A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 03 de Dezembro de 2016

24/11/2016 09:51

Protesto em avenida pede justiça para mortes de empresários de transporte

Vans, ônibus e pessoas a pé lotam pelo menos cinco quarteirões da Marcelino Pires para cobrar mais agilidade nas investigações

Helio de Freitas, de Dourados
Familiares de vítimas participam do protesto (Foto: Sidnei Bronka/94 FM)Familiares de vítimas participam do protesto (Foto: Sidnei Bronka/94 FM)
Ônibus de turismo foram levados para a avenida (Foto: Sidnei Bronka/94 FM)Ônibus de turismo foram levados para a avenida (Foto: Sidnei Bronka/94 FM)

Pelo menos 20 pessoas a pé e cerca de 300 ônibus, vans e carros fazem na manhã de hoje (24) um protesto no Centro de Dourados, a 233 km de Campo Grande, para pedir justiça sobre os assassinatos de quatro empresários do ramo de transporte de turismo ocorridos em um ano na cidade. Até agora nenhum dos crimes foi esclarecido pela polícia.

Veja Mais
Empresário executado hoje sofria ameaça e tinha sido alvo de atentado
Com destino a São Paulo, jovem é preso com 60 kg de cocaína

Carregando faixas e cartazes pedindo “Justiça” e cobrando atitude da polícia para prender os culpados, comerciantes que atuam no transporte de turismo na segunda maior cidade de Mato Grosso do Sul e familiares das vítimas iniciaram a passeata na Rua Coronel Ponciano e seguiram pela Avenida Marcelino Pires.

Os manifestantes seguem para a sede do MPE (Ministério Público Estadual), onde fazem um ato público para cobrar providências da Promotoria e da segurança pública.

As mortes – Entre setembro do ano passado e o dia 15 deste mês, quatro pessoas que atuavam no ramo de transporte de turismo foram executadas por pistoleiros e até agora a polícia não revelou se há pista dos criminosos.

Na manhã do dia 15, feriado de proclamação da República, o empresário Osvaldo Francisco da Silva, 58, foi morto por pistoleiros na sede da sua empresa, localizada na Rua Toshinobu Katayama, entre Joaquim Teixeira Alves e Onofre Pereira de Matos, na área central. Osvaldo levou seis tiros de pistola calibre 40 – dois na cabeça, um nas costas, um no pescoço e dois no braço e mão direita.

O empresário já tinha sido alvo de um atentado há três meses e sofria ameaças de morte, segundo amigos e familiares. Em agosto deste ano, ele tinha registrado um boletim de ocorrência depois que tiros foram disparados em sua casa, localizada na Rua dos Caiuás, na Vila Esperança, onde a mulher tem uma loja.

Segundo pessoas ligadas ao empresário, que atuava no transporte de turistas para São Paulo e Goiânia (GO), as ameaças contra ele começaram após Osvaldo instalar uma filial em Ponta Porã, na fronteira com o Paraguai.

Em fevereiro deste ano, José Edilson de Morais, 40, proprietário da TM Tur, outra empresa de transporte de turismo, foi morto ao chegar em casa, na rua Natal, na Vila Industrial.

O bandido, encapuzado aproveitou a abertura do portão eletrônico para entrar no quintal e executar o empresário. O pistoleiro chegou a apontar a arma em direção à mulher de José e apertar o gatilho, mas não tinha mais munição.

Em 6 de outubro de 2015, o motorista Alexander Oliveira Silva, 21 anos, morador no bairro Parque Nova Dourados, foi executado a tiros de pistola calibre 7.65 ao transportar funcionários de um hospital, no bairro Terra Roxa.

Antes, em 24 de setembro, Toni Ednaldo dos Santos, 40, conhecido como Toni da Van, foi morto com disparos feitos por arma do mesmo calibre usado na morte de Alexander. Ele conversava com um amigo na sala de sua casa quando o pistoleiro chegou e o matou.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions