A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 06 de Dezembro de 2016

23/07/2014 12:35

Prefeitura intensifica ações de prevenção contra a leishmaniose

Leonardo Rocha

A prefeitura municipal de Dourados irá intensificar os trabalhos de prevenção em combate a leishmaniose, com o objetivo de evitar que se aumentem os casos de pessoas e animais infectados. Para isto, houve uma alteração na estratégia de atuação, com fiscalização mais apurada nos bairros da cidade.

Veja Mais
Pistoleiro executa morador em acerto de tráfico de drogas na fronteira
Boliviana indiciada após tragédia com voo da Chape pede refúgio em MS

O CCZ (Centro de Controle de Zoonoses) terá uma equipe disponível para percorrer os bairros, dando prioridade àqueles que já tiveram casos notificados, seja em cães ou pessoas, para que haja a prevenção. No local, são repassados orientações aos moradores para evitar a doença, assim como ações para sua identificação.

A coordenadora do CCZ, Rosana Alexandre da Silva, explicou que neste caso a ação é diferente da dengue, já que é preciso arrastar móveis, com aplicação de inseticida na área interna e externa dos domicílios. “Os agentes ajudam para que tudo ocorra com tranquilidade”.

De acordo com ela, o objetivo é controlar o volume de casos registrados, que necessita da cooperação da população. Os agentes que vão às residências para o combate à dengue, também realizam a verificação sobre a leishmaniose. “Todos (população) recebem orientação, ninguém está livre sobre isto”.

De acordo com o levantamento do município, foram feitos neste ano 1.879 exames em animais, sendo 397 casos considerados como positivos. Foram registrados quatro casos em pessoas, nos bairros Jardim Santa Maria, Jardim Independência e Estrela Verá. Em 2013, apenas uma pessoa morreu em decorrência da doença, já em 2012 houve dois casos, porém estes conseguiram se curar.

Transmissão – Esta acontece quando fêmeas de insetos flebotomíneos infectados picam cães ou outros animais, que depois picam as pessoas, transmitindo o protozoário Leishmania chagasi. Para os seres humanos existe tratamento com uso de medicamentos, já aos animais a saída é a eutanásia.

Práticas de higiene em quintais, abrigos de animais, assim como aplicação de inseticida, e retirada de matérias orgânicas em decomposição, podem prevenir esta doença.

Boliviana indiciada após tragédia com voo da Chape pede refúgio em MS
A boliviana Celia Castedo Monasterio, indiciada pelo Ministério Público de seu país por ter autorizado o plano de voo da Chapecoense, com saída em Sa...
Hospital Universitário de Dourados alerta para golpe do falso médico
Falso médico estaria agindo em nome do HU-UFGD (Hospital Universitário da Universidade Federal da Grande Dourados) e nesta segunda-feira entrou em co...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions