A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 11 de Dezembro de 2016

15/07/2014 19:58

Professores anunciam greve, mas prefeitura diz que ano letivo recomeça normal

Alan Diógenes
Após rejeitarem a proposta da prefeitura, professores protestaram em frente ao pavilhão de eventos do órgão. (Foto: Hedio Fazan/Dourados Agora)Após rejeitarem a proposta da prefeitura, professores protestaram em frente ao pavilhão de eventos do órgão. (Foto: Hedio Fazan/Dourados Agora)

Mesmo após professores da rede municipal de educação em Dourados, a 233 quilômetros de Campo Grande, recusarem a proposta de reajuste do Executivo e anunciarem greve, a prefeitura da cidade afirmou, em nota, que as atividades serão mantidas, de acordo com o cronograma planejado. Hoje pela manhã, servidores se reuniram em assembleia no Simted (Sindicato Municipal dos Trabalhadores em Educação) e recusaram a proposta da prefeitura que ofereceu reajuste inflacionário de 8,32% para professores e de 6,15% para os administrativos a partir de julho, retroativo a abril.

Veja Mais
Motorista embriagado atropela ciclista e foge sem prestar socorro
Rapaz foge de policial a paisana e abandona mochila com 18 kg de droga

Cerca de 80% dos professores já estão paralisados, e a meta do sindicato é chegar a 100% para semana que vem. A preocupação dos pais dos alunos é que o retorno das aulas após o período de férias escolares está marcado para quinta-feira (17). Mas, de acordo com o site Dourados Agora, segundo a Secretaria de Educação, mesmo com a grave dos professores, haverá aulas normalmente.

A proposta apresentada hoje pela prefeitura não atendeu minimamente a categoria, por isso permanece o estado de greve por tempo indeterminado. Após a assembleia de hoje, os trabalhadores se deslocaram para a frente do Pavilhão de Eventos da prefeitura para realização de um ato público.

Ainda conforme o site Dourados Agora, a greve que foi ocasionada pelas indefinições da administração atual do município de Dourados, que por motivos ainda não explicados, está sob intervenção da Lei de Responsabilidade Fiscal. O governo municipal estourou a folha de pagamento devido o alto número de contratações de pessoal, muitas vezes para atender interesses políticos partidários.

Os professores não receberam nenhum reajuste salarial e Dourados não tem cumprido com a lei nacional do piso que garante R$ 1697,00 para uma carga horária de 40 horas. A categoria reivindica uma política municipal de valorização que eleve gradualmente, em quatro anos, este valor para uma carga horária de 20 horas, como já se aplica na capital. O grupo administrativo também não recebeu nenhum reajuste até o presente momento.

Atualmente existem cerca de 1900 professores na rede municipal de Ensino em Dourados. Desse total, cerca de 700 são contratados, profissionais que não devem aderir a paralisação, por medo de algum tipo de retaliação. São eles que provavelmente darão as aulas para os alunos que retornarem das férias.

Motorista embriagado atropela ciclista e foge sem prestar socorro
Guinovaldo Aguiar Gama, de 53 anos, foi preso em flagrante depois de ter atropelado um ciclista na região central de Itaporã, 227 quilômetros de Camp...
Rapaz foge de policial a paisana e abandona mochila com 18 kg de droga
Homem fugiu deixando uma mochila com 18 quilos de maconha, depois de ser abordado esta manhã (10) por um policial a paisana na rodoviária de Ponta Po...
Marido agride mulher e tenta se enforcar em seguida, mas vai preso
Depois de agredir a esposa, de 45 anos, homem de 26, tentou se enforcar, mas acabou preso, esta noite (10) em Vicentina, a 255 quilômetros de Campo G...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions