A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 04 de Dezembro de 2016

06/03/2015 14:05

Prefeitura contrata empresas e médicos para fazer 2.800 cirurgias de catarata

Primeira licitação já foi concluída e duas empresas de Dourados foram habilitadas para fazer mil cirurgias

Helio de Freitas, de Dourados
Hospital dos Olhos, inaugurado recentemente, é uma das empresas privadas credenciadas para cirurgias de catarata pelo SUS (Foto: Eliel Oliveira)Hospital dos Olhos, inaugurado recentemente, é uma das empresas privadas credenciadas para cirurgias de catarata pelo SUS (Foto: Eliel Oliveira)

Duas licitações estão sendo feitas pela prefeitura para contratar empresas e médicos para operar 2.817 pessoas com catarata no município de Dourados, a 233 km de Campo Grande. Para as primeiras mil cirurgias, que serão pagas pela prefeitura, duas empresas já foram credenciadas, conforme edital publicado nesta sexta-feira no Diário Oficial do Município. Os valores que serão gastos nesses serviços não foram divulgados.

Veja Mais
Governo desiste de obra e vai aproveitar estrutura de hospital particular
HU e prefeitura fazem acordo com MPF que prevê 2,8 mil cirurgias de catarata

A licitação das outras 1.817 está em andamento. Esses procedimentos serão descontados do repasse mensal feito ao HU (Hospital Universitário), conforme prevê um acordo firmado com o Ministério Público Federal. De acordo com o secretário de Saúde do município, Sebastião Nogueira, o HU recebeu os recursos, mas não fez as cirurgias, que estão paradas desde 2010.

Primeiras cirurgias – O edital publicado hoje no Diário Oficial do Município informa que as empresas Unimed e Hospital dos Olhos foram credenciadas através de chamada pública e já estão habilitadas para realizar mil cirurgias. A primeira vai fazer os procedimentos no Hospital Evangélico e no hospital a Cassems e a segunda empresa foi inaugurada recentemente na cidade para atendimento de convênios e particulares.

“Agora vamos fazer as consultas para triagem dos pacientes e encaminhá-los para a cirurgia”, informou Sebastião Nogueira ao Campo Grande News. Ele não quis prever data para o início dos procedimentos, mas informou que a parte mais demorada já foi feita.

HU – Para as 1.817 cirurgias que não foram feitas pelo HU nos últimos cinco anos, a licitação ainda está em andamento e o prazo para entrega de documentos de oftalmologistas e clínicas interessados em fazer os procedimentos termina no dia 12 deste mês. Essas cirurgias fazem parte do acordo firmado em novembro do ano passado, na Justiça Federal em Dourados, envolvendo Ministério Público Federal, Defensoria Pública da União, prefeitura, UFGD (Universidade Federal da Grande Dourados) e a Ebserh (Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares), que administra o HU.

“O Hospital Universitário foi contratado para fazer essas cirurgias desde 2010, mas não fez. Um levantamento apontou que existem 1.817 cirurgias de catarata que a UFGD deve para o município. O Hospital Universitário sempre alegava que não tinha médicos, que os aparelhos estavam quebrados e por isso não operava os pacientes. Com o MPF e a Defensoria, fizemos um TAC [Termo de Ajustamento de Conduta] em que a prefeitura ficou com a obrigação de contratar os médicos ou clínicas especializadas, pagar por essas cirurgias e descontar do repasse mensal feito ao HU”, explicou Nogueira.

Mais cirurgias – Nesta semana, o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) se reuniu com o prefeito de Dourados, Murilo Zauith (PSB), para discutir a abertura da estrutura do antigo Hospital São Luiz, para realização de cirurgias represadas em municípios da região.

Após o fechamento do São Luiz, o prédio localizado no cruzamento das avenidas Weimar Gonçalves Torres e Coronel Ponciano passou a ser utilizado por uma clínica particular, que também fechou as portas. O projeto da prefeitura é utilizar a estrutura, com apoio do governo do Estado, para acabar com a fila por cirurgias eletivas. "O Regional é página virada, vamos fazer uma avaliação desses equipamentos e alugar o prédio", afirmou Reinaldo na reunião com o prefeito, confirmando que seu governo desistiu de construir o Hospital Regional, que chegou a ser iniciado em Dourados no fim do governo de André Puccinelli.

Segundo o governador, a construção do hospital seria demorada e onerosa. "A Saúde é uma urgência", afirmou Reinaldo Azambuja. O secretário Sebastião Nogueira disse hoje ao Campo Grande News que já começou a conversar com os proprietários da antiga clínica para tratar da compra dos equipamentos. Não há previsão de quando a unidade será reaberta. “O governador está entusiasmado e vai ajudar o município. Só falta conversar com os atuais inquilinos para a entrega do prédio e aquisição dos equipamentos”.

Sebastião Nogueira, secretário de Saúde de Dourados, disse que vai descontar do repasse do HU o custo de 1.817 cirurgias (Foto: Eliel Oliveira)Sebastião Nogueira, secretário de Saúde de Dourados, disse que vai descontar do repasse do HU o custo de 1.817 cirurgias (Foto: Eliel Oliveira)



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions