A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 07 de Dezembro de 2016

09/01/2014 16:36

PRF afirma não possuir câmeras em local de acidente com morte na BR-262

Filipe Prado
Adriana e o marido foram atingidas pela caminhonete, enquanto empurravam suas bicicletas (Foto: Cleber Gellio)Adriana e o marido foram atingidas pela caminhonete, enquanto empurravam suas bicicletas (Foto: Cleber Gellio)

A PRF (Polícia Rodoviária Federal) rebateu as declarações prestadas pelo delegado da Polícia Civil de Terenos, Daniel Rodrigues da Silva, e relatou que não há câmeras no posto e que não recebeu solicitações para fornecimento de imagens. Elas serão utilizadas para apurar o caso, onde uma caminhonete atropelou e matou Adriana Almeida Reis, 37 anos.

Veja Mais
Polícia segue sem pistas de motorista que matou mulher em rodovia de Terenos
Ciclista atropelado em Terenos continua internado em estado grave

De acordo com assessoria de comunicação, o posto da PRF, localizado na BR-262, próximo a Terenos, não possui câmeras de segurança. No entanto, na pista, há dois radares que pertencem ao DNIT (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transporte).

A PRF também afirmou que nenhuma solicitação de imagens foi feita por parte da Polícia de Terenos, mas estão a disposição para fornecer dados e informações para ajudar a esclarecer o caso.

Polícia Civil – Segundo o delegado, eles pediram o fornecimento das imagens, porém, por conta de prazos, ainda não chegou até a PRF.

Ele afirma que há câmeras na BR-262, próximo ao trecho do acidente, mas elas são usadas para multar os motoristas em excesso de velocidade. Caso o dono da caminhonete tenha ultrapassado a mínima no local, eles poderão conseguir imagens do veículo.

O delegado afirma que o caso ainda é primordial, mas ainda não há atualizações sobre o acidente.

Acidente - Adriana e o marido Waldir Alves de Lima, 36, foram atingidos pelo veículo enquanto empurravam bicicletas no acostamento da rodovia BR-262. Na época, a Polícia Militar informou que o motorista poderia ter fugido para outra cidade.

Depois da colisão, o motorista fugiu sem prestar socorro. Um pedaço de um dos faróis e o para-choque da caminhonete ficaram no local do atropelamento.

Waldir sofreu ferimentos graves e foi encaminhado para Santa Casa de Campo Grande. Ele está hospitalizado no setor 2ºC, conhecido por abrigar pessoas em estado grave.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions