A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 18 de Janeiro de 2017

31/10/2015 17:37

Suspeito de executar detento é integrante de facção criminosa

Ricardo Campos Jr.
Homem saía do trabalho, quando foi morto a tiros (Foto: Cido Costa)Homem saía do trabalho, quando foi morto a tiros (Foto: Cido Costa)

A Polícia Civil identificou Carmo Alves Felício, 39 anos, como um dos suspeitos de matar o funcionário da Engepar e detento do regime semiaberto Adriano da Silva, em Dourados, a 223 quilômetros de Campo Grande. Segundo o boletim de ocorrência, testemunhas relatam que o assassino pertence ao PCC (Primeiro Comando da Capital) e tinha uma rixa com a vítima, que era contra a facção.

Veja Mais
Homem é executado com 11 tiros em canteiro de obras
Justiça determina que Sanesul repare danos em erosão causada por vazamento

Peritos identificaram pelo menos 11 marcas de tiro no corpo, sendo cinco no tórax, quatro nas costas e dois no antebraço direito. Carmo é ex-funcionário da empresa de engenharia e foragido do semiaberto. Ele participava do EPMRSA (Efeitos do Trabalho na Ressocialização dos Reeducandos) e ainda não foi localizado.

Testemunhas também citaram o nome de Renan Oliveira de Freitas, em condicional desde ontem, que também defendia o grupo criminoso, mas a participação dele no crime ainda não foi definida.

Ainda de acordo com registro policial, o crime foi visto por muitos funcionários que estavam em cima do prédio em obra. Inicialmente, por medo, nenhum deles quis revelar detalhes sobre o ocorrido. Uma das testemunhas concordou em romper o silêncio, desde que em off, segundo consta no registro.

O corpo foi encaminhado para o IML (Instituto Médico Legal) e algumas cápsulas foram recolhidas no local da execução para serem periciadas.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions