A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 03 de Dezembro de 2016

24/06/2015 09:34

Secretária rebate falta de diálogo sobre plano e diz que educação avançou

Plano de Educação de Dourados foi aprovado segunda, mas educadores e vereador ameaçam recorrer ao MP contra o projeto

Helio de Freitas, de Dourados
Marinisa Mizoguchi disse que proposta encaminhada à Câmara foi elaborada com base na legislação, principalmente a LRF (Foto: Divulgação)Marinisa Mizoguchi disse que proposta encaminhada à Câmara foi elaborada com base na legislação, principalmente a LRF (Foto: Divulgação)

A secretária municipal de Educação, Marinisa Mizoguchi, rebateu as críticas de falta de diálogo sobre o PME (Plano Municipal de Educação), aprovado segunda-feira na Câmara de Vereadores de Dourados, cidade a 233 km de Campo Grande. Segundo ela, a proposta encaminhada ao Legislativo foi elaborada de acordo com a legislação, principalmente a LRF (Lei de Responsabilidade Fiscal).

Veja Mais
Após duas sessões polêmicas, Câmara aprova Plano Municipal de Educação
Justiça determina instalação de rede de esgoto em Nova Alvorada do Sul

O Simted (Sindicato Municipal dos Trabalhadores em Educação) e o vereador Elias Ishy (PT) criticaram a falta de discussão sobre o plano, aprovado por 14 votos a 4. As medidas previstas no Plano Municipal de Educação serão colocadas em prática até 2024.

“A educação municipal de Dourados tem passado por grandes avanços e atualmente é reconhecida entre as cem melhores do Brasil. Fomos o primeiro município brasileiro a universalizar o Mais Educação – o aluno retorna no contraturno para reforço escolar, tarefa, merenda e atividade de esporte, lazer e cultura”, afirmou Marinisa.

Segundo ela, os avanços ocorreram inclusive na educação infantil: “Quando assumimos, tínhamos três mil alunos em creche, com o cuidador. Até o final do atual mandato, serão dez mil alunos em escola infantil com professor de nível superior, apoio, propostas pedagógicas com livros e brinquedos e merenda preparada por nutricionistas”.

Marinisa disse que a prefeitura tem investido também na reforma e ampliação das unidades de ensino: “Nossas escolas estavam há 10, 30 anos sem reforma e hoje estamos com 70% reformadas com expectativa de reformar todas até o final da atual gestão”. Dourados tem 45 escolas e 36 Ceims (Centros de Educação Infantil Municipal).

Educadores – Quanto à valorização dos educadores, um dos pontos cobrados pelo Simted no plano aprovado nesta semana, a secretária de Educação garante que a prefeitura cumpre o piso nacional “enquanto muitos municípios não conseguem cumprir devido à queda de recursos federais e enfrentam greve geral”.

Segundo ela, na atual administração o salário do professor vai de R$ 4.200 a R$ 8.000 para 40 horas de trabalho. “Nos próximos seis anos será entre 8 a 16 mil reais ao mês”.

Plano modificado – Ao Campo Grande News, o vereador Elias Ishy disse que o PME foi elaborado por um fórum de 300 pessoas e representantes de 28 entidades, durante mais de um ano. Entretanto, segundo ele, na proposta encaminhada para a Câmara a prefeitura retirou 20% das propostas aprovadas e modificou 80% das demais “de forma unilateral e sem justificar as medidas”.

O petista reclama também da Câmara Municipal e diz que o Legislativo “se apressou” em aprovar o projeto sem ouvir a sociedade. “Apresentei 190 emendas para restabelecer o plano original, mas não foram colocadas em votação, contrariando o artigo 104 do Regimento Interno. Vou tomar as providências jurídicas cativeis sobre esta ilegalidade e recorrer ao Ministério Público”.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions