A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 03 de Dezembro de 2016

04/12/2014 16:49

Sobra emprego e falta mão de obra qualificada na 2ª maior cidade de MS

Helio de Freitas, de Dourados
Maior movimento no Ciat é de pedido do seguro-desemprego; falta gente qualificada na cidade (Foto: Eliel Oliveira)Maior movimento no Ciat é de pedido do seguro-desemprego; falta gente qualificada na cidade (Foto: Eliel Oliveira)

Todos os dias sobram vagas de emprego na agência do Ciat (Centro Integrado de Atendimento ao Trabalhador) em Dourados, a 233 km de Campo Grande. Apesar do grande movimento de pessoas, verificado principalmente no período da manhã, a oferta de vagas é maior que a procura. A grande dificuldade das empresas é encontrar trabalhador qualificado.

Veja Mais
Número de micro empresas cresce 50% em dois anos na 2ª maior cidade de MS
Apesar das 5,6 mil vagas abertas, emprego na indústria tem ano ruim em MS

O órgão estadual funciona na segunda maior cidade de Mato Grosso do Sul em parceria com a prefeitura e atende no mesmo prédio da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, na avenida Weimar Gonçalves Torres, no centro.

“Nosso sistema amanhece todos os com uma infinidade de vagas. Fazemos o maior esforço para atender as empresas, mas nunca conseguimos suprir toda a demanda constante por mão de obra em Dourados”, afirma Dulcinéia Lisboa, coordenadora de vagas do Ciat.

Ela cita como exemplo um fato ocorrido na semana passada, quando existiam 216 vagas disponíveis em apenas dois dias e a maioria ainda não foi preenchida. Em média são oferecidas cem vagas todos os dias.

Uma rede regional de supermercados procurou o Ciat para contratar 60 funcionários, para completar o quadro de pessoal de uma loja nova que vai funcionar na Vila Industrial e para outros mercados do grupo já em funcionamento. Há vagas para operadores de caixa, de empilhadeira e de câmara fria, encarregado de padaria e açougueiro.

No Ciat há vagas para linha de produção e almoxarife de indústrias, para analista de sinistro de veículos, auxiliar de cozinha e de limpeza, eletricistas, caseiro e muitas para empregada ou empregado doméstico.

Segundo a prefeitura, a falta de trabalhador qualificado continua mesmo com os cursos de qualificação de mão de obra existentes na cidade e que já prepararam cinco mil pessoas para o mercado de trabalho através de parceria com o Pronatec do governo federal, Senai, Sesi, Senac e outras escolas profissionalizantes. No dia 11 serão formados mais de 1.200 novos profissionais.

Na avaliação da prefeitura, a grande procura por trabalhadores se deve ao desenvolvimento econômico da cidade. O Empresômetro, mapeamento das micro e pequenas empresas da CNC (Confederação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo), apontou que o número de micro e pequenas empresas em Dourados saltou de 9.733 em 2012 para 14.456 em 2014.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions