A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 06 de Dezembro de 2016

24/09/2014 20:44

Por falta de visibilidade, buscas por desaparecidos em naufrágio são suspensas

Eduardo Penedo e Priscilla Peres, enviada especial a Porto Murtinho

As buscas aos dez turistas paranaenses desaparecidos que estavam no barco-hotel paraguaio Sueño do Pantanal, que virou no Rio Paraguai na tarde desta quarta-feira (24), foram suspensas há pouco por falta de visibilidade. As informações foram repassadas pela assessoria de imprensa da prefeitura de Porto Murtinho. Até o momento foram encontrados apenas os corpos do dono da embarcação Luiz Penayo e de um turista que ainda não foi identificado.

Veja Mais
Pistoleiro executa morador em acerto de tráfico de drogas na fronteira
Boliviana indiciada após tragédia com voo da Chape pede refúgio em MS

Ainda, segundo a assessoria da prefeitura, as buscas serão retomadas amanhã (25), por volta das 6 horas da manhã. Uma equipe do Corpo de Bombeiros de Dourados está sendo deslocada para Porto Murtinho para ajudar nas buscas dos desaparecidos. Dentre esses bombeiros quatro são do grupamento de mergulhadores. Outros quadro de Campo Grande e três de Jardim também participaram das buscas.

Segundo a Polícia Militar, na embarcação estavam 27 pessoas, sendo que 16 eram turistas. Cinco dos turistas conseguiram se salvar. Dez estão desaparecidos é um foi encontrado sem vida boiando no Rio Paraguai. A embarcação contava com 11 tripulantes entre piloteiros, cozinheiros, camareiros. Dos tripulantes oito se salvarão e três ainda estão desaparecidos.

As treze pessoas que conseguiram se salvar do naufrágio tiveram que enfrentar as correntezas do Rio Paraguai a nado para chegar até às margens do rio, onde foram socorridas por populares. Hoje era o último dia de pescaria do grupo que estava no barco-hotel.

O barco é da colônia Carmello Peralta, no Paraguai. O naufrágio foi provocado por um tornado que atingiu a cidade, com ventos acima de 90 quilômetros horários, provocando destruição, como a queda de árvores e o destelhamento de imóveis.

De acordo com o prefeito da cidade Heitor Miranda, vai ser decretado estado de calamidade.

Este foi o segundo acidente do tipo desde ontem, quando uma embarcação afundou no Rio Paraguai, na região do Forte Coimbra, em Corumbá, município a 419 quilômetros de Campo Grande. Duas pessoas morreram.

Tempestade - O naufrágio em Porto Murtinho foi uma das consequências de um tornado que atingiu a cidade, com ventos superiores a 90 km, segundo a meteorologia. Mais de cem árvores caíram e imóveis foram destelhados.

O prefeito da cidade, Heitor Miranda, estava em Campo Grande e foi avisado dos estragos. Ele suspendeu os compromissos aqui e está voltando para Porto Murtinho. Miranda informou que vai decretar estado de calamidade.

Boliviana indiciada após tragédia com voo da Chape pede refúgio em MS
A boliviana Celia Castedo Monasterio, indiciada pelo Ministério Público de seu país por ter autorizado o plano de voo da Chapecoense, com saída em Sa...
Hospital Universitário de Dourados alerta para golpe do falso médico
Falso médico estaria agindo em nome do HU-UFGD (Hospital Universitário da Universidade Federal da Grande Dourados) e nesta segunda-feira entrou em co...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions