiais militares - e isso eles não fazem - quando se metem em "investigar" outros crimes, dá essa meleca que vimos.
E o outro policial, estava aonde? E porque levou um tiro na bunda? Se o PF estava com um revólver, como deu 6 tiros em um e mais "meia dúzia" na "bunda" do outro? Seria o famoso revólver dos filmes, que não acaba as balas nunca???
E a tal guardinha? Para se passar por prostituta, em uma conversa de MSN e marcar encontro com um traficante de drogas, deve ter "falado" com ele por vários dias. Qual seria o real interesse dela?
Essa Estória tá mal contada. O morto já se ferrou. Para esse não tem mais remédio... Mas para os atirados, e para a guardinha, vai sobrar... e muito...
 
Ornerbal Alves em 10/05/2011 08:49:44
Caros leitores do Campo Grande News bom dia!

Faço os seguites questionamento a PM, PC e PF:

A GM acionou a PM através do 190 como uma cidadã qualquer ao perceber que se tratava de um possivel traficante aliciando prostitutas em favor de drogas?
Os PM,s foram ao local a serviço por solicitação CIOP's, com intuito de realizar um flagrante?
Então porque foi considerado pela PF que os PM's estavão realizanfo atividades fora de suas atribuições? A PM não tem obrigação de investigar e combater os aliciadores e traficantes que PF deixou entrar pelas Fronteiras deste Pais?

E as pergunta finais:

É comum a PF realizar este tipo de aborgem pela internet nas residencias de seus proprio agentes? A instituição não possui infraestrutura para realizar estas atividade, por isto é necessário o fazer em suas casas?
O agente Leonardo Pacheco estava autorizado pela instituição a se identificar como traficante? A realizar tal encontro em sua residencia?

Com isso deixo minha opnião final:

Foi perdido no dia das Maes um filho, um pai, um amigo e pricipalmente um cumpridor de suas funções. Será que a os Agentes da PF estão acima de qualquer suspeita, ou a instituição está conduzindo este ato grave em acusar quem morreu por falha e não exercicio das suas atribuições, para zelar pelo nome da Policia Federal.
 
Edson de Dourados em 10/05/2011 08:46:29
Quero saber se essa guarda municipal será punida e investigada pela corporação, por tudo isso?
O PF e o PM serão investigados administrativamente. E essa guarda municipal, que se acha polícia????
Faça concurso para polícia.
 
Jose Roberto em 10/05/2011 08:17:26
Só uma dúvida: como que um policial pode dar voz de prisão a uma pessoa, sem nenhuma materialidade. Essa estória está muito mal contada. E se ele deu voz de prisão pro federal, obviamente teria que se identificar. Mas, como bacharel em direito, duvido muito que um policial, que seria condecorado, agiria dessa forma: dar voz de prisão sem materialidade de flagrante. Essa guarda municipal deve ser pressionada a dar a verdadeira versão. Isso que ela falou ai está muito estranho! Então ele deu voz de prisão e depois se identificou como policial? Muito esquisito! E acredito que se o PM tivesse se identificado devidamente, utilizando distintivo ou mesmo carteira funcional, nada disso teria ocorrido.
 
jose roberto em 10/05/2011 07:58:08
Olha essa foi uma ocorrência das mais toscas que existem , primeiro uma guarda municipal que se acha policia , segundo a PM fazendo serviço que não é dela , terceiro nada de droga foi encontrado dentro do ap do PF , essas sucessões de erros resultou na morte de um policial , o que deveria ser feito era o seguinte , se tem suspeita de droga tem que se monitorar o local , saber quem é o seu oponete em potencial , fazer um serviço de inteligente , pois com planejamento se polpa tempo e vidas , os PMs invadiram o local sem saber que no local morava um policial , é por isso que esse tipo de serviço deve ser feito por forças policiais que tem atribuiçoes constitucionais para tal , que são as policias judiciarias ( PF e PC)
 
jose santos em 10/05/2011 07:03:36
uma guarda municipal dando uma de policia, o reservado fazendo investigação, um policial federal metido a "dom juan", pensei que teriam que ser de comportamento exemplar, pois as exigências para passar em um concurso desse não são poucas, essa história da pm investigar deu o que falar a poucos dias, e a guarda municipal fez de tudo, ostensivo, investigatório, etc... todo mundo querendo ser tudo. e a civil que deveria investigar nem apareceu no negocio.
 
jose carlos em 09/05/2011 07:01:33
PERGUNTA:

O QUE QUERIA A GUARDINHA NA REALIDADE PARA TRAVAR UMA CONVERSINHA DESSAS?

Responder essa questão é fundamental para a consciência do morto, do baleado, e das futuras GUARDINHAS que em vez de trabalhar, se enfiam em enrascadas.
 
Orlando Lero em 09/05/2011 06:27:17
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions