A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 10 de Dezembro de 2016

23/05/2012 17:20

Quadrilha "vendeu" 200 lotes da reforma agrária em Corumbá e Ladário

Aline dos Santos

As irregularidades foram encontradas nos assentamentos Tamarineiro 2, Paiolzinho, Setenta e Dois e São Gabriel

Conforme a PF, lotes eram arrendados por até R$ 20 mil. Conforme a PF, lotes eram arrendados por até R$ 20 mil.

A operação Gaia, realizada ontem pela PF (Polícia Federal), revelou que 200 lotes em quatro assentamentos de Corumbá e Ladário teriam sido transferidos ilegalmente pelos assentados a terceiros com a conivência do Incra (Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária) e do Sindicato dos Trabalhadores Rurais. O levantamento, ainda preliminar, aponta irregularidades nos assentamentos Tamarineiro 2, Paiolzinho, Setenta e Dois e São Gabriel.

De acordo com o Capital do Pantanal, as investigações apontaram várias irregularidades na cessão dos lotes para fazendeiros, que pagavam entre R$ 3 mil a R$ 20 mil por mês. Outra fraude era a comercialização dos imóveis do programa de reforma agrária, com servidores do Incra e o sindicato formalizando a regularização das transações, muitas vezes, mediante recebimento de propina.

Foi preso um funcionário do sindicato. Conforme o delegado da PF, Alexandre do Nascimento, a presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Corumbá, Divina Rosa da Cruz, a Rosinha do Sindicato, teve sua prisão decretada, porém não foi localizada.

A PF cumpriu 16 conduções coercitivas e indiciamento de outros envolvidos no esquema, incluindo líderes dos assentamentos. Hoje, era esperado que mais duas pessoas prestassem depoimento.

Segundo a polícia, em contrário a regra da reforma agrária, os assentamentos de Corumbá e Ladário, têm sido ocupados por pecuaristas e comerciantes. Os verdadeiros trabalhadores rurais acabam ficando sem a terra.

A operação foi realizada em parceria com o MPF (Ministério Público Federal) e CGU (Controladoria- Geral da União). O nome Gaia é em alusão à divindade que representada a terra na mitologia grega.

São Gabriel - Pivô de uma denúncia de superfaturamento envolvendo o Incra e a família Bumlai, o assentamento foi alvo, recentemente, de denúncia de arrendamento de áreas para fazendeiros de Corumbá. A denúncia foi feita mês passado à PF e MPF.

A negociação da fazenda, que pertencia à família do pecuarista José Carlos Bumlai, foi feita em 2005. A área foi adquirida por R$ 21 milhões, mas segundo o Ministério Público Federal, valia no máximo R$ 13 milhões, R$ 7,5 milhões a menos, conforme perícia.

Carreta da Justiça realiza 368 atendimentos na terceira etapa do projeto
Em oito dias de atendimentos da Carreta da Justiça em Taquarussu - município localizado a 332 km de Campo Grande -, o projeto do TJ-MS (Tribunal de J...
Sidrolândia comemora aniversário com 'balada cristã' e jogos do Operário
Sidrolândia - cidade localizada a 71 km de Campo Grande - completa no domingo (11) 63 anos de emancipação e vai receber várias atrações para comemora...
Mesmo algemada, mulher usa isqueiro e coloca fogo em viatura policial
Elaine Cristina da Silva de 37 anos foi presa na noite de ontem (8) em Sonora, distante 364 km de Campo Grande, por porte ilegal de arma. Porém, mesm...



Vendem porque há corrupçãp em tudo, duvido se eu administrasse um orgão desse, se um elemento comprasse ou vendesse o terreno e eu não soubesse antes do que qualquer outra autoridade. Basta ser honesto para funcionar tudo em qualquer lugar dos poderes. Tem que haver controle e moralizar; quem não quer tabalhar perde o terreno e expõe na imprensa o nome do excluido.
 
luiz alves em 24/05/2012 07:38:42
Isso acontece mesmo aqui em Corumbá e Ladário, o assentado negocia com o terceiro valores entre 10 e 30 mil pelo lote, e o Incra e Sindicato fazem a "transfêrencia" ilegal pelo valor de 3 mil reais cada uma. #fato
 
Eliz Soares em 24/05/2012 04:34:38
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions