A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 05 de Dezembro de 2016

08/06/2011 13:38

Proprietário rural é multado em R$ 10 mil por desmatamento e desvio de córrego

Paula Vitorino

Fazenda teve 6,54 hectares desmatados e rio desviado. (Foto: Divulgação)Fazenda teve 6,54 hectares desmatados e rio desviado. (Foto: Divulgação)

A PMA (Polícia Militar Ambiental) multou em R$ 10 mil o proprietário rural Filisteu Camargo Filho por desmatamento e desvio do leito de córrego em uma APP (Área de Preservação Permanente), em Cassilândia.

Os policiais flagraram na fazenda Campo Alegre a retirada de vegetação da área ao longo da margem de um canal artificial e o desvio do curso d’água do riacho. Ao todo, 6, 54 hectares foram desmatados e desvio de curso d’água atingiu 1.800 mil metros.

Filisteu disse não possuir nenhum dos documentos exigidos pela legislação vigente, que autorizasse tal empreendimento. Além da multa, o local foi embargado e ele notificado a recuperar a área.




Esse homem foi autuado por estar prejudicando o meio ambiente. Louvável a ação da Polícia Ambiental.
O que me tira o sono é tentar entender qual é a diferença entre esse caso e o dos produtores que fizeram exatamente a mesma coisa antes de 2008. O resultado da ação não é o mesmo, dano ao meio ambiente? Por que nossos representantes do legislativo teimam em dizer que o Novo Código Ambiental está correto em ANISTIAR essas pessoas?
Dizer que antes não era crime é absurdo. Oras, se só agora descobriu-se que essas ações desordenadas e indiscriminadas são lesivas, que ao menos esses produtores rurais sejam intimados a reflorestar ou recompor as áreas danificadas, mesmo que a ANISTIA continue para as multas.
Nota: escrevi ANISTIA com letras garrafais para expor que mesmo sem estar na redação oficial da nova lei, é exatamente essa a proposta para os produtores.
 
João Júnior em 08/06/2011 02:13:14
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions