A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 07 de Dezembro de 2016

12/05/2011 17:32

Secretário diz que ainda avalia quanto será investido em ponte de Corumbá

Fabiano Arruda

Estudo final sobre obra deve ser apresentado na segunda

Construção dos dolfins, caixas de concreto que protegem a ponte, são prioridades. (Foto: Divulgação/PRF)Construção dos dolfins, caixas de concreto que protegem a ponte, são prioridades. (Foto: Divulgação/PRF)

O secretário de Obras do Estado, Wilson Cabral, afirmou nesta quinta-feira que o governo ainda avalia quanto será necessário para investir em obras de proteção e recuperação da ponte na região de Morrinho, na BR-262, em Corumbá.

A informação extra-oficial é que os custos passem de R$ 6 milhões e os trabalhos prioritários são para construção dos dolfins, que protegem as colunas da ponte.

Agora, a secretaria espera o laudo final, que deve ser apresentado na segunda-feira pelo engenheiro Vicente Garamboni, um dos projetistas da ponte inaugurada em 2001, contendo as informações detalhadas sobre os reparos necessários na ponte.

A partir disso, será traçado o total de custos e quando a obra vai começar. Cabral ainda afirmou que uma parte do valor a ser investido deve ser pleiteado com o Governo Federal.

O secretário garante que o tráfego de veículos é seguro na ponte. Hoje é o terceiro dia que o trânsito foi liberado para todos os tipos de veículos.

Sobre a punição para a empresa responsável pela embarcação que se chocou com uma das colunas da ponte no domingo, Cabral disse que o governo espera informações de inquérito instaurado pela Marinha e que vai cobrar punições.

Tráfego - O trânsito na via funciona da seguinte forma: caminhões podem passar um por vez, enquanto veículos leves podem trafegar juntos, mas mantendo distância de segurança, de pelo menos 100 metros, e em baixa velocidade.

A PRF (Polícia Rodoviária Federal) segue com o monitoramento do tráfego.

Acidente - No domingo, por volta das 12 horas, uma embarcação de bandeira paraguaia com aproximadamente 70 toneladas de farelo de soja colidiu com uma das colunas de concreto da ponte, o que abriu um vão de cerca de 20 centímetros na estrutura da pista.

O incidente isolou a região de Corumbá por mais de 20 horas, já que a Estrada Parque, outra ligação ao município, também está interditada por conta da cheia na região do Pantanal.

O governador André Puccinelli (PMDB) esteve no local na terça-feira e participou de vistoria, acompanhado do superintendente regional do Dnit (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes), Marcelo Miranda, e do engenheiro Vicente Garamboni.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions