A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 09 de Dezembro de 2016

01/10/2011 20:34

Ventania de 95 quilômetros por hora destelha casas e derruba árvores em Corumbá

Paula Maciulevicius

Cinco pessoas ficaram levemente feridas pelos escombros e uma família chegou a ficar ilhada na margem do rio Paraguai

Volume de chuva registrado foi de 15,3 milímetros na cidade Branca. (Fotos: Rodrigo Nascimento/Júnior Teixeira)Volume de chuva registrado foi de 15,3 milímetros na cidade Branca. (Fotos: Rodrigo Nascimento/Júnior Teixeira)

Uma ventania de 95 quilômetros por hora destelhou casas e derrubou árvores no final da tarde deste sábado em Corumbá.

Segundo o Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial da FAB (Força Aérea Brasileira), os ventos chegaram aos 95 quilômetros por hora. Parte da cidade ficou sem energia elétrica por causa do rompimento dos fios, inclusive algumas ruas da área Central.

Com as condições climáticas, o Aeroporto Internacional ficou fechado por 20 minutos para pousos e decolagens. O volume de chuva registrado foi de 15,3 milímetros.

O Corpo de Bombeiros recebeu vários chamados para atender casas destelhadas e árvores bloqueando vias públicas.

De acordo com o site Diário Online, pelo menos cinco pessoas foram levemente feridas pelos escombros e uma família chegou a ficar ilhada na margem esquerda do rio Paraguai, próximo ao Farol, tendo que ser resgatada por uma guarnição.

Árvores caíram com ventania e parte da cidade ficou sem energia elétrica. (Fotos: Rodrigo Nascimento/Júnior Teixeira)Árvores caíram com ventania e parte da cidade ficou sem energia elétrica. (Fotos: Rodrigo Nascimento/Júnior Teixeira)
Estádio Arthur Marinho teve parte da cobertura e uma das arquibancadas danificadas pela força do vento.  (Fotos: Rodrigo Nascimento/Júnior Teixeira)Estádio Arthur Marinho teve parte da cobertura e uma das arquibancadas danificadas pela força do vento. (Fotos: Rodrigo Nascimento/Júnior Teixeira)

Os bombeiros estão priorizando o atendimento em casas atingidas por árvores. Até às 18h30 deste sábado, mais de 25 chamados foram registrados pelo 3° Grupamento do Corpo de Bombeiros.

No estádio Arthur Marinho, um jogo amador teve de ser suspenso por conta do temporal. Parte da cobertura e uma das arquibancadas foi danificada pela força do vento. O local destinado aos cadeirantes também foi parcialmente destruído.

No clube do Grêmio, as rajadas derrubaram o muro da rua Antônio João. No Porto Geral, um galho caiu em cima de um carrinho de lanches.

Vários outros pedaços menores de árvores ficaram espalhados pela rua Manoel Cavassa, dificultando o tráfego de veículos. Situação semelhante foi registrada na avenida General Rondon, na rua Edu Rocha, na Porto Carrero e diversos outros pontos da cidade.




São sinais que a natureza pantaneira está a avisar-nos.

Parem com o desmatamento. Parem com as monoculturas agricolas.

É hora de plantar as árvores nativas e buscar o equilibrio ambiental.

 
Marcos Terena em 02/10/2011 03:47:05
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions