A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 05 de Dezembro de 2016

12/09/2015 14:42

Prefeito é condenado a indenizar vítima por ataque de perfil falso no Facebook

Antonio Marques
O prefeito Junior Vasconcelos, de Fátima de Sul, foi condenado a indenizar vítima de perfil falso na Internet (Foto: Reprodução Facebook)O prefeito Junior Vasconcelos, de Fátima de Sul, foi condenado a indenizar vítima de perfil falso na Internet (Foto: Reprodução Facebook)

O prefeito de Fátima do Sul, Eronivaldo da Silva Vasconcelos Junior (PSDB), o Junior Vasconcelos, foi condenado a pagar indenização de R$ 15.760 para uma das vítimas de ataques de ''fakes'' (perfis falsos no Facebook) que, conforme acusação, foram criados por ele para difamar seus adversários políticos, no caso que ficou conhecido como "Fake Júnior''. A decisão foi publicada na edição do Diário da Justiça, no último dia 9.

Veja Mais
Boliviana indiciada após tragédia com voo da Chape pede refúgio em MS
Missão conjunta irá apurar violações de direitos humanos com índios de MS

Conforme o site Fatima Informa, o caso ocorreu em março deste ano, quando o prefeito foi denunciado à polícia e à Justiça. Júnior Vasconcelos teria criado dois perfis com os nomes “Fátima de Souza” e “Roberto Noroy”, que foram usados para postar informações falsas contra seus adversários.

Ao ser denunciado por uma das vítimas do ataque de um dos perfis falso, o prefeito teria tentado driblar à Justiça jogando a culpa da criação dos perfis falsos a um dos servidores da prefeitura, inclusive chegando a demiti-lo. Conforme o site, o prefeito afirmara que o tal servidor teria utilizado das linhas telefônicas da prefeitura, de sua casa, de sua família e até do seu celular particular.

De acordo com a sentença judicial, parece que a tentativa de enganar o Poder Judiciário não surtiu efeito. Mesmo o prefeito tendo indicado o autor das publicações, o magistrado entendeu que ele é o responsavel e culpado. Além da indenização, o prefeito também terá de pagar os honorários advocatícios e as custas da ação.

Ainda, conforme o Fatima Informa, quando o escândalo explodiu houve revolta da população de Fátima do Sul em razão das agressões verbais dos ''fakes'' contra inúmeras pessoas. Vasconcelos Júnior teria ficado apavorado e teria passado a intenção de que nada tinha a ver com o assunto.

Mas, atendendo pedido do advogado da vítima, o juiz Hugo Bonifácio Rausch, da 1ª Vara Cível da Comarca de Fátima do Sul, determinou que as empresas Oi e Vivo fornecessem o número das linhas telefônicas, endereços residenciais, bem como o endereço do IP (Internet Protocol) dos computadores de onde partiram as ameaças do perfil falso cadastrado como 'Fátima de Souza'.

Os dados enviados à Justiça pelas empresas comprovaram que as postagens agressivas foram postadas por computadores e linhas telefônicas da prefeitura de Fátima do Sul, da casa do prefeito, da residência do sogro de Vasconcelos Junior, do celular da esposa do secretário de Educação, do celular particular do próprio prefeito, de um dos seus assessores, e até de municípios próximos.

Boliviana indiciada após tragédia com voo da Chape pede refúgio em MS
A boliviana Celia Castedo Monasterio, indiciada pelo Ministério Público de seu país por ter autorizado o plano de voo da Chapecoense, com saída em Sa...
Hospital Universitário de Dourados alerta para golpe do falso médico
Falso médico estaria agindo em nome do HU-UFGD (Hospital Universitário da Universidade Federal da Grande Dourados) e nesta segunda-feira entrou em co...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions