A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 08 de Dezembro de 2016

28/09/2014 12:35

Preso acusado de participação na morte de policial militar no Conjunto Oliveira

Viviane Oliveira
A esquerda, Weslei Galvani e Thiago Fernando Leite Santana, de 29 anos, a direita. Os dois são acusados. (Foto: Coxim Agora) A esquerda, Weslei Galvani e Thiago Fernando Leite Santana, de 29 anos, a direita. Os dois são acusados. (Foto: Coxim Agora)

Acusado de participação na morte do policial militar Valdir Antunes de Oliveira, 41 anos, em julho deste ano, em Campo Grande, Weslei Galvani, 28, foi preso na manhã de ontem (27), em um veículo roubado, na Avenida Virgínia Ferreira, em Coxim, distante 260 quilômetros da Capital.

Veja Mais
Jovem participou de latrocínio de PM para pagar dívida com tráfico
Cinco pessoas são atingidas por raio em colheita de cana e uma morre

Em julho, Bruno Aleff Bibiano Cristaldo, 20 anos, foi apresentado pela Polícia como um dos acusados de matar o policial. Ele alegou que participou do crime para pagar uma dívida de tráfico junto com Weslei, um dos comparsas que estava foragido.

Na época a polícia pediu a prisão de Weslei e Max Yuri Coelho Ramos de Faria, 24 anos, também acusado de partipação no crime. O delegado responsável pela investigação, Fábio Peró, explicou que Weslei é o dono do veículo VW Voayge utilizado na fuga dos ladrões. 

Prisão - De acordo com o site Coxim Agora, Weslei havia passado um dos seus cinco nomes falso, quando foi abordado e preso pela Polícia Militar com um veículo VW Gol, roubado, com placas adulteradas de Rondonópolis (MT). O rapaz tinha como passageiro, o comparsa Thiago Fernando Leite Santana, de 29 anos. A Polícia chegou até os dois rapazes através de uma denúncia anônima.

Em revista no carro, foi localizado uma trouxinha de maconha, que pertencia a Weslei. Ele ainda contou que receberia R$ 7 mil para levar o carro roubado até o Paraguai. Os dois foram presos em flagrante e encaminhados para a delegacia. Em checagem no sistema da policia, foi constatado que havia contra Weslei mandado de prisão em aberto por ter participado da morte do policial.

Além de ter confessado participação na morte do policial militar, a polícia levantou também que Weslei tem passagens por roubos a bancos no Mato Grosso. Também foram detidos como batedores, Leonardo dos Santos Metello, 31 anos, e Maurício José Ferreira Vaz, 23 anos. Os dois estavam em um veículo Palio, de cor branca, e são acusados de ir abrindo caminho para Weslei para avisa-lo se havia policia no trecho.

Crime - Por volta das 10 horas da manhã do dia 23 de julho, assaltantes chegaram a pé no estabelecimento Multilar, na Rua das Mansões, no Conjunto Oliveira, em Campo Grande. Na ação, a esposa do policial, uma funcionária, o bebê (filho do policial) e um cliente foram mantidos sob a mira de dois revolveres.

De acordo com a funcionária, a esposa do policial disse aos ladrões que poderiam levar o que quisessem, mas que fossem embora logo porque seu marido estava para chegar. Um deles respondeu que sabia que o marido dela era policial e que estava pronto para o embate. Valdir era proprietário do estabelecimento.

Ele foi baleado quando entrou na loja. O disparo atingiu o peito, perto do coração. Os três homens fugiram a pé e entraram no VW Voyage. Valdir chegou a ser socorrido, mas morreu no HR (Hospital Regional) Rosa Pedrossian. 

Cinco pessoas são atingidas por raio em colheita de cana e uma morre
Um trabalhador rural identificado como Abmael Fernandes dos Santos, de 30 anos, morreu na tarde desta quarta-feira (7) ao ser atingido por um raio en...
Autores de 'arrastão' são presos após perseguição de moto; veja o vídeo
"Desculpem os palavrões, mas há situações em que a gentileza não é prioridade". Assim a Getam (Grupamento Especial Tático de Motos) publicou nesta qu...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions