A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 05 de Dezembro de 2016

29/04/2015 12:22

Signatário do impeachment de Collor faz palestra hoje sobre reforma política

Marcello Lavenère, que presidia a OAB em 1992, será palestrante de audiência pública em Dourados sobre doações de campanha

Helio de Freitas, de Dourados
O advogado Marcello Lavenère, ex-presidente da OAB, faz palestra hoje à noite em Dourados sobre reforma política (Foto: Divulgação)O advogado Marcello Lavenère, ex-presidente da OAB, faz palestra hoje à noite em Dourados sobre reforma política (Foto: Divulgação)

O advogado Marcello Lavenère, que em 1992 foi um dos signatários do pedido de impeachment do então presidente da República Fernando Collor de Mello, será o palestrante da audiência pública que ocorre hoje à noite na Câmara de Vereadores de Dourados, a 233 km de Campo Grande. Proposta pelo vereador petista Elias Ishy, o evento vai debater a reforma política e relação entre corrupção e doações para campanhas eleitorais.

Veja Mais
Por sugestão de petista, Câmara faz debate sobre doações e corrupção
Eduardo Cunha e relator da reforma participam de audiência em MS

Lavenère era presidente nacional da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) quando assinou, junto com o então presidente da ABI (Associação Brasileira de Imprensa), Barbosa Lima Sobrinho (morto em 2000, aos 103 anos), o pedido de impeachment de Collor em meio a uma onda de protestos por todo o país que pediam a cassação do presidente.

Atualmente Marcello Navenère é professor de Direito Civil da Universidade Federal de Alagoas e da UnB (Universidade de Brasília). Como integrante da Comissão de Acompanhamento da Reforma Política da CNBB (Confederação Nacional dos Bispos do Brasil), tem proferido palestras em diversas regiões do país.

De acordo com o vereador Elias Ishy, a audiência pública tem o objetivo de proporcionar à sociedade douradense um espaço de debate sobre a reforma política em discussão no Congresso Nacional, principalmente sobre as consequências de financiamentos de campanhas eleitorais disfarçados de doações.

“Fazer uma reforma política que não proíba o uso de dinheiro de empresas será ineficaz no combate à corrupção e na garantia da ampla representatividade da sociedade brasileira nos parlamentos”, afirma o petista. Segundo ele, há mais de um ano a maioria dos ministros do STF (Supremo Tribunal Federal) votou pela proibição das doações, mas a matéria empacou após o ministro Gilmar Mendes pedir vistas do processo. “Ele tem ignorado os apelos da população para que devolva ao plenário do STF e a votação seja concluída”, afirmou Ishy.

Debatedores – A mesa de debatedores será formada pelo presidente da Associação Comercial e Empresarial de Dourados Antônio Nogueira, pelo dispo diocesano da cidade Redovino Rizzardo, por Felipe Azuma, presidente da 4ª Subseção OAB, e Gleice Jane Barbosa, professora e coordenadora do Comitê de Defesa Popular de Dourados.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions