A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 06 de Dezembro de 2016

25/02/2015 22:09

Santa Casa vai apurar erro na manipulação de quimioterápicos

Daniel Machado
O diretor-técnico da Santa Casa de Corumbá, Domingos Albaneze, confirmou a abertura de uma sindicância para apurar uma possível falha na manipulação dos quimioterápicos. (Foto: Anderson Gallo)O diretor-técnico da Santa Casa de Corumbá, Domingos Albaneze, confirmou a abertura de uma sindicância para apurar uma possível falha na manipulação dos quimioterápicos. (Foto: Anderson Gallo)

O diretor-técnico da Santa Casa de Corumbá, Domingos Albaneze, confirmou na tarde desta quarta-feira (25) a abertura de uma sindicância para apurar uma possível falha na manipulação de quimioterápicos dos pacientes Sebastião Rocha, de 47 anos, e Terezinha de Medeiros, de 82 anos. Ambos estão internados no Centro de Tratamento Intensivo do Hospital.

Veja Mais
Fiems pede que governo mantenha contratos de incentivos fiscais
Reinaldo chega a Dourados para lançamento e entregas de obras

De acordo com o site Diário Corumbaense, a direção da Santa Casa está fazendo o acompanhamento clínico dos pacientes e conta com apoio técnico de especialistas de Campo Grande, Rio de Janeiro e São Paulo.

“Nós temos fortes suspeitas de que tenha ocorrido falha no processo de manipulação dos remédios, mas temos o prazo de 30 dias para que o processo seja concluído, enquanto isso não podemos acusar ninguém. Na conclusão da sindicância é que teremos isso comprovado. Ambos os pacientes tiveram reações semelhantes e o que a gente nota é uma provável dose elevada do medicamento, resultando na baixa imunidade”, disse o diretor técnico.

Como medida preventiva, a direção do hospital afastou das funções o farmacêutico responsável pela manipulação dos medicamentos no setor de Oncologia. “Nós temos um lugar específico para essa manipulação, onde o profissional pega a prescrição do oncologista, prepara e entrega para a enfermagem fazer a aplicação. Ele estava à frente do serviço há cerca de 2 a 3 meses e esse pode ser o grande inconveniente, provavelmente a falta de experiência”, afirmou Domingos Albaneze.

Além do farmacêutico, a sindicância, que tem prazo de 30 dias para ser concluída, vai ouvir todas as pessoas envolvidas no atendimento dos dois pacientes. De acordo com o diretor-técnico da Santa Casa, os procedimentos seguem normas e recomendações do Ministério da Saúde, Vigilância Sanitária e órgãos fiscalizadores. O hospital já notificou a Vigilância de Saúde do Estado sobre o que ocorreu com os pacientes.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions