A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 09 de Dezembro de 2016

19/12/2014 07:39

Trânsito em ponte atingida por embarcação volta ao normal

Caroline Maldonado
Técnicos usaram macacos hidráulicos para instalar novos aparelhos na estrutura da ponte (Foto: Divulgação/Concessionária Porto Morrinho)Técnicos usaram macacos hidráulicos para instalar novos aparelhos na estrutura da ponte (Foto: Divulgação/Concessionária Porto Morrinho)

O trânsito na ponte sobre o Rio Paraguai, em Corumbá, a 419 quilômetros de Campo Grande, que há mais de três meses funciona no sistema “pare e siga”, será normalizado neste sábado, segundo a Concessionária Porto Morrinho. A estrutura ficou com uma abertura de aproximadamente 20 centímetros após a colisão de um comboio de barcaças no dia 26 de agosto deste ano.

Veja Mais
Trânsito de veículos pesados é liberado, mas obra em ponte continua
Obra emergêncial em ponte deve liberar tráfego até o Natal

A liberação do trânsito é possível , porque foram concluídas etapas de reparo com movimentação das partes da superestrutura danificadas pelo acidente. O tráfego de veículos acima de seis eixos e 45 toneladas que esteve restrito durante esses três meses já foi liberado nesta semana para transporte sem desmembramento.

Conforme a concessionária, a partir do dia 10 de janeiro de 2015 serão retomadas as atividades de reparação das juntas de dilatação da ponte. Com isso, o trânsito ocorrerá no sistema “pare e siga” em segmentos da ponte por alguns períodos.

Desde o início de outubro, a empresa contratada pela seguradora da concessionária fez troca de aparelhos importantes para a sustentação da ponte. Na semana passada, foram elevadas vigas da superestrutura, com sistema de macacos hidráulicos, para instalação de novos aparelhos de apoio de neoprene, conforme informou o o diretor técnico da Porto Morrinho, Wolney Freire.

A ponte foi atingida em agosto por um comboio de barcaças de um barco empurrador paraguaio. Em 2011, o empurrador Doña Carmen, também de bandeira paraguaia, que transportava 16 barcaças de farelo de soja bateu contra o pilar central da ponte. A colisão também abriu um vão de cerca de 20 centímetros na estrutura da ponte e o tráfego de veículos foi interditado, deixando a cidade isolada por quase seis horas.

Proteção - Em setembro, o Governo do Estado decretou situação de emergência, com o objetivo de conseguir a liberação de R$ 4 milhões do Governo Federal para construção de um dolfin, uma estrutura para proteger a ponte de acidentes futuros. A obra foi anunciada pela Seop (Secretaria de Obras, Transportes e Serviços Públicos).

A superintendência do Dnit (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes) em Mato Grosso do Sul informou ao Campo Grande News que está sendo elaborado o edital para contratação do serviço. De acordo com o Dnit, o edital é elaborado na modalidade RDCI (Regime Diferenciado de Contratação Integrada).




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions