A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 09 de Dezembro de 2016

14/06/2013 16:24

Ruralista questiona: "Por que terras de traficantes não vão para índios?"

Jéssica Benitez

Mal foi cogitada pelo Governo Federal e a hipótese do uso de terras confiscadas de traficantes para indenizar produtores rurais que tiveram suas fazendas demarcadas como área indígena já está sendo contestada por ruralistas. O presidente da Acrissul (Associação de Criadores de Mato Grosso do sul), Francisco Maia, questionou a medida.

Veja Mais
Na divisa com o PR, protesto de fazendeiros é com panfletagem e sem bloqueio
Fazendeiros de todo País vêm a MS reforçar protesto em Nova Alvorada

“Estão pensando em indenizar os produtores com terras apreendidas do tráfico, mas tem que ver isso. Por que essas terras não vão para os índios? Como a terra é da União é só demarcar como indígena”, avaliou. De qualquer forma, ele considera positivo o fato de o governo “estar se mexendo”. “Antes tarde do que nunca”, disse.

Manifestação – Na manhã desta sexta-feira produtores oriundos de 30 cidades de três estados diferentes estiveram em Mundo Novo, 476 km de Campo Grande, para realizar manifestação sobre o conflito no campo. O ato contou com 3 mil participantes que fecharam a ponte Ayrton Senna responsável por dar acesso a Mato Grosso do Sul, Mato Grosso e Paraná ao porto de Paranaguá.

“Não adianta o governo liberar milhões para custeio agrícola e não garantir o direito de propriedade aos produtores rurais”, observou Maia. O próximo passo é acompanhar o Congresso Nacional, em especial à votação da PEC (Proposta de Emenda Constitucional) 215, que retira o poder da Funai e do Poder Executivo de promover a demarcação das reservas no país.

“Queremos estar presente em Brasília quando a votação for ocorrer”, adiantou. Além disso, fazendeiros sul-mato-grossenses esperam ação por parte do Governo do Estado, mas agora é esperar um pouco e ver qual será a orientação da frente parlamentar do agronegócio.

Área do tráfico – A utilização de terras confiscadas do tráfico para pagar aos fazendeiros, por enquanto, é apenas uma opção. Conforme a Agência Brasil, o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, informou que o governo ainda não dispõe de um levantamento sobre tais áreas.

“Há uma série de propostas. Nós vamos pegar todas as áreas em conflito em Mato Grosso do Sul e pensar como cada uma pode ser equacionada. Talvez não seja possível uma equação uniforme para todos os conflitos no estado”, disse.




Sr. Francisco Maia faço minha sua pergunta. Quanto ao sr. Roberto perdeu uma grande oportunidade de ficar calado.
 
Nilson André em 15/06/2013 10:52:53
Lugar de verdadeiros indios é onde tem florestas que tenham caça e pesca em abundancia. Portanto nunca onde está produzindo alimentos. E floresta ainda tem muita , mas muita nesse nosso Brasil. Quem sabe assim seria um meio de preservar as florestas. O governo deveria deixar os produtores em paz para o bem desta nação. Sou da cidade mas apoio nossos bravos produtores rurais.
 
JOSÉ DOS SANTOS em 15/06/2013 10:51:23
A terra é algo sagrado,algo que deve ser respeitado essa tese era defendida pelos indigenas de 1000 anos atras porque hoje não vejo nada disso,em PANAMBI,DOURADOS nada se produz porque os indigenas vivem pedindo nas ruas,vejo muita terra arrendada,essas sim produzem,quem quer valorizar e produzir aceita qualquer terra,BRASILIA tambem é uma terra produtiva,sabe porque não querem terras de traficantes?porque sabem muito bem com quem vão lidar,desculpe-me,mas os indios querem as terras que já estão prontinhas,querem é invadir,queimar,depredar e isso tambem é sagrado?Os indios de hoje não tem nada a ver com os seus antepassados,já que todo o BRASIL é dos indios começem por BRASILIA ocupem,toquem fogo,expulsem todos de lá,humm desculpa esqueci o espirito guerreiro de vcs não tem essa coragem
 
ney fernando em 15/06/2013 10:02:55
olha os índios fala q a terra e sagrada né???e porque q eles não pranta as coisas pra eles mesmo comer?? vc vai em Dourados e uma loucura como tem índio pedindo na rua!!!querem terras mais tem preguiça.....nossa só de prantar mandioca eles faz tanto coisa !!!da pra mata a fome jeite pelo amor de Deus da terra pra quem q trabalhar!!!
 
roberta-luz-vieira@hotmail.com em 15/06/2013 09:32:19
Recomendo para os latifundiários e seus amigos que ao menos leiam a Constituição Federal e conversem com os povos indígenas antes de falarem bobagem... Triste do país que continua defendendo os mesmos privilegiados de sempre!
 
Roberto Ferreira Filho em 15/06/2013 09:19:45
Meu amigo Roberto, acho que você está vivendo na idade da pedra, a terra que você sonha que os indios querem, para extrativismo seria na Amazonia, índios não vivem mais de extrativismo, caça com arco e flecha, etc. Hoje temos que nos preocupar com a terra que vai ser disponibilizada a eles, pois eles sabem ler,escrever, já tem indios professores, etc. Logo eles tem que ser tratados como produtores rurais, qualquer lugar de terra produtiva serve para ser aldeia de índio, pois eles tem que gerar o seu próprio sustento. Não era assim, quando o Brasil foi descoberto? Eles produziam seu próprio sustento ou morria de fome. Reflita um pouco e veras que está um pouco equivocado.
 
sidnei arioza em 15/06/2013 09:10:51
500 anos se passaram desde que os portugueses aportaram aqui, mas a preguiça do índio ainda persiste, agora querem terra, para que? a única coisa que produzem ´´e indinho. Respeito a mulher indígena que trabalha, carrega os fardos, enquanto o guerreiro anda de mãos abanando, alias nem acompanha a índia quando sai com uma bacia na cabeça tentando vender o milho que ela plantou, o guerreiro continua dormindo, bêbado. Sera que ninguém tem coragem para falar a verdade sobre os índios? querem enganar dizendo que são esforçados? se depender dos índios todos teriam morrido de fome.
 
Horlando P. de Mattos em 15/06/2013 08:54:26
Sr. Roberto Ferreira Filho, o senhor esta falando de um índio, e estes índios que estão reivindicando as terras são outros, ipócrita é o senhor se considerar estes indiginas de hoje que andam com celular tablet e notbook's como os de antigamente.
 
Carlos Alexandre Barbosa em 15/06/2013 07:56:37
penso assim: o governo não acredita no voto do indio, mas o indio pode causar insegurança aos ruralistas, trazendo-os para o seu lado, os produtores rurais são unidos, junto com seu poder político, o governo manipula os dois lados, pode resolver e enrola, adia, é o que penso.
 
claudenir a a angelo em 15/06/2013 07:32:21
Nossa ontem fiquei abismado,a elite ruralista,diga-se de passagem a grande maioria fazendo manisfestações em rodovias,quem diria novos tempos,afinal a elite sempre criticou o povão por fechar rodovias,invadir prédios,enfrentar a policia etc.....é agua bateu,neguinho se explica,ou seja,no Brasil a elite se asemelha ao povão quando sente seus direitos ameaçados,isso ai vai pra cima mesmo.
 
israel lima em 15/06/2013 07:21:48
Terra sagrada? As reportagens podiam ir ver áreas invadidas em Sidrolândia, de 400 hac., com milhares de pés de laranja iniciando a frutificação. Foram arrendadas para gado e o laranjal depredado. E no Nabileque, na "terra dos índios", 400 mil hac. sem aproveitamento e os indios invadindo vizinhos ? Será que a Funai deixa a imprensa ir lá fazer belas reportágens sobre terras sagradas? A cultura do ócio, que é o caldeirão do diabo em qualquer povo e etnia, é o que o indigenismo oficial proporciona aos índios para os corromper e os manter na dependência. Será que a Funai deixa ir lá ver e constatar?. Ver os dentes, a cachaça,as fazendas montadas destruidas, tudo em nome da preservação da cultura. Vai lá, Imprensa, abrir a caixa preta da Funai na preservacão da cultura indígena! Deixam?
 
Valfrido Chaves em 15/06/2013 06:05:54
A terra em que viveram por muitas gerações tem muito valor para os índios.

É na verdade um sentimento que esta se perdendo para a maioria das
pessoas que só veem o aqui e agora.
.
Nossa obrigação neste momento é pensar no sentimento e cultura de um
povo, olhando o problema com muita seriedade e justiça.



 
Mirella Forti Cossignani em 15/06/2013 00:45:34
Esse negocio de terra sagrada é complicado; lá no xingu, na reserva yanomami, algumas pequenas aldeias daqui mesmo pode até ser levado em conta o sagrado. Mas tem uma meia duzia aí que está de olho é no vil metal mesmo. Francamente tem umas fotos desses conflitos que aparecem uns "indios" que sei não hein. Se bater uma investigaçao pra separar quem é quem de 100 tira 20 que são indios de verdade e respeitam a tradição, o resto é made in taiwan.
 
Valter Castilho em 14/06/2013 23:55:29
Quero ver quem tiver uma fazenda MONTADA, querer mudar para uma fazenda do TRÁFICO, coloca esses índios que NÃO FAZEM NADA E ARRENDAM CADA PARTE DESSAS ÁREAS GANHAS NO GRITO, nessas terras do TRÁFICO. Engraçado tem fazendeiros que tem fazenda de 4 gerações de familiares agora vem índio quere toda ela, palhaçada total. bando de desocupados e baderneiros
 
Antonio Mendez em 14/06/2013 23:47:47
Olha Roberto Ferreira Filho, o que vc está dizendo é balela! Chega de hipocrisia, que índio precisa dessa ou daquela terra! Sejamos realistas, os índios são jogados nas aldeias e vivem em verdadeiras favelas! A cultura deles é a mesma dos brancos! A cultura deles só não acabou para os interesseiros que usam eles, através dessas mentiras, como massa de manobra. E os interessados são os antropólogos, igreja católica, países estrangeiros e ONGs. Estes sim vendem a falsa ideia de que os índios ainda mantém sua cultura! Mentirosos!!! Índio quer ter os mesmos direitos que os brancos, e não serem usados para fins escusos! Pobre dos índios que estão sendo manipulados por malandros, que repito, são os antropólogos, ONGs e CIMI (igreja católica). Pessoal, abram o olho em relação a igreja católica.
 
Gil Ribas Til em 14/06/2013 23:46:58
Roberto Ferreira Filho, para o ruralista não é assim não, qualquer terra é terra, é a mesma coisa que vc ter uma casa na afonso pena, proximo ao shopping, e o governo querer o terreno para construir algo, e querer te dar uma casa que era boca de fumo que foi fechada em um bairro qualquer, como o nha-nha ou outros...
 
Victor Hugo Buss em 14/06/2013 23:37:50
Roberto,o problema é que o Produtor esta na sua propriedade a 100 anos,e tem escritura,se isso não vale nada então fechem os cartórios pois escrituras não valem mais nada nem a escritura da sua casa!!!
 
Luis Azevedo em 14/06/2013 21:56:19
Também achei sem fundamento o ponto de vista do ruralista,pois se serve para um serve para o outro a questão de que terra confiscada de traficante seria apenas para os índios poderia não solucionar muito a situação de conflitos,podem entender como discriminação ou racismo,mas de qualquer forma que imaginarmos a solução para isto é muito complexa, penso que as demarcações mais recentes que aconteceram em favor dos indígenas deveriam ser revistas e os proprietários anteriores indenizados para reconstrução das bem feitorias que haviam(obs. estipular uma data base ex:1998,2000,2004....o proprietário que não concordar,seja indenizado ou aceite outra área) esta opinião prende-se ao fato de que o produtor que ficou com 100% de prejuízo no passado agora vai reivindicar seus direitos.
 
Abel dos Santos em 14/06/2013 21:47:14
De pleno acordo Roberto Ferreira! Maia acha que índio quer Terras, propriedades como se fossem gados, põe aqui, põe acolá. Ledo engano. A nação indígena quer o que é seu, quer seu lugar sagrado, onde seus ascendentes nasceram por isso expulsam os invasores. Contentem-se, que o governo federal está maleável, viu?
 
samuel gomes TERENA-campo grande em 14/06/2013 21:29:59
Roberto, ou voce não sabe de nada ou esta se fazendo de lula..não viu, nõ sabe de nada...o dia que faltar a carne, arroz, feijão, oleo, enfim, o dia que os alimentos estiverem bem caros por conta de os produtores rurais(como voce mesmo disse) deixarem de produzir em protesto a mais esse roubo emcima da classe..ai voce coloca essa opinião tacanha e furada sua.
 
marcelo gomes em 14/06/2013 20:13:36
Se a terra onde o traficante está for de ocupação tradicional (de acordo com o artigo 231 da Constituição Federal), com certeza, ela será devolvida à União Federal e ficará de usufruto para a etnia que dela dispõe para a sua sobrevivência física e cultural. E, ainda, pelo entendimento que tenho, se não houver condições reais de uma comunidade indígena sobreviver a partir do que restou lá depois da exploração de quem quer que seja, é obrigação do governo federal criar todas as condições para que a referida comunidade possa lá se desenvolver física e culturalmente.
 
OLÍVIO MANGOLIM em 14/06/2013 18:55:08
Terra sagrada, sei. Talvez uns 500 anos atrás poderia ser. Hoje essa tribo quer camionete e celular. Vamos deixar de hipocrisia.
 
EDUARDO DE BARROS em 14/06/2013 18:24:03
Se a terra para o índio é sagrada, como diz o Sr. Roberto, por que é que eles não vão trabalhar na terra? Ficam pedindo esmolas e resto de comida aqui em Dourados de casa em casa. Aqui a reserva indígena é muito grande, e eles não plantam nada..absolutamente nada. OS produtores, Sr. Roberto, Como EU comprou e pagou devidamente suas terras, tendo suas escrituras devidamente reconhecidas e legais. Estamos produzindo e gerando empregos em nossas propriedades. E só para voce ficar sabendo, o PIB do agronegócio contribui decisivamente na crise mundial de 2011, portanto nosso país depende e muito do agronegócio. A verdade é que pessoas mal intencionadas na FUNAI estão querendo causar desequilíbrio na ordem nacional.
 
Marcos Nogueira Faz. Toledo - Dourados/MS em 14/06/2013 18:16:02
Para o "verdadeiro dono" poder arrendar a terceiros??? Como o MPF já constatou em Dourados e nos " campos dos Indios" no Pantanal???
 
Caio R. Rocha em 14/06/2013 17:40:51
Com todo respeito ao comentário de "Roberto Ferreira Filho",mas infelizmente esse seu comentário não faz sentido,muito menos esta história de "terras indígenas".Assisti uma reportagem onde os lideres indígenas,pleiteiam ás terras onde "supostamente"acham e ou são enterrados seus antepassados e coisa etal.Ontem um índio foi assassinado,em Paranhos,e os seus familiares querem que seja enterrado onde morreu,ou seja "dentro da área da fazenda onde ele estava indo".Daqui algum tempo acham os restos dele e dizem ser "terra sagrada e ou de seus antepassados",e se um índio for morto na Av.Afonso pena,será que vão enterrar ele la também????Isto ta virando comédia,porque nunca foi dito que a "serra de Maracaju"é território de índio....seria por que la só tem PEDRAS ????Caso a analisar...............
 
Cristina mendes Carli em 14/06/2013 17:37:56
Resposta ao oráculo Roberto F. Filho,
Não sei se o comentarista tem a mesma noção de "sagrado" do que o resto da civilização. Segundo o dicionário - não sei se as divindades o utilizam, até porque um dos seus atributos é a onisciência - um dos significados de sagrado é "aquilo que não se deve infringir, inviolável". Voltando ao contexto do comentário, se a terra para os índios é "sagrada" por quê então atearam fogo na propriedade invadida? Ou será que foi uma ilusão de ótica ver as pastagens da Fazenda Buriti queimando? Ou o fogo veio dos céus como um castigo divino? Na verdade o que pseudo intelecutal não aborda é que é muito mais cômodo (para os índios) instalar-se numa área produtiva, já pronta, do que trabalhar.
 
Alberto Almeida em 14/06/2013 17:30:15
Prezado Roberto Ferreira Filho,
Tenho a impressão de q o sr. está enganado, se o índio em si desejar áreas sagradas, teríamos de loca-los no Rio de Janeiro, Porto Seguro etc, pois foi nestes lugares q foram vistos pela primeira vez, sendo assim provavelmente há cemitérios, antigas ocas e tudo q faz ser sagrados para eles.
Acontece q os mesmos influenciados por elementos de fora, desejam sim áreas q estejam já produzindo, e q também localizem bem perto da civilização. .
Sendo assim acredito q as terras do governo seriam as primeiras a serem demarcadas ficando assim com menor despesas para o erário público ou seja o povo não seria onerado mais uma vez.
 
Marco Aurelio de Souza Perez em 14/06/2013 17:10:19
Pergunta tola do líder ruralista.. A terra para o índio não é como para ele, produtor rural.. Para o índio a terra é sagrada, é relação transcendente, é mais do que local de produção para fins de venda do produto obtido, por isso não pode ser em qualquer lugar...Para ele, o ruralista, qualquer uma, equivalente com aquela que será demarcada e entregue aos seus verdadeiros donos, pode servir...a diferença é só essa.
 
Roberto Ferreira Filho em 14/06/2013 16:53:47
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions