A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 06 de Dezembro de 2016

29/07/2015 18:27

Presidente da Assomasul critica prejuízo de 26% em repasse do FPM às prefeituras

Mariana Rodrigues
Juvenal Neto (PSDB), a baixa receita verificada nos últimos meses deixa um sinal de alerta para os gestores públicos. (Foto: Edson Ribeiro/ Divulgação)Juvenal Neto (PSDB), a baixa receita verificada nos últimos meses deixa um sinal de alerta para os gestores públicos. (Foto: Edson Ribeiro/ Divulgação)

O FPM (Fundo de Participação dos Municípios), fechou o mês de julho com 26% de prejuízo às 79 prefeituras de Mato Grosso do Sul, em comparação aos valores transferidos em junho pelo governo federal.

Veja Mais
Prefeitura reduz horário de expediente e culpa queda em repasses do FPM
Marcha dos prefeitos quer impedir oscilações do FPM

Segundo a Assomasul (Associação dos Municípios de Mato Grosso do Sul), o prejuízo entre um mês e outro representa mais de R$ 21,5 milhões. Em julho as prefeituras dividiram um total de R$ 61.388 milhões em FMP, enquanto em junho o valor transferido foi de R$ 82.904 milhões.

Para o presidente da entidade, Juvenal Neto (PSDB), a baixa receita verificada nos últimos meses deixa um sinal de alerta para os gestores públicos. “As prefeituras estão falidas e não têm como pagar as contas porque o governo federal cria programas e não indica de onde tirar dinheiro”, diz.

Em comparação a maio, o acumulado dos meses de junho e julho despencou 36%. Segundo as contas da Assomasul, a queda do FPM no mês de junho em comparação a maio foi de 10%, quando o bolão atingiu R$ 92.386 milhões.

Segundo Juvenal, a crise sentida pelas prefeituras nos últimos anos chegou à casa do cidadão. “Está cada vez mais grave e os prefeitos pedem que a reformulação do pacto federativo seja levada adiante no Congresso Nacional”, acrescenta.

Mobilização - Na próxima quarta-feira (5) prefeitos se reúnem em Brasília para participar da “Mobilização Permanente”, organizada pela CNM, a fim de pressionar o governo federal por mais recursos.

O decréscimo registrado no mês atual preocupa os prefeitos, ao mesmo tempo em que reforça a campanha que a Assomasul irá lançar no próximo dia 10, onde as prefeituras prometem fechar às portas em protesto a crise econômica pela qual estão passando.

Os prefeitos darão continuidade a campanha publicitária em seus municípios, com faixas e cartazes explicativos. A ideia é mostrar a responsabilidade de cada ente federado (governo federal, governo estadual e municípios).




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions