A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 08 de Dezembro de 2016

07/08/2013 19:56

Professora de escola pública é agredida em sala de aula por mãe de aluno

Viviane Oliveira

Uma professora de 37 anos foi agredida em sala de aula pela mãe de um aluno na tarde desta quarta-feira (7). O caso aconteceu na Escola Municipal Indígena Presidente João Figueiredo, em Miranda, distante 201 quilômetros de Campo Grande.

Veja Mais
Dupla é presa e confessa ter matado homem a pedradas e garrafadas
Pajero com 5 passageiros sai da pista, capota e “sobe” em poste de energia

De acordo com boletim de ocorrência, a professora relatou que leciona para crianças de 4 a 5 anos e nesta tarde por volta das 14h20 a mãe de um aluno entrou na sala de forma agressiva e começou a dizer palavras de baixo calão na frente das crianças.

Ainda conforme registro policial, em seguida a mulher agrediu a professora com puxões de cabelo, tapas e unhadas.

À Polícia, a professora disse que por causa das agressões teve os óculos de grau danificado e deseja ser indenizada pela agressora no valor de R$ 480. Segundo a vítima, a agressão foi motivada por questões políticas envolvendo a mudança de diretor da escola

O caso foi registrado na Delegacia de Polícia Civil como lesão corporal. 




Tem que indenizar a professora e passar uns dias na cadeia, isso é um absurdo, esta senhora está ensinando as crianças a ser violentas, não pode, por isso que hoje temos crianças de 10 anos assaltando com faca e revolver na rua, o culpa é 100% da criação, os pais acham que os filhos devem ser educados na escola, não meus amigos eles vão na escola para ser alfabetizados, educação, modos e principalmente respeito, vocês tem que dar em casa, ser mãe e pai não é só pagar conta e colocar comida na mesa. Formem cidadãos o país precisa disso e Campo Grande também.
 
MAXIMILIANO RODRIGO ANTONIO NAHAS em 08/08/2013 10:43:08
"Professor" no Japão é a única categoria que não precisa reverenciar autoridades, tampouco reis, pois são considerados e respeitados como superiores, enquanto aqui......
 
Suzi da Costa em 08/08/2013 10:21:26
É esse tipo de "poedeira", que coloca filho no mundo, para virar esses monstrinhos que saem agredindo pessoas pelas ruas. Também com um exemplo desse...
Caro Samuel desculpa, mas tenho que discordar do seu comentário. Hoje, tudo esta mudado, até os índios não são os mesmos. Logicamente, quem teve uma ótima base familiar, regrada a boa educação e civilidade, será um bom cidadão independente da etnia.
Os noticiários nos mostram cada barbárie... praticada por brancos, negros e índios. Atualmente as pessoas, estão carentes de alicerce familiar, escola de QUALIDADE e Deus no coração.
 
Neyde de Oliveira em 08/08/2013 09:49:55
A que ponto chega a estupidez humana e a que situações nossos educadores estão obrigados a suportar...
 
Kaio Gleizer em 08/08/2013 09:46:51
Sra "mãe do aluno" não se surpreenda se num futuro não muito distante seu filho lhe enfiar a mão na cara pois isso é o que ele esta aprendendo hoje, a resolver os problemas no grito e na pancada. Cuidado a sra pode ser alvo.
 
Alex André de Souza em 08/08/2013 09:31:25
Péssimo exemplo deu essa mãe numa absoluta falta de educação e respeito diante de crianças e de seu filho também. Agora esse filhinho já aprendeu e sabe que pode resolver suas questões no tapa também, porque essa mulher lhe ensina a prática da violência. A mãe não deve ser indígena porque a atitude violenta não é hábito nos ensinamentos que nossos velhos ensina, mas sim a prática do amor. Das duas, uma: ou a professora se afasta dessa mãe louca,rude e violenta ou o aluno seja retirado dessa escola. Como a educadora vai justificar a agressão sofrida ante a seus aluninhos? Coitado do filhinho, desse tamanhinho e já pega uma expulsão.
 
samuel gomes-sidrô em 07/08/2013 20:55:13
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions