A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 22 de Janeiro de 2017

07/04/2014 19:05

Tribunal Regional mantém condenação e multa de deputado estadual

Zana Zaidan
Além de Mochi, justiça condenou ex-secretário municipal e empreiteira (Foto: Arquivo)Além de Mochi, justiça condenou ex-secretário municipal e empreiteira (Foto: Arquivo)

A Justiça manteve a decisão que condena o deputado estadual Junior Mochi (PMDB) a perda dos direitos políticos por oito anos - o que implica, inclusive, na suspensão do mandato atual – e ao pagamento de multa de R$ 6,5 milhões.

O Tribunal Regional Federal da 3ª Região aceitou os argumentos do Ministério Público Federal de Mato Grosso do Sul, que encontrou indícios de fraude na aplicação de R$ 310 mil em recursos federais para construção e implantação do aterro sanitário de Coxim, a 260 quilômetros de Campo Grande, que nunca foi colocado em operação. A sentença foi divulgada hoje (7) pela assessoria de imprensa do MPF/MS.

As irregularidades na aplicação de recursos aconteceram enquanto Mochi era prefeito da cidade, entre 2001 e 2004. Esta é a terceira vez que o agora deputado tenta, sem sucesso, recorrer da sentença do TRF-3.

Além do parlamentar, outros dois réus do processo também tiveram os recursos negados: o então secretário municipal de Desenvolvimento e Infraestrutura de Coxim (hoje assessor do Departamento de Obras da Prefeitura de Três Lagoas), Getúlio Neves da Costa Dias, e a empreiteira Tocmax, que executou a obra.

Dias deverá perder o cargo em Três Lagoas e pagar multa equivalente ao dobro do prejuízo causado à União, em valor atualizado, e ser proibido de contratar com o poder público ou receber benefícios e incentivos fiscais por cinco anos.
Já a Tocmax deverá devolver o triplo do prejuízo causado à União, em valores atualizados, e também ser proibida de contratar com o poder público ou receber benefícios e incentivos fiscais por cinco anos.

Junior Mochi rebate as informações da nota do MPF e afirma que ela é “inverídica”. Segundo ele, a decisão do TRF-3 refere-se a um agravo de instrumento interposto, e não ao recurso de apelação, que, acatado, poderia tornar a decisão favorável ao deputado.

“É uma nota inverídica, inclusive ao afirmar que esta é terceira vez que recorremos sem sucesso. Este recurso ainda nem chegou ao Tribunal, e está em fase de análise no MP”, afirma. Por isso, a assessoria jurídica do parlamentar solicitou ao MPF que corrija as informações divulgadas sobre a decisão.

O órgão confirma ter recebido a solicitação, que foi encaminhada ao procurador do processo, Ricardo Tadeu Sampaio, de Coxim. Ela vai analisar se há divergências entre o que consta no processo e o que foi divulgado pela Assessoria e, caso sejam confirmadas, a nota será corrigida.

Obra - As principais falhas encontradas pelo MPF na obra são a ausência de drenagem pluvial adequada, de sistema de tratamento de chorume e de rejeitos inorgânicos, além da inexistência de licenciamento ambiental para instalar e operar o aterro. Como prefeito, Mochi determinou a construção sem requerer as autorizações legais.

Também foram consideradas irregulares as prestações de contas da prefeitura ao TCU (Tribunal de Contas da União), em relação ao convênio para a realização da obra. Em contrapartida, o governo federal solicitou a devolução dos recursos repassados, mas o pedido não foi atendido por Mochi, diz o MPF.

 

Vizinhos acionam a polícia depois que mulher é agredida por esposo violento
Mulher de 29 anos teve de ser encaminhada a uma unidade de saúde devido as agressões do marido, 37, que a feriu no rosto durante uma discussão esta t...
Jovem é preso em flagrante depois de ter incendiado a casa da mãe
Jovem de 19 anos foi preso depois de ter incendiado a casa da própria mãe, 43, esta tarde (21) no Jardim Brasilândia em Dourados, cidade a 233 quilôm...
Homem é preso ao ser flagrado transportando 191 quilos de maconha
Hellington Sant Ana Mota, de 33 anos foi preso acusado de tráfico de drogas por transportar 191 quilos de maconha no porta-malas de um carro. O flagr...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions