A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 03 de Dezembro de 2016

27/08/2014 12:46

Prefeitura pede urgência em reparo na ponte sobre o Rio Paraguai

Caroline Maldonado
Barco abriu fenda em um dos pilares da ponte (Foto: Anderson Gallo/Diário Corumbaense)Barco abriu fenda em um dos pilares da ponte (Foto: Anderson Gallo/Diário Corumbaense)

A Prefeitura Municipal de Corumbá, a 419 quilômetros de Campo Grande, emitiu nota, nesta manhã, cobrando imediata ação do Governo do Estado de Mato Grosso do Sul e do DNIT (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes) para o reparo da ponte sobre o Rio Paraguai, na região de Porto Morrinho, que fica a 70 quilômetros da área urbana do município.

Veja Mais
PRF restringe acesso de carros pesados à ponte sobre o Rio Paraguai
Pistoleiro morre baleado durante confronto com a polícia do Paraguai

Um dos pilares da ponte foi atingido por um barco empurrador paraguaio, com carga de farelo de milho, abrindo uma fenda de 20 centímetros. A PRF (Polícia Rodoviária Federal) restringiu o acesso a carretas carregadas com mais de 7 eixos e está no local acompanhando o trânsito.

Segundo a concessionária Porto Morrinho, ontem (26) uma equipe de peritos esteve no local e nesta quarta-feira (27) o local do acidente será vistoreado por peritos de São Paulo, que já estão na cidade. De acordo com o diretor-executivo da Agesul (Agencia Estadual de Gestão de Empreendimentos ) em Corumbá, Luiz Mário Anache, na tarde de terça-feira (26), a fenda já havia diminuído, ficando em quase 19 centímetros.

Em nota, a prefeitura destacou que o estrago causa riscos aos usuários da ponte, além de atingir a cadeia econômica da cidade em diversos níveis, desde o transporte de minério, uma das principais atividades do município, até o abastecimento de produtos de consumo como alimentos. Para a prefeitura, o setor de turismo também fica prejudicado enquanto não há reparo na ponte.

O Campo Grande News tentou contato, por telefone, com a Seop (Secretaria de Estado de Obras Públicas de MS) e com a superintendência regional do DNIT em Mato Grosso do Sul, mas as ligações não foram atendidas, certamente em razão do horário de almoço. 

De acordo com Luiz Mário, a Agesul já comunicou a Seop e o secretário Edson Giroto informou que providenciaria uma equipe para ir até o local do acidente.

Outro caso - A prefeitura lembrou fato semelhante ocorrido em 2011, quando o empurrador Doña Carmen bateu na ponte e a cidade ficou isolada por quase seis horas, com o trânsito interditado.

“Entre idas e vindas de cobrança de responsabilidades para o conserto entre órgãos federais e estaduais, até o final daquele ano, o reparo não havia sido realizado, vindo a se concretizar apenas em 2012”, enfatizou a prefeitura. Na ocasião, o município teve situação de emergência reconhecida pela Secretaria Nacional de Defesa Civil, ligada ao Ministério da Integração Nacional.

Segundo a prefeitura, em 2011, o prefeito Paulo Duarte, então deputado estadual, ingressou com uma ação na Vara de fazenda Pública, do Fórum de Corumbá, cobrando a responsabilidade do Governo do Estado pelos reparos da ponte sobre o rio Paraguai.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions