A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 10 de Dezembro de 2016

27/06/2014 23:30

Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Dourados ameaça greve

Alan Diógenes

O Simted de Dourados comunica que os trabalhadores em educação entrarão em greve no dia 17 de julho. O período de paralisação terá início com uma assembleia realizada a partir das 7h da manhã, do mesmo dia, no sindicato. A decisão foi tirada na assembleia do dia 13 de junho, pois o governo municipal não cumpriu com o acordo firmado em abril sobre a negociação salarial com o magistério e o administrativo.

Veja Mais
Conhecida como 'Cidade do Peixe', Itaporã comemora 64 anos neste sábado
Ônibus colide em carro, arranca duas árvores e só para ao bater em muro

Até o presente momento professores da rede municipal não receberam nenhum reajuste salarial e Dourados não tem cumprido com a lei nacional do piso que garante R$ 1697,00 para uma carga horária de 40 horas. A categoria reivindica este valor para uma carga horaria de 20 horas, como já se aplica na capital. O grupo administrativo também não recebeu nenhum reajuste até o presente momento.

O governo já deveria ter concedido 8,32% para o magistério e 6,15% para o administrativo, uma vez que isto passou por negociação coletiva e que a data base era abril. Diante dos fatos, a categoria não tem encontrado motivação para continuar a exercer suas funções.

Além de não pagar o reajuste prometido o governo vem ventilando a possiblidade de terceirizar professores, tal política já vem acontecendo no setor administrativo. O movimento sindical tem se posicionado contrariamente essa política em todo o Brasil e em Dourados não será diferente.

A categoria vem reivindicando junto ao governo municipal o cumprimento do acordo de negociação realizada em abril deste ano e descumprida pelo próprio propositor que diz respeito ao reajuste salarial do quadro administrativo e do magistério; o cumprimento imediato da lei nacional do piso para o magistério; abertura imediata de concurso público; alteração na lei de readaptação que prejudica os vencimentos dos trabalhadores readaptados; inclusão dos servidores administrativos no Plano de Cargos e Carreiras da Educação; garantir o direito de aposentadoria especial para as especialistas em educação (coordenadoras das escolas).

O Sindicato continua aguardando uma resposta do prefeito e está aberto ao diálogo.

Dois homens são presos por suspeita de estupro de adolescentes
Dois homens foram presos por estupro de vulnerável em Laguna Carapã, 287 km de Campo Grande. Eles têm 28 e 24 anos e teriam tido relação sexual com a...
Dupla armada invade madeireira e rouba dinheiro do pagamento de funcionários
Dois homens armados invadiram uma madeireira e roubaram R$ 15 mil por volta das 15h30 de ontem (9) no Distrito Industrial de Dourados - distante 233 ...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions