A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 10 de Dezembro de 2016

19/04/2013 10:59

Vídeo mostra momento em que produtor rural morto por índio foi socorrido

Viviane Oliveira
Produtor rural chegou a ser socorrido com vida, mas morreu a caminho do hospital. (Foto: reprodução vídeo)Produtor rural chegou a ser socorrido com vida, mas morreu a caminho do hospital. (Foto: reprodução vídeo)

Imagens divulgadas pela Polícia nesta sexta-feira (19) mostram o momento em que o produtor rural e policial militar aposentado Arnaldo Alves Ferreira, de 68 anos, foi socorrido e levado com vida para o Hospital da Vida. A vítima foi espancada na última sexta-feira (12) após um conflito com índios de Lagoa Rica, distrito de Douradina, a 196 quilômetros de Campo Grande.

Veja Mais
Fazenda pivô da morte de policial é área indígena, informa Funai
Cinco índios são indiciados por morte de policial militar

A vítima estava de bruço no chão com as mãos amarradas, quando foi encontrada por policiais. Os agentes removeram as cordas e colocaram o homem em uma maca. Nas imagens gravadas por um celular o produtor rural aparece mexendo a perna e até conversando. Ele morreu na ambulância a caminho do hospital.

Após o crime, o indígena João da Silva, de 51 anos, também ferido no confronto, foi detido. Outros quadros indígenas foram indiciados pela polícia na última terça-feira (16). De acordo com o delegado responsável pelo caso, Marcelo Batistela, com exceção de João, todos foram ouvidos liberados e vão responder o inquérito em liberdade.

O caso - O produtor Arnaldo era dono de um sítio que faz divisa com a aldeia e, conforme a Polícia, os indígenas cortavam com frequência as cercas da propriedade e em conseqüência disso o gado fugia.

Segundo a Polícia, a vítima por diversas vezes tentou dialogar com os indígenas, mas sem sucesso. No início da semana passada o PM e os indígenas se desentenderam mais uma vez, resultando na morte do aposentado.

Balanço - A Funai (Fundação Nacional do Índio) tem 80 ações na Justiça sobre conflitos entre proprietários e indígenas. Esta foi a segunda morte neste ano. A primeira foi de um adolescente de 15 anos, morto com um tiro na cabeça, no último dia 17 de fevereiro, em uma estrada que separa a aldeia guarani-kaiowá tey´ikue de fazendas na cidade de Caarapó.




o engraçado, é que isso não sai nos noticiários da TV, se fosse índio? Dava a maior repercussão.
 
alexandre gomes em 15/06/2013 19:32:04
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions