A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 02 de Dezembro de 2016

15/12/2011 15:50

Sonorizadores provocam rachaduras em casas no Assentamento Itamarati

Viviane Oliveira
De acordo com o laudo, a trepidação foi uma das causas das trincas nos imóveis. (Foto: divulgação)De acordo com o laudo, a trepidação foi uma das causas das trincas nos imóveis. (Foto: divulgação)

O MPF/MS (Ministério Público Federal em Mato Grosso do Sul), pediu à Justiça Federal que os sonorizadores instalados na rodovia MS-164 sejam substituídos por outro modelo de redutor de velocidade.

Veja Mais
Segunda fase do Enem acontece amanhã e domingo; 488 pessoas participam em MS
STF investiga contas de Geraldo e quer depoimento até de ex-prefeito morto

Segundo investigações, o equipamento instalado tem provocado rachaduras nas casas próximas a rodovia. Vinte famílias da Vila do Secador, no Assentamento Itamarati I em Ponta Porã tiveram as residências danificadas nos últimos dois anos.

Segundo o Crea/MS (Conselho regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia de Mato Grosso do Sul), os danos causados à estrutura das casas resultaram da passagem de veículos pesados pelos sonorizadores.

Conforme relatos de moradores, quando esses veículos passam, utensílios domésticos, vidros de janelas e portas tremem.

De acordo com o laudo, a trepidação foi uma das causas das trincas nos imóveis. Para evitar que elas se transformem em rachaduras e provoquem o colapso nas estruturas das casas, colocando em risco a integridade física dos moradores, o Crea recomenda a retirada do equipamento.

As casas construídas no assentamento são da União. Elas foram concedidas pelo Incra (Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária), para os assentados. Dessa forma, o dano causado nas casas não apenas afetam os moradores, mas também os bens que são patrimônio público federal.

Na ação o MPF pede liminarmente e com base no laudo técnico, que os equipamentos sejam retirados em 20 dias úteis e, posteriormente, substituídos por outros que não causem danos.




depois de ver tantas faixas de pedestre que terminam de encontro com postes , arvores ebueiros nada mais me surpreende no que se diz a respeito da engenharia de transito do mato grosso do sul em geral...E fique avisado que sou sulmatogrosense apaixonado pelo meu estada...
 
Adir Jorge Diniz em 16/12/2011 01:50:40
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions