A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 06 de Dezembro de 2016

29/05/2014 17:22

Suspeito de furtar três cadeiras, homem é morto a soco e pontapés

Caroline Maldonado e Marta Ferreira

Um homem ainda não identificado, suspeito de roubar três cadeiras de uma residência, morreu na manhã de hoje (29), em Ponta Porã, após ser agredido por pelo menos 20 pessoas. Segundo a Polícia Civil informou, tudo começou ontem à noite quando uma mulher de 27 anos, identificada como Vanessa Menin Brandão, viu o homem levando os móveis, da casa da mãe dela, localizada na Vila Áurea.

Veja Mais
PRF apreende 50 mil caixas de cigarros contrabandeados na BR-163
Corpo é encontrado boiando em rio e suspeita é de que seja de trabalhador rural

Segundo a Polícia, ela contou que o abordou e recebeu a resposta de que ele havia ganhado as cadeiras. Diante disso, segundo a mulher contou, ela gritou "pega ladrão" e foi atrás do namorado, Diego Leandro Leão dos Santos. De moto, sozinho, o rapaz seguiu o homem por 300 metros e o encontrou em um bar, tentando vender as cadeiras. O namorado de Vanessa avisou as pessoas que se tratava de um ladrão e foi buscar a namorada para levá-la até o local, onde as pessoas seguravam a vítima.

Segundo relato de Vanessa à Polícia, quando ela retornou com o namorado, o homem já estava sendo agredido e com muitos ferimentos. Nesse momento, segundo ela contou, pediu que parassem com as agressões e chamou o Corpo de Bombeiros.

Conforme a Polícia, os agressores não queriam que o homem fosse socorrido. A situação só foi controlada com a chegada da Polícia Militar. Já inconsciente e com muitos ferimentos, o homem foi levado para o Hospital Regional e morreu às 7h50.

Segundo o delegado responsável pelo caso, Jarley Inácio de Souza,  os agressores podem ser indiciados por lesão corporal sem intenção de matar ou homicídio doloso. “Estou ouvindo todos os envolvidos, mas é muito difícil individualizar a conduta em uma situação como essa”, explica.

De acordo com o delegado, a vítima, que não portava documentos, apresentava ferimentos antigos nas pontas dos dedos, indicativo de consumo de droga. O homem vestia camiseta, shorts e estava descalço.

Como a suspeita da Polícia é que se trate de um dependente químico, foi solicitado o envio, pelo Capes (Centro de Atenção Psicossocial) da cidade, de um profissional ao IMOL (Instituto de Medicina e Odontologia Legal) para ajudar na identificação do corpo. Conforme o delegado, foram colhidas as impressões digitais da vítima e enviadas ao laboratório em Campo Grande para comparação com um banco de dados da Sejusp (Secrearia de Justiça e Segurança Pública).




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions