A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 29 de Junho de 2015

28/11/2012 11:59

Líder do tráfico de drogas é preso em operação da PF

Ele mandava cocaína para RS. O pai, mesmo na cadeia, comandava o crime

Nadyenka Castro
Entorpecente da quadrilha apreendido pela PF. (Foto: Divulgação)Entorpecente da quadrilha apreendido pela PF. (Foto: Divulgação)

Duas pessoas foram presas na manhã desta quarta-feira em Aral Moreira, a 364 quilômetros de Campo Grande, apontadas como integrantes de quadrilha que mandava cocaína para o Rio Grande do Sul. Um deles é Jonathan Soligo, filho de Irineu Soligo, o Pingo, que é presidiário.

Veja Mais
Investigador morto durante abordagem havia feito aulas de tiro no mês passado
Batalhão de choque será contemplado com 20 viaturas alugadas pelo governo

Também foram cumpridos no município de fronteira com o Paraguai cinco mandados de busca e apreensão: em três fazendas e duas residências.

As prisões e apreensões fazem parte da operação Grumatã, realizada pela PF (Polícia Federal) do Rio Grande do Sul naquele Estado, em Mato Grosso do Sul e no Paraná.

Desde o início do ano a PF investiga o envio de cocaína de Aral Moreira para o Brasil, principalmente para a região Sul. Durante a apuração, foi verificado que o tráfico era comandado por Pingo, de dentro da cadeia.

No dia 8 de agosto a PF apreendeu 16 quilos de cocaína do bando em Santo Antônio da Patrulha. O entorpecente distribuído por pai e filho tem como característica o alto grau de pureza e é muitas vezes identificado por uma cabeça de cavalo gravada em relevo diretamente na droga no momento da prensagem.

Entre janeiro e agosto de 2012, foram realizados cinco flagrantes no âmbito da operação Grumatã, que resultaram na prisão de nove pessoas, apreensão de 108 quilos de cocaína, armas, veículos e mais de R$ 110 mil em dinheiro.

Uma destas apreensões foi em Campo Grande, no dia 14 de janeiro. A PF suspeita que os 63 quilos de cocaína recolhidos sejam do bando.

Ao todo, a operação Grumatã cumpriu nesta quarta-feira sete mandados de prisão preventiva e dez de busca e apreensão. Foram apreendidos quatro veículos e uma arma de fogo. A PF pediu sequestro dos bens da quadrilha, entre eles as três fazendas em Aral Moreira. Pelo menos duas delas pertencem aos chefes: Irineu Soligo e filho.

Irineu está recolhido à Penitenciária Agrícola de Piraquara, no Parané, para cumprimento de penas que somam mais de 40 anos de prisão. Ele e o filho serão encaminhados à Penitenciária Federal de Segurança Máxima de Catanduvas, no Paraná.



imagem transparente

Desenvolvido por Idalus Internet Solutions