A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 04 de Dezembro de 2016

30/11/2013 09:02

Quadrilha rende e agride policiais, explode cofre e foge sem roubar banco

Mariana Lopes
Objetivo era assaltar agência do Bradesco. (Foto: Geraldo Ferreira)Objetivo era assaltar agência do Bradesco. (Foto: Geraldo Ferreira)

Mais de 10 bandidos invadiram, no início da madrugada deste sábado (30), o Pelotão da Polícia Militar de Antônio João, a 279 quilômetros de Campo Grande, e renderam os dois policiais que estavam de plantão. De acordo com a PM, os policiais chegavam ao pelotão, por volta da meia noite, após uma ronda pela cidade, quando foram abordados pelo grupo de assaltantes. Os bandidos algemaram os militares e roubaram todo o material bélico que existia no local.

Veja Mais
Justiça determina instalação de rede de esgoto em Nova Alvorada do Sul
Pistoleiro morre baleado durante confronto com a polícia do Paraguai

Todos os integrantes da quadrilha usavam coletes a prova de bala, máscaras nos rostos e estavam fortemente armados. A ação dos assaltantes no pelotão durou aproximadamente 20 minutos. Neste tempo, os bandidos bateram nos militares, ameaçaram, roubaram dinheiro da carteira deles e os celulares.

O objetivo da quadrilha era assaltar o cofre do banco Bradesco, que fica a aproximadamente 10 quadras do pelotão da PM. Os bandidos ainda cogitaram a hipótese de também render o plantonista da delegacia, que fica ao lado do prédio da Polícia Militar. Mas desistiram da ideia quando os militares falaram que ele era apenas um e se tratava de um policial com idade avançada.

O próximo passo da ação dos assaltantes foi, então, colocar os militares dentro do camburão, ainda algemados, e seguir até a agência bancária, onde explodiram o cofre. “Um deles ficava cronometrando o tempo, o último que eu ouvi foi com 12 minutos”, disse um dos policiais rendidos.

Enquanto os bandidos faziam o assalto, o alarme do banco disparou e os funcionários tentaram entrar em contato com a PM, mas em vão, já que os dois únicos militares de plantão estavam rendidos com a quadrilha.

A segunda alternativa do banco foi acionar a Polícia Civil. O plantonista se dirigiu com a viatura até a agência, mas quando os assaltantes perceberam a aproximação começaram a atirar contra o veículo do policial.

Na mesma hora, ele virou em uma rua e conseguiu despistar os assaltantes. O policial pediu reforço à polícia de Ponta Porã, mas os integrantes da quadrilha ouviram o chamado através do rádio do camburão da PM.

Imediatamente a quadrilha fugiu do local, sem levar o dinheiro do cofre. Mas antes, balearam toda a viatura da PM com os dois policias dentro. Por sorte, nenhum ficou ferido.

Para dificultar qualquer perseguição, os bandidos jogaram cravos na rodovia que liga Antônio João a Ponta Porã, cerca de 30 quilômetros, de acordo com a Polícia Militar.

Segundo um dos militares que foi vítima da ação, o modus operandi da quadrilha é de profissionais. “Nenhum deles tinha sotaque daqui ou da fronteira, todos pareciam paulistas e cariocas”, descreve o militar.

A Polícia Civil de Ponta Porã chegou a ir até a cidade vizinha, mas nenhum suspeito foi preso. O caso será investigado.

Justiça determina instalação de rede de esgoto em Nova Alvorada do Sul
A Sanesul e a prefeitura de Nova Alvorada do Sul - cidade localizada a 120 km de Campo Grande - terão que criar no município rede coletora e estação ...
Médico nega que tenha abandonado pacientes e diz que foi autorizado a sair
O médico Carlos José da Costa Duran, de 41 anos, nega que tenha abandonado o plantão no hospital e maternidade Idimaque Paes Ferreira, o único em Rio...



RODRIGO FERREIRA AINDA NÃO CHEGOU A TANTO EM CORUMBÁ,MAS NÃO VAI DEMORAR. ISSO FOI EM PONTA PORÃ...
 
ARIVALDO PAIVA em 01/12/2013 05:18:30
para a população isso pode ser um cúmulo...mais da uma olhadinha na delegacia de Coronel Sapucaia , Amambai, Ponta Porã ,Antônio João ,Sete Quedas e muitas outras delegacias Fronteiriças pra vocês verem o caos da segurança publica sem falar dos pelotões da policia militar que os comandantes tentam tapar o sol com a peneira ...gente os policiais do nosso estado são verdadeiros HERÓIS [o jogo funciona assim os policiais chutam a bola correm e fazem o gol de cabeça]
 
marcio da silva em 30/11/2013 18:28:47
Adriano. quando o povo vai tomar pulsos firmes , aprende a votar em políticos novos caçando o mandato dos , corruptos que estão seculo no poder?
 
jose carlos em 30/11/2013 17:48:41
Sugestão: Uma mega BASE em Amambai/MS, composta por PM's, PC's, PF's e PRF's. Estrutura de inteligência. Monitoramento da fronteira via satélite 24h, câmeras nas estradas federais e estaduais das fronteiras. Ação diuturna nas "cabriteiras". A BASE além do aparato policial, será composta de condomínio para que os policiais residam com conforto. Estrutura para treinamento físico e técnico, tipo filme americano (FBI). Armamentos corretos e de qualidade. Estrutura toda subordinada aos Ministérios da Justiça e da Defesa, já que é um clamor nacional de combate ao tráfico e ao contrabando de armas. Pode até parecer devaneio, mas, tenho certeza que Aral Moreira, Tacuru, Sete Quedas, Antonio João, Cel. Sapucaia, Ponta Porã, Mato Grosso do Sul e o Brasil, agradeceriam esta tentativa.
 
Alexandre Moraes em 30/11/2013 17:35:15
Isso pq foram à mídia e falar de investimentos na fronteira. O que a população não vê é que não existe Polícia nas cidades de fronteira. São até 3 policiais por dia para cuidar dessas cidades. Não há segurança nas fronteiras, tão pouco segurança para os próprios policiais que trabalham faltando tudo. Os Quarteis da PM geralmente situados bem na linha internacional, é só atravessar a rua e já se está no Pais vizinho. E não para por ai, são totalmente desprotegidos, sem muros, sem segurança alguma. O Governo está brincando de Fazer Segurança. Fatos como esses serão corriqueiros. Pq será que o governo não quer investir pesadamente em pessoal na fronteira? Combater a criminalidade nesses locais é fácil, basta colocar efetivo que a fiscalização vai aumentar. No entanto, há interesses escusos!
 
Renato Soares Layer em 30/11/2013 17:05:55
É ridiculo uma cidade de fronteira seca ter dois Policiais de Plantão por turno... E acontece na maioria das cidades do interior.. Aqui onde eu Moro é dois PM tbem por dia e eles fecham o pelotão pra atenderem as ocorrências.. é um descaso do Governador do estado!
 
Juliano Dias em 30/11/2013 15:54:07
E o descaso do governo com a segurança na fronteira. A população esta à mercê dos bandidos e a policia nada pode fazer, pois está abandonada pelo poder publico. Se não priorizarem a fronteira, a bandidagem vai deitar e rolar. Ainda bem que não mataram os PMs, pois se isso ocorresse, ai sim, o governo ia sentir na pele a revolta da Corporação.
 
Nelson Silva em 30/11/2013 14:17:50
Todas as cidades da fronteira do MS estão nesta situação, o efetivo da policia militar e da civil é ridiculo, os policiais fazem o que é possivel e as vezes até o impossivel, mas a única segurança de verdade é Deus.
 
leandro lima em 30/11/2013 13:41:37
Não vejo a coisa por esse lado, os soldados reféns fizeram oque estavam ao seu alcance, eles protegem muito bem por sinal a cidade de ate 20.000 habitantes. Agora vc quer medir força com dez assaltantes fortemente armados, vc precisaria com margem de segurança no minimo o dobro de soldados para tentar conter e correr com os assaltantes. Segurança do banco é problema do bradesco, nao confundam isso!!!!!! Parabéns soldados PMs de nosso estado, diante de tanto dificuldade vcs são vitoriosos!!!!!!
 
marcos paulo hillesheim hillesheim em 30/11/2013 12:49:14
Quem não sabe que as cidades de fronteira estão desprotegidas, os investimentos só são feitos na capital, por que eles elegem o governador, o resto do estado, é resto. 3 policiais para guardar 10, 12 mil pessoas, é ridículo.
 
William Barbosa em 30/11/2013 12:31:20
Vulnerabilidade das delegacias de policia civil e militar, facilita esses tipo de ocorrência.
 
santos filho em 30/11/2013 11:02:14
Soltaram presos da delegacia de Corumbá e agora isso. A segurança desse Estado nos noticiários é uma, mostrando entrega de viaturas, etc, mas os batalhões e delegacias (com presos!) estão às moscas, principalmente à noite. E os bandidos sabem disso. Entram, rendem os policiais, levam armas, etc... O que é que o senhor governador está esperando para reforçar a segurança nos batalhões e delegacias?
 
RODRIGO FERREIRA em 30/11/2013 11:01:12
É Brasil, por enquanto o que vemos é um blábláblá político eleitoreiro que não resolve nada com relação a saúde, educação e segurança. Quando é que alguém ou algumas pessoas de pulso firme vão tomar uma atitude de verdade, tanto na mudança de leis quanto no investimento adequado pra impedir esse avanço aviltante da criminalidade? Parece que não é nem prioridade nem necessidade.
 
Adriano Magalhães em 30/11/2013 10:45:58
esse não é o primeiro caso a acontecer em cidades de fronteira. 2 policiais militares pra proteger a cidades de interior??? não tem cabimento né!. Mas graças a Deus o policiais sairam ilesos. Nosso governo deveria se atentar mais para cidades de interior que faz fronteira com os países vizinhos. #ficadica#
 
Andre Loveira em 30/11/2013 10:05:36
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions