A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 05 de Dezembro de 2016

19/08/2014 12:16

Universitário de 60 anos morre na UFGD e colegas reclamam de demora no socorro

Caroline Maldonado
Anacleto cursava Ciências Sociais (Foto: Reprodução/Facebook)Anacleto cursava Ciências Sociais (Foto: Reprodução/Facebook)
Quando bombeiros chegaram aluno já estava morto (Foto: Dourados Agora)Quando bombeiros chegaram aluno já estava morto (Foto: Dourados Agora)

Um universitário de 60 anos morreu após sofrer uma parada cardíaca em uma das salas de aula na UFGD (Universidade Federal da Grande Dourados), nesta manhã. Segundo a assessoria de imprensa da universidade, Anacleto Tamporoski era aluno do curso de Ciências Sociais. Os alunos reclamam que pediram ajuda a Faculdade de Medicina, além do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) e Corpo de Bombeiros, mas ambos chegaram tarde demais.

Veja Mais
Boliviana indiciada após tragédia com voo da Chape pede refúgio em MS
Missão conjunta irá apurar violações de direitos humanos com índios de MS

Os estudantes contaram que Anacleto passou mal e caiu. Então, os acadêmicos pediram ajuda que, segundo eles, demorou para chegar. "Ninguém sabia ao certo o que fazer e passamos a pedir por ajuda na Faculdade de Medicina e até para quem passava nas imediações da sala de aula", disse a acadêmica Dina Corretora ao jornal.

Segundo Dina, os alunos ligaram para um médico pedindo orientações. "Tentaram reanimar o Anacleto por conta própria, com massagem cardíaca, mas como somos leigos não sabíamos o procedimento correto", contou.

Conforme a estudante, uma pessoa da Faculdade de Medicina chegou para prestar socorro após 15 minutos da solicitação. "Não sei se era um professor ou acadêmico, só sei que imploramos por socorro que demorou para chegar", reclamou.

As equipes do Samu e do Corpo de Bombeiros chegaram a universidade aproximadamente 40 minutos após o chamado, segundo Dina. "Quando o socorro chegou o nosso colega já havia falecido", contou Dina ao Dourados Agora.

Distante cerca de 15 quilômetros do centro de Dourados, a UFGD não tem posto médico. O assunto já foi discutido quando a comunidade acadêmica fez pedido de implantação do posto com ambulância, em 2013.

A assessoria de imprensa da UFGD informou ao Campo Grande News que tem conhecimento do ocorrido e ainda hoje emitirá um posicionamento sobre o caso. 

Boliviana indiciada após tragédia com voo da Chape pede refúgio em MS
A boliviana Celia Castedo Monasterio, indiciada pelo Ministério Público de seu país por ter autorizado o plano de voo da Chapecoense, com saída em Sa...
Hospital Universitário de Dourados alerta para golpe do falso médico
Falso médico estaria agindo em nome do HU-UFGD (Hospital Universitário da Universidade Federal da Grande Dourados) e nesta segunda-feira entrou em co...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions